terça-feira, 6 de dezembro de 2016

BANDIDOS fazendo as leis e JULGANDO JUÍZES


Custou muito, mas finalmente o Brasil conseguiu a proeza de fazer com que os urubus que voam mais  baixo façam as suas necessidades fisiológicas sobre os urubus que voam mais alto. Apesar de cogitar-se de  uma “pequena” infração à  lei da gravidade, foi exatamente isso o  que aconteceu com as alterações que a Câmara Federal fez ao pacote de combate à corrupção, que foi uma iniciativa do Ministério Público Federal,subscrita por mais de dois  milhões de pessoas,e submetida à Câmara Federal  pelo Deputado Onyx Lorenzoni, aprovada com emendas que desfiguraram quase totalmente a iniciativa, podendo ser considerada ,até esse momento, um tiro que saiu pela culatra, se passar assim como foi aprovada   pelo Senado. O tão esperado combate à corrupção passou a ser um instrumento pró-corrupção.

O destaque que pretendo abordar agora trata-se da pretendida sujeição dos juízes e membros do Ministério Público à “crime de responsabilidade”,que em tese  pode ser provocado por qualquer cidadão,e que,caso acolhido  por mais de 2/3 da Câmara Federal, vai a julgamento perante o Senado da República, podendo resultar em “impeachment” para a autoridade processada, na hipótese de julgado procedente.

Sem dúvida,se aprovada essa lei pelo Senado,a mesma estará sujeita a ser derrubada mediante uma simples “ ação direta de inconstitucionalidade”, junto ao Supremo Tribunal Federal,em vista da sua flagrante infração à Constituição.
Num breve “passeio” sobre o crime de responsabilidade, na Constituição, e na legislação infraconstitucional, temos que começar pelo artigo 85 da CF:” São crimes de responsabilidade os atos do Presidente da República que atentem contra a Constituição Federal….”.  Já o parágrafo único desse artigo preceitua:”esses crimes serão definidos em lei especial”.
Prossegue o artigo 86 da CF: “ Admitida a acusação contra o Presidente da República, por 2/3 da Câmara dos Deputados, será ele submetido a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal,nas infrações penais comuns, ou perante o Senado Federal, nos crimes de responsabilidade”.
Deve ser observado: (1) O trato da questão sobre o “crime de responsabilidade”,na Constituição, se limita a esse poucos dispositivos ;(2) os crimes de responsabilidade,segundo a Constituição,que é de 1988,deveriam ser definidos em” lei especial”,por expresso mandamento do  parágrafo único do art. 85,e até hoje nada foi feito, valendo-se os operadores do direito da antiga lei que regula o crime de responsabilidade, que é a lei Nº 1.079,de 1950.
Por seu turno , a Lei 1.079/50 ,possui inúmeros “remendos”, cuja constitucionalidade sem dúvida poderia ser questionada.
Importante é sublinhar que os sujeitos que podem incorrer em crime de responsabilidade   são ampliados na Lei 1.079/50, em relação à Constituição,e além do Presidente da República, também estão  sujeitos a eles os Ministros de Estado, Ministros  do STF e o Procurador Geral da República (artigo 2º).
Mas a Lei 1.079 continua “avançando” no que não está autorizada pela Constituição, e sua aplicação corre “solta”. O artigo 74 dessa lei amplia aos Governadores dos Estados e aos seus Secretários a sujeição à essa lei, estabelecendo mais ,no artigo 76,que “O governador será julgado nos crimes de responsabilidade, pela forma que determinar a Constituição Estadual…”.

Mas o clímax dessa bagunça legislativa parece estar surgindo agora com a proposta de sujeitar os juízes e integrantes  do Ministério Público à serem processados  e julgados por crime de responsabilidade. Qual a capacitação dos julgadores “parlamentares” para essa missão?  Que moral eles teriam para julgar justamente aqueles que mais cedo ou mais tarde  poderiam mandá-los para a cadeia em virtude dos crimes que praticaram ? Não parece esquisito  o prisioneiro tentar tomar o lugar do carcereiro?


Detalhe que não pode escapar, e que a mediocridade do mundo jurídico tolerou  – não sei se por comodismo, omissão  ou covardia – é que o emprego da expressão “crime” para aquilo que denominam na Constituição e nas leis  “crime de responsabilidade”, está totalmente errado. Se “crime” fosse, o ato “criminoso” teria que ser obrigatoriamente apreciado e julgado pelo Poder Judiciário, não pelo  Senado,como ocorre. Poderia ser qualquer “coisa-de-responsabilidade”, menos crime.

Essa lei que tentam empurrar goela abaixo da sociedade não teria validade nem mesmo na hipótese de que tentassem fazer do seu conteúdo um EMENDA CONSTITUCIONAL-PEC, que está tanto em moda nas práticas legislativas. Nessa hipótese haveria o impedimento expresso do artigo 60,§ 4º,da Constituição, que veda a possibilidade de serem feitas emendas constitucionais para, dentre outras hipóteses, ”abolir a separação do Poderes”. E não seria outra a situação caso o Poder Legislativo pretendesse “julgar” o Poder Judiciário, da mesma forma que na via inversa  o Judiciário não tem poderes  para fazer as leis.
Desejo deixar claro que não estou abordando de propósito o outro item polêmico do projeto de lei em curso, e que trata da questão do ABUSO DE AUTORIDADE de Juízes e Promotores, somente ressaltando que a mídia tem feito uma enorme confusão sobre esses dois tópicos.  Mas ao que parece também nesse aspecto os “bandidos” estão tentando colocar uma camisa de força no Judiciário, para se protegerem , é evidente, já que os abusos de autoridade  dos juízes sempre estiveram sujeitos ao controle das Corregedorias e Conselho Nacional de Justiça.

Para finalizar, cabe uma abordagem sobre a conveniência  do Poder Judiciário entrar em acordo com o Poder Militar ( Forças Armadas) para  em ação conjunta  fazerem uso   do disposto no artigo 142 da Constituição, ou seja ,procederem a intervenção constitucional para o fim específico de que sejam destituídos das suas funções todos os integrantes do Congresso Nacional (Câmara e Senado) e o próprio Presidente  da República.
Todas as condições requeridas estão presentes. Pelo que dispõe o art. 142 da CF,as Forças Armadas destinam-se  à defesa da Pátria e garantia dos Poderes Constitucionais. 

Sem dúvida o Poder Legislativo está tentando mutilar o Poder Judiciário com as medidas que estão em curso, sendo requerida imediata intervenção militar para coibir tais abusos, tudo com a total conivência do Senhor Presidente da República, Chefe do Poder Executivo. Ora, por expressa disposição constitucional, o Poder Judiciário tem poder para tomar a iniciativa da intervenção, acionando as Forças Armadas para defesa da  LEI e da ORDEM, ao mesmo tempo em que as próprias Forças Armadas podem fazer o mesmo, tendo plena autonomia para intervir na DEFESA DA PÁTRIA e GARANTIA DOS PODERES CONSTITUCIONAIS.

Sérgio Alves de Oliveira, Advogado e Sociólogo

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

O mínimo que você precisa saber sobre Israel


Este minúsculo país, com apenas 22.072 km² (menor do que o estado de Sergipe e ainda tendo 60% deste total ocupado por deserto) e 8,1 milhões de cidadãos (sendo 75,3% judeus). Para você ter uma ideia, os 22 estados árabes possuem 350 milhões de habitantes, enquanto os 60 países islâmicos já somam 1,2 bilhão de seguidores.
Se os números são desproporcionais, o desenvolvimento também é. Israel teve deflação de 0,2% em 2014; a economia cresceu 3,2% na média dos três últimos anos; o país possui uma invejável renda per capita de quase US$ 35 mil e índice de qualidade de vida de 0,888 – um dos mais elevados do mundo. Considerada a “cidade que nunca para”, Tel Aviv conquistou recentemente o “Prêmio Mundial de Cidades Inteligentes”. Apesar de ser obrigado a investir cerca 10% do PIB na defesa do país, Israel é o país que mais gasta com pesquisa e desenvolvimento (P&D): são 4,4% do seu PIB, quase o dobro da média (2,4%) dos 34 países desenvolvidos que compõem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Toda empresa multinacional de tecnologia do mundo tem um centro de P&D em Israel, incluindo Intel, IBM, Microsoft, Google, Facebook e Apple.
O país também possui mais empresas listadas na Bolsa Eletrônica “Nasdaq” do que toda a comunidade europeia junta, tem a maior porcentagem/per capita de computadores pessoais e ainda é um dos líderes globais em comunicações, ciências da vida, desenvolvimento de softwares e em cibersegurança. A comparação com o Vale do Silício, na Califórnia, é inevitável, já que possui o segundo maior número de companhias startups no mundo, logo depois dos Estados Unidos. Foram cientistas israelenses que criaram, por exemplo, o telefone celular (laboratório da Motorola), a tecnologia de chips para o processador Pentium (laboratório da Intel), o sistema de armazenamento de voz (“voice mail”), o primeiro programa antivírus para computadores e o ICQ, programa de comunicação instantânea pioneiro na Internet. Há três meses, a Apple inaugurou um centro de pesquisa e desenvolvimento em Israel, na cidade de Herzliya – o segundo maior da empresa no mundo e que está gerando mais de 700 empregos diretos. “Temos uma enorme admiração por Israel como lugar para fazer negócios”, afirmou na ocasião Tim Cook, CEO da Apple.
Apesar dos limitados recursos naturais, o intensivo desenvolvimento industrial e da agricultura ao longo das últimas décadas fez com que Israel se tornasse amplamente autossuficiente na produção de alimentos. Ele é reconhecido mundialmente por suas tecnologias de ponta em reuso, dessalinização e controle de perdas de água. É, também, o único país que terminou o século XX com mais árvores do que o iniciou. E o primeiro no ranking mundial/per capita, tanto em números de artigos científicos como em patentes de equipamentos médicos. Foi uma empresa israelense que desenvolveu o exame de sangue que permite diagnosticar ataques cardíacos por telefone; o primeiro sistema para detecção de câncer de mama isento de radiação e monitorado por computador; a primeira filmadora em forma de cápsula ingerível, que permite o exame do intestino delgado; e o diagnóstico de câncer e de disfunções digestivas.
Agora imagine um adesivo para o tratamento de diabetes que substitui a necessidade das injeções diárias; uma forma de diagnosticar câncer de pulmão apenas pela respiração, uma maneira de aplicar drogas para tumores usando a nanotecnologia ao invés da quimioterapia ou um dispositivo a laser do tamanho de um barbeador elétrico que alivia a dor e cura feridas no conforto de sua própria casa. Esses dispositivos já existem ou estão em fase de desenvolvimento. Entre os muitos judeus que têm contribuído significativamente para a humanidade, em todas as áreas do pensamento, estão Albert Sabin (vacina contra a poliomielite), Arthur Solomon Loevenhart (um dos responsáveis pelos medicamentos contra a sífilis), Selman Abraham (descobriu a estreptomicina, valorosa no tratamento da tuberculose), além de Albert Einstein (teoria da relatividade), Siegried Marcus (criou o motor à gasolina) e Sigmund Freud (psicanálise), só para citar alguns. Enfim, contando com apenas 0,2% da população mundial, os judeus já conquistaram 22% de todos os “Prêmios Nobel”.
Em termos educacionais, Israel também se destaca: possui o maior percentual em número de diplomas de curso superior e centros de referências em várias especialidades, como os institutos Technion (Tecnologia) e Weizmann (Ciências), além da Universidade Hebraica de Jerusalém, que está entre as 100 melhores do mundo. E quando o assunto é esporte, Israel disputa torneios com os países europeus, mas ainda assim faz bonito: o time Maccabi Tel Aviv já se sagrou campeão da “Copa Intercontinental”, foi vice-campeão mundial em 2014, quando perdeu para o Flamengo, e ganhou o campeonato europeu de basquetebol seis vezes (é o segundo clube com mais conquistas da Euroliga na história). Também foi a primeira equipe europeia a vencer uma equipe da NBA em solo norte-americano. Por outro lado, a “Macabíada”, principal evento esportivo do mundo judaico, é o terceiro maior do mundo em número de atletas. Nas competições individuais, porém, uma surpresa: o campeão mundial Gary Gasparov, considerado o “Rei do Xadrez”, revelou que, apesar da fama, já foi discriminado por ser judeu.
Por sua riquíssima cultura milenar, Israel tem muitos motivos para ser aplaudido de pé, seja na música, na dança e na criatividade. É inacreditável como há alguns anos realiza o “Festival de Ópera” em… Massada – local que é um monte rochoso, palco de uma batalha histórica. Fica a cerca de 520 metros acima do Mar Morto, ou seja, seria totalmente impróprio para qualquer tipo de evento. Por outro lado, no cinema, são judeus cineastas como Steven Spielberg, atores do porte de Michael Douglas e Barbra Streisand, e humoristas que inspiraram novas formas de fazer comédia, como os Irmãos Marx, Charles Chaplin, Jerry Lewis, Woody Allen e Jerry Seinfeld. Talvez você não saiba, mas dois judeus, Jerry Siegel e Joe Suster, criaram o Super-Homem; um judeu, Bob Kane, inventou o Batman; e Stan Lee, o mais famoso autor do mundo dos quadrinhos, também judeu, é o responsável por personagens como Hulk e Homem-Aranha. E tem mais: o Capitão América foi desenvolvido pelos judeus Joe Simon e Jack Kirby.
No quesito política, Israel se orgulha da democracia e pluralidade, absorvendo as mais variadas ideologias, etnias, credos, gêneros e religiões. Os árabes, por exemplo, são a terceira maior força no Parlamento, possuindo 14 cadeiras de um total de 120, assim como as mulheres têm voz ativa, com 29 representantes. E por falar nelas: há uma “Miss Israel” negra (etíope) e uma líder religiosa lésbica. Já a jornalista árabe-muçulmana Lucy Aharish, acenderá uma das tochas na cerimônia no “Dia da Independência”, que este ano acontecerá em Jerusalém. No país, todos os grupos são respeitados e acolhidos: Tel Aviv, por exemplo, já conquistou várias vezes o título de “melhor destino gay”.
Israel, “país mais ameaçado de destruição do mundo“. (Benjamin Netanyaho, Primeiro Ministro de Israel)
Hoje temos um embaixador de Israel no Brasil de origem drusa e, no ano, nas comemorações do “Dia Nacional da Imigração Judaica” (18 de março), houve uma homenagem ao senador Aarão Steinbruch, já falecido, autor da lei que criou o “13º salário”, sancionada pelo então presidente João Goulart em 1962. O parlamentar também foi o “pai” da aposentadoria por tempo de serviço.


Mas o relevante papel de judeus na construção da sociedade brasileira data muito antes disto. Em 1412, o infante D. Henrique, ao fundar a Escola de Sagres, trouxe o judeu Iehudá Crescas para ensinar aos pilotos portugueses fundamentos da navegação, produção e manejo de cartas e instrumentos náuticos. Mais tarde, outros judeus colaboraram, como José Vizinho, mestre Rodrigo e Abraham Zacuto, que planejou a viagem de Vasco da Gama às Índias. Sua contribuição possibilitou as viagens transoceânicas e as descobertas marítimas de Portugal. Na frota de Cabral, viajaram como conselheiros pelo menos dois judeus: Mestre João, para pesquisas astronômicas e geográficas, e Gaspar de Lemos (ou da Gama), que foi considerado corresponsável pelo descobrimento. Segundo alguns historiadores, o próprio Cabral, originário de Belmonte, conhecida cidade de marranos, teria origem judaica. Em 1503 o judeu Fernando de Noronha liderou um grupo de judeus portugueses que apresentou a D. Manuel a primeira proposta de colonização do novo território.
Com o passar dos anos, muitos hábitos, provérbios e até mesmo superstições judaicas se incorporaram à cultura popular brasileira, como as expressões “ficar a ver navios”, “vestir a carapuça” e “passar a mão na cabeça” – esta última relacionada ao ato judaico de abençoar alguém colocando as duas mãos sobre sua cabeça ao mesmo tempo em que se pronuncia uma breve oração em hebraico. Outras curiosas contribuições de origem judaica, desta vez na culinária, foram a carne de sol e a tapioca. No entanto, com as perseguições, muitos judeus precisaram esconder essa condição e alteraram seus nomes para não serem denunciados, torturados e mortos. Os chamados “cristãos-novos” passaram a se chamar, por exemplo, Alves, Andrade, Alencar, Amaral, Aguiar, Arruda, Bezerra, Brito, Botelho, Cabral, Carvalho, Cardoso, Costa, Duarte, Fonseca, Gomes, Linhares, Machado, Mendes, Oliveira, Pinto, Pereira, Rodrigues, Santos, Silva, Soares, Vasconcelos, Viana, Vieira, entre tantos outros, cujos descendentes se espalharam por todo o território nacional.
Hoje, o Brasil recebe tecnologia de ponta israelense para a agricultura do nordeste brasileiro e expertise em segurança para ser aplicada na segurança de grandes eventos. Os países possuem parceria econômica, inclusive no Mercosul; intercâmbios educativos, como o projeto “Ciência sem Fronteiras”, que tem a participação de muitos israelenses; programas do Instituto Weizmann de Ciências, que leva brasileiros para cursos especializados em Israel; e concursos sobre o Holocausto, promovidos por entidades judaicas que premiam professores e estudantes das escolas públicas. Além disto, a comunidade judaica atua em variados programas solidários, como o que o Hospital Israelita Albert Einstein desenvolve na Comunidade de Paraisópolis (São Paulo), que beneficia 6 mil moradores com atendimento médico de vanguarda, atividades socioeducativas e assistência biopsicossocial.
Enfim, a terra é árida, e mesmo assim Israel se destaca em questões agrícolas. Não há recursos, e o país desenvolveu alternativas para o combustível. Está cercado por inimigos, e sua tecnologia militar é usada como fonte de inspiração para empresas inovarem… Mundo: deixe Israel viver. Deixe os judeus ajudarem a construir um mundo melhor. A humanidade consciente agradece!

Já que agora você já conhece um mínimo sobre Israel, saiba que o único Partido Político apoiado abertamente por Israel é o LIGA, em fase de liberação. O único Partido Brasileiro que fez constar em seu Estatuto ser essencialmente de Direita Conservadora.

Fan Page: LIGA

A canalhice da "foice" de São Paulo

No twitter, o jornal Folha de São Paulo e o Portal G1 tentaram esconder uma imagem que mostrava cubanos de costas para urna de Fidel Castro. A imagem divulgada por ambos está borrada propositalmente.

                                      Imagem borrada no Twitter da Folha


                                                          Imagem borrada no Twitter do G1

                               Imagem original extraída do Twitter

O ILISP investigou o fato e constou que era um protesto da oposição cubana. Infelizmente,  foi ocultado pela mídia no mundo todo. Em um vídeo divulgado pelo site britânico Mirror, é possível ver também em um outro lugar, outras dezenas de cubanos dando as costas durante a passagem das cinzas de Fidel.

              Printscreen do video divulgado pelo site britânico Mirror


Graças a mídia independente e as redes sociais, ficamos sabendo que Fidel é detestado também em Cuba.

Sindicato que sai em defesa de bandido também faz parte da quadrilha.


O “escrotíssimo” desembargador Luiz Zveiter quase entra na porrada na Praia de Icaraí, desceu de seu tríplex após a multidão gritar ladrão. O “chamamento” surtiu efeito, ele atendeu. Encarou a multidão como se gozasse de algum respeito, mas alguns se aproximaram e a multidão percebeu sua presença.

video

O “deus” do judiciário quase entra na porrada! A indignação está acabando e a revolta começando.
Mas Zveiter não foi agredido, no máximo hostilizado merecidamente.

video

video

Não por ter sido hostilizado, já que muitos ladrões o estão sendo, mas por ser um advogado, desembargador e ladrão, o Sindicato dos advogados do Rio de Janeiro saiu em sua defesa.  Adjetivou os insultos de agressão, discorrendo pelos dispositivos de inocência até sentença final condenatória, que a imprensa e a sociedade não podem julgá-lo e ameaça! 


Lembra a “lei de Talião”, que aponta para o “olho por olho, dente por dente”, terminando sua defesa com a frase antiga, “Ditadura nunca mais”, já superada hoje quando mais e mais pessoas informadas sabem que a “ditadura” é invenção dos criminosos da esquerda. Lembrando: Sindicato dos Advogados do Rio de Janeiro, vai “TOMATE CRÚ”!!!

Quem estava lá?

Em meio a todo essa tragedia sabe quem estava lá fazendo o socorro dos feridos e resgatando os corpos? Sabe quem buscou os corpos na Colômbia? Sabe quem fez o cortejo? Sabe quem organizou todo o velório, trabalhando noite afora? Sabe quem foi "escolhido" para cuidar de todas as homenagens às pessoas mortas no acidente aéreo? Sabe quem providenciou transporte aos familiares?


OS MILITARES!!! 

Mas porque os militares? Você sabe responder?
Porque não escolheram as Comissões de Direitos Humanos?
Porque não chamaram o PCC?

Estranho né? Sempre criticam os militares, mas nesses momentos difíceis recorrem a eles.
Reflita e valorize quem sempre está pronto a te ajudar! É nos momentos mais difíceis que estaremos a seu lado.
Valorize seu País, valorize suas Forças Armadas, valorize os militares.

Somos nós que estaremos sempre a seu lado.

Autor: Nós, os militares

domingo, 4 de dezembro de 2016

O LIGA vai em busca de seu CNPJ

Ontem, 03 de dezembro, em nossa ultima Reunião Nacional, avaliamos nossos últimos passos e orientamos os próximos. O próximo e importante passo será ir a Brasília "exterminar" a má vontade e a pessoalidade em decisões que não acontecem.

Desde que nos propusemos a lançar um partido político estritamente de direita conservadora, como consta no Estatuto, que diga-se, o único partido que fez constar isso em sua documentação, o LIGA conseguiu cumprir todas as etapas no caminho de sua legalização; mas emperrou no CNPJ que deve ser concedido pela Receita Federal.

Por duas vezes a documentação seguiu lacrada para aquela autarquia e com certeza completa. Mas nas duas vezes teve o pedido indeferido com motivações absurdas, motivações que de que nem ao menos se deu o trabalho de conferir a documentação, motivação eivada de pessoalidade. Nesta ultima, foi alegado que dados estavam em desacordo com a Certidão, certidão esta que não é obrigatória constar junto ao pedido. Como então o conferente pode dizer sobre documentação que não detêm em seu poder?



O LIGA já se propaga pelo Brasil, tendo de dar uma pisada no freio por falta deste CNPJ que a Receita Federal tem a obrigação de ceder.

Já nesta próxima semana nosso Presidente Nacional, Marcelo Machado, junto ao nosso Setor Jurídico, sob a Responsabilidade do Dr. Hudson Franco Uberti, seguirão à Brasília para, pessoalmente e municiados de todo aparato legal, ter uma definição sobre a emissão de nosso CNPJ para, de posse dele, podermos seguir adiante em outras fases junto ao TRE.


Embora ainda desconhecido da maioria, o LIGA já é reconhecido e respeitado entre empresários e autoridades do Brasil e do exterior, já tendo estado no Chile com Augusto Pinochet Molina, neto do General Pinochet e fundador do Movimento "Por Mi Patria"



De Israel o Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu nos observa, tendo lido e curtido nossa Fan Page no Facebook.

O "eixo" do mundo novamente se inclina, desta vez para a Direita. E o mundo "conspira" a nosso favor com o LIGA.

Se liga no LIGA!

1º prefeito do PSOL foi rejeitado na reeleição


Enquanto o PSOL comemora o crescimento nestas eleições municipais, o único prefeito da sigla perdeu a reeleição em Itaocara, interior do Rio, após quatro anos de caos político na cidade.

Gelsimar Gonzaga nem sequer teve o registro aceito pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral). A Câmara Municipal rejeitou suas contas de 2013 e 2014, ainda que tenham recebido parecer favorável, com ressalvas, do Tribunal de Contas do Estado.
"Por perseguição política rejeitaram minhas contas", diz Gonzaga, 52, um ex-cortador de cana que manteve a campanha mesmo com a decisão da Justiça. Seus votos foram contabilizados como anulações, mas não superariam o prefeito eleito Manoel Faria (PMDB) –os votos nulos ficaram abaixo dos obtidos pelo vencedor.
Em 2013, a Câmara quase o cassou por não ter respondido a um requerimento de informação. O PSOL contava com 1 de 11 vereadores. Em fevereiro deste ano, foi tirado cargo sob alegação de "tentar impedir o funcionamento regular da Câmara".
Ele voltaria no dia seguinte, por decisão da Justiça, após o juiz Rodrigo Rocha de Jesus afirmar que "não há notícia de que a Câmara Municipal tenha ficado sem funcionar por um dia que seja".

Todo fim de ano, Gonzaga teve dificuldades para aprovar projetos de lei simples, como suplementações orçamentárias para pagar salários. Os vencimentos acabavam atrasados, com greve dos servidores apoiada pelo prefeito.

A gestão desagradou até mesmo a Aquiles Araújo de Melo, presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Itaocara, entidade que Gonzaga presidiu por sete anos. "A proposta foi uma, mas fez outra. Não valorizou o servidor. O negócio dele foi fazer bagunça", disse Melo.

Gonzaga usou o carro de som instalado em seu Fusca, muito utilizado na campanha em 2012, para rodar a cidade e criticar os vereadores que não aprovavam projetos de lei do Executivo.

A principal queixa dos moradores é a falta de remédios em postos de saúde e no hospital da cidade. "Estou com problema no quadril e vou ter que operar em Além Paraíba [cidade próxima]", disse a dona de casa Jenifer Rodrigues Câmara, 36.
Ela mora no bairro Cidade Nova, um dos mais pobres da zona urbana do município, que tem ao todo 23 mil habitantes. Foi ali que Gonzaga instalou o novo posto de saúde. Com entrega prevista para dezembro de 2014, foi inaugurado em julho passado.

Gonzaga foi o primeiro prefeito do PSOL. Em 2012, a sigla também venceu em Macapá, mas o prefeito Clécio Luis deixou o partido em busca de "relações mais amplas". Foi para a Rede e se aliou ao DEM.
Nestas eleições, o PSOL já ganhou em Jaçanã (RN) e Janduís (RN), e disputa o segundo turno no Rio e em Belém.

A 254 km do Rio, Itaocara, maior produtora de quiabo do Estado, passou a ser visitada por líderes do partido, como Luciana Genro e Marcelo Freixo.
Deputados federais do PSOL tentaram ajudar. Chico Alencar, Jean Willys e Glauber Braga destinaram desde 2013 R$ 14 milhões em emendas à cidade, dos quais só R$ 2,3 milhões foram executados pelo governo federal.

Gonzaga diz que muitos deixaram de votar nele por saber que seu registro havia sido indeferido. Ele considera a gestão uma vitória política. "Consegui terminar o mandato. Saí, mas muitos deles [vereadores] saíram comigo. Dos 11, 7 não foram reeleitos", diz.