terça-feira, 30 de outubro de 2012

Economia à vista com o teleférico da Providência

30.10.2012
O DIA

Gôndolas já estão no Rio e devem começar a operar, em fase de teste, em dezembro. População do morro, que terá uma passagem de ida e volta gratuita, será treinada

Rio - Falta pouco para que 16 gôndolas austríacas mudem a paisagem do Centro do Rio. As cabines do teleférico da Providência já chegaram à cidade e, em dezembro, já estarão deslizando entre as três estações que vão encurtar a distância entre morro e asfalto.

O novo meio de transporte na favela só começa a funcionar para o público em fevereiro. À medida que a construção de R$ 40 milhões vai ultrapassando a altura das lajes, aumenta a expectativa dos moradores, que já sonham com o bolso mais folgado.

Atualmente, o sobe e desce do morro é feito por Kombis e mototáxis, que cobram de R$ 3 a R$ 5 ida e volta. “Moro na parte mais alta e gasto R$ 6 com Kombi todos os dias porque vou ao Centro duas vezes”, explica a comerciante Fernanda Moreira, de 35 anos, que poupará tempo também.
 
Guindastes gigantes ajudam a dar forma à Estação Providência, a mais alta das três paradas, e que vai virar mirante para a Baía de Guanabara
 
“Para subir de Kombi, levo quase 10 minutos. Com o teleférico vai ser menos da metade do tempo e vou ter a vista mais bonita da cidade”, comemora.

O preço da passagem ainda não foi definido, mas haverá uma gratuidade por dia de ida e volta para moradores da comunidade. Os 665 metros de extensão do teleférico serão divididos em três estações — Central do Brasil, Providência (na parte alta do morro) e Cidade do Samba (na Gamboa).

Nas paradas, haverá banheiros e lanchonetes. A estimativa de tempo de uma estação a outra é de um minuto e meio.
 
         As gôndolas, com capacidade para transportar 8 pessoas cada uma, já chegaram ao Morro da Providência

Visual de tirar o fôlego
“As pessoas não imaginam como a Providência é bonita de cima. Vamos barrar a beleza do teleférico do Alemão”, brinca o aposentado José Freire, 65 anos. Do alto de sua laje, em frente à estação mais alta do teleférico, ele se deleita com a paisagem da Baía de Guanabara, Ponte Rio-Niterói e todo Centro da cidade.

Vaivém de mil passageiros por hora

Mil pessoas serão transportadas por hora nas 16 gôndolas da Providência. As cabines, que podem levar até oito passageiros, são compostas de alumínio e acrílico, com assentos de madeira.

Em dezembro, quando as estações estiverem prontas, as gôndolas ficarão expostas para visitação pública e os moradores receberão treinamento sobre como utilizar o transporte.

“É como andar de escada rolante, logo as pessoas se acostumam. Não há risco de acidentes”, explica o secretário municipal de Habitação, Jorge Bittar.

Como todo transporte deficitário, sem arrecadação compativel com os custos, os sistemas de teleféricos tendem a degradação com o passar dos anos, sendo certo que é um meio de transporte que exige manutenção preventiva cuidadosa.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário