sábado, 18 de junho de 2011

CAPITÃO DO EB PRESO

Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net

Por Jorge Serrão

Exclusivo – Um Senador da oposição vai enviar à Presidenta Dilma Rousseff e ao vice-Presidente Michel Temer um dossiê reservado denunciando a situação vexatória vivida pela tropa em vários quartéis brasileiros. O documento deve aprofundar a crise de desconfiança entre Dilma e o ministro da Defesa, Nelson Jobim, já que o senador indagará no seu texto: “Será que a gestão do PMDB no MD, segurando verba até para a comida dos militares, não age, sorrateiramente, para desgastar a imagem de Vossa Excelência com as Legiões”?


O Senador vai apresentar, em seu dossiê, a denúncia de um Capitão, preso em uma unidade de elite do Exército, cujo advogado pede um hábeas corpus alegando que o detido sequer tem direito à alimentação digna, como a de qualquer preso comum. Segundo o Senador, “o militar em questão sofre perseguição por ter denunciado graves irregularidades dentro da Força, e seu caso merece uma atenção especial da Secretaria Nacional de Direitos Humanos”. O senador adverte a Dilma que o militar teria um dossiê em que comprova suas denúncias, o que pode render mais uma CPI contra o governo.

O Senador cobra de Dilma uma solução para o problema, “que parece ser mais de cunho gerencial do que exatamente de carência de recursos orçamentários”. O parlamentar vai além: ameaça pedir a abertura de “uma CPI para investigar o processo de sucateamento e lentidão no reaparelhamento das Forças Armadas, que, tirando questiúnculas ideológicas, ainda são responsáveis pela Defesa Nacional”. O senador também ameaça discursar ferozmente em plenário contra o governo, mobilizando os militares, caso seu pedido não seja atendido pela Presidenta.

O Senador adverte que “estamos à beira de uma crise militar sem precedentes, que pode reproduzir acontecimentos semelhantes aos ocorridos no Rio de Janeiro, em que heróis Bombeiros Militares foram arbitrariamente presos, pela justa reivindicação por melhores salários”. O Senador vai além: “Vossa Excelência não pode coadunar com a situação ridícula vivida por militares, servidores públicos federais, que não têm alimentação digna nos quartéis, sendo obrigados a passar fome ou a funcionar em regime de meio-expediente, como se a defesa nacional pudesse ser feita em horários intercalados, e não em mobilização por tempo integral”.

O documento mostra que militares de um dos destacamentos de elite do Exército são obrigados a se alimentar apenas com feijão, arroz e salsicha há duas semanas. É nesta unidade em que o Capitão, perseguido politicamente por superiores, está detido. Em outra unidade, que tem tropas de elite para ação rápida, a situação é ainda mais “russa”. Não há alimentos e o comandante dispensa a tropa em meio expediente – o que afeta completamente a finalidade do grupo, que tinha de operar em tempo integral.

O Senador cobra de Dilma uma solução urgente para o problema de falta de comida na tropa, ou virá a público denunciando detalhes da crise militar em gestação. Dependendo da reação de Dilma, quem tem chances de ser tirado do cargo é o ministro da Defesa, Nelson Jobim – que faz parte da lista de ministros herdados de Lula que ela preferia ter substituído quando assumiu. O problema também pode ser mais uma frente de desgaste de Dilma com o PMDB – que sustenta Jobim no cargo, porque o vice-Presidente Michel Temer será o coordenador do Plano Estratégico de Fronteiras.

Um comentário: