segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O ultimo dia do ano


 
Chegou o final de 2012. E com ele uma nova esperança no coração dos Brasileiros de bem, a esperança que nem tudo está perdido e que havemos de resgatar valores que julgávamos perdidos.
O blog “rvchudo” completa dois anos de sua primeira postagem, junto com minha iniciativa de participar de manifestações de rua reivindicando DIGNIDADE e RESPEITO para os militares do Estado do Rio de Janeiro. Vi um movimento que começou timidamente, com pouco mais de uma dezena de militares, na maioria Bombeiros, que foram chamados pelo governo de “meia dúzia de gatos pingados”.

Movimento que em pouco tempo se tornou mais de 6.000 participantes, culminando na “invasão” do QG CBMERJ.


Neste dia, vi que o governo do Estado do Rio de Janeiro, com ajuda dos Comandantes Militares, pode ser mais criminoso que as quadrilhas que infestam este Estado, facilitando o cometimento de um suposto crime e após rechaça-lo com um fulminante ataque de uma Força Especial da PMERJ e, com uso de bombas e armas de guerra. Centenas de um universo de milhares foram presos e acomodados em situação humilhante.



O movimento cresceu e chegou a mais de 35.000 participantes em Copacabana, com janelas dos prédios mostrando que a população estava apoiando os Bombeiros Militares em sua luta.





Mas veio a ideia da greve, uma greve que não aconteceu. Novamente o governo do Estado, usando de ilegalidade, prende seus militares em unidade prisional em desconformidade com o que a Lei preceitua. Dezenas foram excluídos e centenas estão ainda sob a “tutela” de Conselhos de Disciplina e de Justificação, como um trunfo a ser usado pelos comandos.



Não me detalhando muito, pois seria extenso, também me engrandeci como pessoa. O aprendizado foi grande. O blog no inicio publicava matérias pertinentes ao Direito Administrativo, buscando difundir a informação, matéria tão carente no meio militar do Estado do Rio de Janeiro. O hábito da escrita diária corrigiu, pelo menos em parte, o raciocínio e a grafia, há tanto tempo “atrofiados” pela vida na caserna.

Tive minhas referencia que também seria muito extenso citar neste texto, mas, o Coronel e Cidadão Paulo Ricardo Paúl com seu espírito de lutas, meu contemporâneo de EPCAr Jefferson W. dos Santos com sua refinada “idiossincrasia” e requintada escrita, e Jeff Castro com seus textos recheados de sarcasmo, tiveram grande influencia, aos quais agradeço muito.
 
Contabilizei perdas, muitos se foram, seja por doença ou por terem a vida ceifada de modo cruel e covarde.



Mas de tudo ficou um saldo positivo, os Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro resgataram suas merecidas condições de cidadãos, sendo certo que o custo foi alto e muitos ainda estão excluídos de sua Corporação. Mesmo assim continuam a serem BOMBEIROS, tendo um excluído ajudado no resgate de seus antes companheiros quando da queda do helicóptero da Corporação durante um resgate.
Mesmo com efetivo bem inferior ao da PMERJ e com uma minoria votando no Município do Rio de Janeiro, elegeram seu representante na Câmara Municipal, mostrando que estão unidos em suas causas.


A PMERJ, embora com um efetivo quatro vezes maior, nada conseguiu, somente mostrar desunião e leniência aos acontecimentos. Anestesiados por temporárias gratificações, estão a ver o tempo passar, esquecendo que em breve estarão na Reserva ou na Reforma.
Como “nunca antes na história deste País”, vimos o STF condenar criminosos que se reuniam para “saquear” verbas que poderia estar sendo usadas para amenizar a dor e o sofrimento de cidadãos desta Nação. Sei que AINDA não estão presos, mas, o saldo é positivo e, ao contrário do que todos imaginavam, estão condenados. Isto se perpetuará na história.


Portanto, é tempo de nos rejubilarmos e agradecer a Deus por tudo que nos reservou. Pedir forças e ânimo para continuar em 2013 o que não está terminado, afastando de vez da direção desta Nação tão grande e rica, os maléficos administradores que não medem esforços em ver o povo condenado à miséria e à morte pela falta dos serviços que foram pagos por todos nós e que vão para destinos indevidos, os quais já foram bastante noticiados para causarem uma REVOLUÇÃO das pessoas de bem. Todos agora são motivo de chacotas e vistos como verdadeiros bandidos que são.
 
Feliz 2013 aos leitores do blog “RVCHUDO”, que a Paz de Deus esteja conosco para mediar e saber promover as ações que precisamos.

domingo, 30 de dezembro de 2012

Soltando a franga contra a Justiça?

Por Jorge Serrão - serrao@alertatotal.net

Todo mundo sabe que a Justiça não funciona direito no Brasil. Os motivos são variados: excesso de regramentos, lentidão processual, muita burocracia, visão autoritária de muitos magistrados, rigor seletivo praticado por alguns membros do Ministério Público, enorme possibilidades de recursos que protelam a sentença final das ações, penas que não punem eficazmente e prisões medievais que, além de não recuperar ninguém, ainda servem para “aprimorar” os criminosos.


Legal é quando o sistema é criticado por um de seus operadores. O ex-ministro da Justiça de Luiz Inácio Lula da Silva e um dos mais famosos e caríssimos advogados criminalistas do Brasil resolveu soltar a franga contra o Judiciário. Márcio Thomaz Bastos escreveu um artigo no site Consultor Jurídico para reclamar da "degeneração autoritária de nossas práticas penais". Estrategista da defesa de muitos réus do mensalão (mesmo sem aparecer oficialmente), Bastos protestou que a "tendência repressiva passou dos limites em 2012".

Curioso é que o texto de Bastos fez referência a pensadores idolatrados pela esquerdinha mais radicalóide. O criminalista usa o italiano Antonio Gramsci (1891-1937) e o filósofo francês Michel Foucault (1926-1984) como fontes de inspiração para convocar advogados a responderem ao "espírito vigilante e punitivo exacerbado no ano que passou". Bastos foi incisivo ao se queixar do "sentimento de desprezo pelos direitos e garantias fundamentais" que age "à sombra da legítima expectativa republicana de responsabilização".

Sem citar o Supremo Tribunal Federal, Márcio Thomaz Bastos dirigiu sua crítica diretamente aos ministros que condenaram réus do mensalão com base na teoria do “domínio do fato” – uma tese de juristas alemães. Bastos aproveitou para alfinetar a turma do STF, com sua tese: "A disciplina da persecução penal não pode ser colonizada por uma lógica estranha, simplesmente para facilitar condenações".

Foi fazendo tamanho malabarismo verbal que Bastos rejeitou a "tendência a tornar relativo o valor da prova necessária à condenação criminal". O criminalista ainda alfinetou que, "quando juízes se deixam influenciar pela 'presunção de culpabilidade', são tentados a aceitar apenas 'indícios', no lugar de prova concreta". Bastos complementou: "Não é de hoje que o direito de defesa vem sendo arrastado pela vaga repressiva que embala a sociedade brasileira". E fechou o raciocínio com uma pérola digna do pensamento radicalóide petista: "Quanto mais excepcionais os meios, menos legítimos os fins alcançados pela persecução inspirada pelo ideal jacobino da 'salvação nacional'".

Os argumentos ficam muito bonitinhos no papel. O palavreado se transforma em adereços de Carmem Miranda para enfeitar uma pretensa tese que em nada contribuiu para o combate à impunidade no Brasil. Bastos é um dos aproveitadores de nossa insegurança do Direito. Ganha muito dinheiro defendendo quem tem muito dinheiro e investe no desrespeito à Lei e à Ordem. Como ex-ministro de um dos governos mais corruptos de nossa História, agiria com mais ética se fizesse como um avestruz – enfiando a cara em um buraco, de tanta vergonha.

Como o Judiciário está de férias, as pessoas sérias darão pouca bola a Thomaz Bastos.

Fonte: Alerta Total

Texto do criminalista Marcio Thomaz Bastos

"Vigiar e punir" ou "Participar e defender"?
"O advogado criminalista é, antes de tudo, um cidadão. Agora é convocado a exercer ativamente a sua cidadania para evitar uma degeneração autoritária de nossas práticas penais, para além da luta cotidiana no processo judicial."

Manifestações em redes sociais dão resultado, imaginem se formos para as ruas.


Brasileiro compra Uno no País por preço de Civic na Europa

"Enquanto um Honda Fit financiado em uma concessionária brasileira custa US$ 37 mil, o mesmo veículo custa cerca de US$ 20 mil nos Estados Unidos. Na vizinha Argentina, o Fit financiado custa US$ 23 mil, conforme apurado pela CSM South America."

Fonte: Uno no Brasil

Senadora pede explicações sobre preço e segurança dos carros nacionais (vídeo)21/11/2012

A senadora Ana Amélia (PP-RS) está pedindo explicações sobre o alto preço dos carros nacionais em relação ao mercado internacional.

Além disso, ela quer também explicações sobre a questão de segurança dos carros feitos na região, cujo nível é bem inferior ao dos mercados maduros. Ana Amélia conseguiu aprovação para uma audiência pública para esclarecimento desses pontos ao contribuinte nacional.

A audiência deverá contar com a presença de ministros da Fazenda, Desenvolvimento e Comércio, Ministério Público Federal, Anfavea e especialistas do setor.

O tema principal será a composição dos preços dos carros nacionais. Além disso, será debatida a falta de incentivos para carros híbridos com etanol e elétricos.

Ela também cita, no vídeo abaixo, artigo sobre a falta de uma montadora brasileira e a falta de inovação e pesquisa centralizadas no Brasil, já que as montadoras são filias e seus P&D globais ficam nas matrizes.

A data do encontro ainda será definida pela comissão responsável no Senado. Vai ser realmente explicado o motivo do alto preço do carro brasileiro? Vamos esperar para ver.

Fonte: Noticias Automotivas

Dr. Automóvel: O preço dos carros nacionais
Na íntegra: JCNET

Na semana passada, uma reportagem feita pela revista Forbes (especializada em economia internacional e que publica uma lista das maiores fortunas do planeta) por um jornalista sediado no Brasil, causou uma grande repercussão em todo o mundo. Ele fundamentou sua reportagem criticando o alto preço dos carros no Brasil, que são usados aqui como símbolos de status enquanto que lá fora os mesmos modelos são quase que de entrada.

Nossos carros são simples, se comparados com seus equivalentes no mundo. Mesmo assim, seus preços são altos devido à estúpida carga tributária que incide sobre toda a cadeia produtiva da indústria automobilística, aí incluídos as montadoras e seus fornecedores diretos e indiretos. Os impostos brasileiros chegam a mais de 46% do valor final de cada veículo, em média, enquanto que nos Estados Unidos beiram os 6%. Isto só já gera uma grande diferença no preço final do veículo, agravada pela diferença de poder aquisitivo entre o trabalhador brasileiro e o americano. Lá, o juro básico é muito próximo de zero, enquanto que aqui...

Com essa mentalidade, nunca mudaremos nada para melhor neste País. A massa acha tudo bonito, não reclama de nada e continua votando em tranqueiras em troca de promessas vazias e cerveja gelada. A elite acha tudo normal, faz questão de manter seus privilégios e copia tudo, independentemente de fazer sentido ou não. Um ou outro um pouco mais crítico mete a boca no status quo, mas sua voz se perde na multidão. Os impostos continuarão a comer grande parte de nossos salários, forçando-nos a trabalhar mais para conquistar menos. Como ninguém reclama, (digo reclamar no sentido de não comprar, boicotar um fabricante ou adiar uma compra até o preço baixar), as montadoras continuam a cobrar o que querem e ter lucros excessivos, tanto é que suas matrizes no exterior estão deficitárias e as filiais locais mandam recursos como “remessa de lucros” continuamente. Se o brasileiro pensar mais e adiar a troca de seu veículo por um mais novo até que o preço do carro novo caia e o custo do financiamento baixe de forma significativa, os bancos e as montadoras terão que se adequar ou o estoque ficará no pátio. Pena que o brasileiro só é patriota em copa do mundo, e isso se a seleção ganhar, né?

Pois bem, no ano de 2012 atentamos para o fato de sermos enganados ("roubados") pelo governo e montadoras no que tange aos preços dos veiculos nacionais. Os carros, além de menor qualidade, custam até o dobro de seu "similar" Top de linha vendido na Argentina e no México.

Uma corrente, mesmo que temporária, chamou a atenção da Senadora Ana Amélia (PP-RS) que iniciou debates sobre a questão.

"Para a senadora Ana Amélia (PP-RS), é possível reduzir os preços dos veículos para os consumidores reduzindo a margem de lucro das montadoras e alterando a chamada Lei Ferrari. A conclusão foi apresentada no plenário do Senado, nesta quarta-feira (5), quando a progressista gaúcha comentou a audiência pública realizada pela manhã para esclarecer as razões para os altos preços dos automóveis no Brasil."

Representantes da Anfavea não compareceram ao debate proposto pela senadora Ana Amélia.

Fonte: Audiência Pública

Os resultados aparecem e as ações e protestos tiram os Parlamentares da inércia em que estão. A ausência da Anfavea nos debates aponta para a falta de explicação sobre seus lucros e mostra que não é só a carga tributária que encarece o valor dos automóveis no Brasil.






Impasse atrasa ainda mais obra da Transnordestina

Sergio Torres/ENVIADO ESPECIAl SALGUEIRO(PE)
O ESTADÃO/SP

Controlada pela CSN, concessionária quer R$ 8,2 bilhões, quase o dobro da estimativa inicial; ferrovia só deve ficar pronta em 2015.

Prevista para funcionar a partir de 30 de dezembro de 2014, penúltimo dia da gestão da presidente Dilma Rousseff, a ferrovia Transnordestina não será inaugurada antes de 2015. A obra, iniciada em 2006, entrou em ritmo ainda mais lento neste segundo semestre, a partir do acirramento de um impasse financeiro já antigo entre o governo federal e a concessionária Transnordestina Logística S/A (TLSA).

Na assinatura do protocolo de intenções em 2005, foi anunciado que a ferrovia custaria R$ 4,5 bilhões. As obras começaram em julho do ano seguinte. Em 2008, já havia um novo preço firmado em contrato: R$ 5,4 bilhões. A TLSA vem alegando que esse valor, em razão de contratempos surgidos no decorrer da obra, está subdimensionado.

A concessionária quer agora R$ 8,2 bilhões. Sem esse aporte financeiro adicional, a TLSA argumenta que não haverá meios de entregar a Transnordestina completa a tempo de ser inaugurada por Dilma. A ferrovia é uma das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A solicitação da TLSA, controlada pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), não é bem vista pelo governo. A concessionária quer que o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE), que já banca 50% dos recursos (R$ 2,7 bilhões), aumente a participação.   


O fundo regional é gerenciado pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB), que recusou-se a divulgar os valores até agora liberados para a construção da ferrovia. Também envolvido no financiamento da ferrovia, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) contribuiu com R$ 900 milhões, já liberados.

O governo resiste a dar o dinheiro requerido pela concessionária e insiste que a obra deve ser inaugurada ainda no governo Dilma. Mas deu à CSN a possibilidade de obter empréstimos nas instituições públicas.
"Para que os trabalhos da Transnordestina não sejam interrompidos, o governo federal, através da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) e do BNB, autorizou a obtenção de empréstimo, por parte da Transnordestina Logística S.A, o que permitirá que as frentes de trabalho continuem mobilizadas e o cronograma das obras não apresente maiores postergações", informou em nota o Ministério da Integração Nacional, sem revelar os valores dos empréstimos.

A ferrovia foi planejada para levar até os portos de Pecém (Ceará) e Suape (Pernambuco) a produção agrícola do cerrado do Piauí, especialmente soja. A linha férrea partiria da cidade piauiense de Eliseu Martins até Salgueiro, no sertão pernambucano. No município, a Transnordestina se dividiria. Um braço seguiria até o litoral pernambucano. Outro, dobraria à esquerda no rumo norte, até a costa cearense.

A primeira previsão é de que a ferrovia, no trecho Piauí-Pernambuco, seria inaugurada em 2010, ao final do segundo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O trecho Piauí-Ceará ficaria pronto em 2013.

Nada disso aconteceu. Foi dado um novo prazo, 2012, que se encerra sem que a obra tenha alcançado nem sequer 20% do trajeto. A nova previsão passou a ser dezembro de 2014. Embora faltem dois anos, o prazo não será cumprido, de acordo com avaliações reservadas tanto do governo quanto das próprias CSN e TLSA. Só falta tornar isso público.

De interesse estratégico para o governo, a ferrovia é vista como um futuro polo indutor de progresso de uma região cronicamente problemática, caracterizada pela pobreza de sua população, pelo ainda presente êxodo para as regiões metropolitanas, e sempre sujeita a secas muito intensas, como a que já dura dois anos.

A soja produzida no cerrado do Piauí chega hoje aos portos de exportação em carretas que circulam na maioria das vezes por estradas em péssimo estado de manutenção. A Transnordestina resolveria esse problema logístico, ao entregar a carga nos terminais portuários de maneira bem mais segura, econômica e ambientalmente limpa.

A previsão da safra de soja do Piauí em 2013 é de 1,48 milhão de toneladas, 17% a mais do que o registrado neste ano. Estão plantados 101,4 mil hectares dos 506,8 mil destinados até agora ao cultivo do grão nesta nova fronteira agrícola brasileira.

Nas negociações com o governo, CSN e TLSN argumentam, na tentativa de obter mais financiamentos públicos, que a ferrovia é fundamental para o desenvolvimento do interior do Nordeste, para o crescimento expressivo das exportações e para a entrada no País do dinheiro obtido na venda da soja no mercado externo. E que, apesar dessa importância, o retorno para o investidor é muito baixo em um primeiro momento. O lucro, se vier, será a longo prazo, dizem executivos da companhia encarregados das discussões com o governo.


Num governo enlameado de denuncias e condenações de corrupção, tudo isso é muito suspeito. Nenhuma obra obedece ao orçamento planejado, ficando muito além do previsto. E como se não bastasse, usam as intenções do governo para pressionar liberação de recursos.

sábado, 29 de dezembro de 2012

A verdade da mentira

Jornal do Brasil
Thelman Madeira de Souza*
Após uma sucessão de escândalos, envolvendo cardeais petistas, o PT prepara um grande ato de desagravo a Lula para o próximo ano. Essa manifestação poderá se transformar numa defesa da legenda, na forma de um movimento de rua, o que nos obriga a criticar o petismo, na sua origem e trajetória, e a identificar algumas razões do seu atual desgaste moral.

Na sua criação, o PT viveu o dilema de seguir uma linha transformadora da realidade nacional, próxima às tradições históricas do movimento operário e da esquerda brasileira, ou de adotar os valores do socialismo democrático, fora do viés marxista e coonestador do status quo, com base na falácia de uma democracia de base. Prevalecente a segunda hipótese, partiu-se à procura de um discurso e de um programa, capaz de garantir um futuro governo de cunho democrático-popular, uma redundância típica da linguagem neoliberal, fora do vocabulário da esquerda autêntica.

Com a forte inserção da expressão democrático-popular, na cultura petista, fica claro que o PT surgiu para preservar a democracia burguesa e jamais para lutar pela soberania nacional. Nascia, assim, mais um agrupamento político disposto a cumprir o papel de amortecedor da luta de classes, até porque o PT nunca entendeu a natureza classista do Estado.

Consciente do seu papel reformista, na sociedade brasileira, o PT vai à luta, através das caravanas da cidadania, onde um operário, sem formação político-ideológica, um mero palanqueiro de discurso vazio, conta uma história triste de retirante e leva uma mensagem demagógica de cidadania plena e sindicalismo de conciliação. Desse modo, Lula, o metalúrgico, consolida o seu nome no cenário nacional, diga-se de passagem, com o aval da classe dominante, ao mesmo tempo em que é estimulado a participar da corrida presidencial.

E é a partir desse ponto que começa a derrocada do PT, quando, na ânsia de fazer de um trabalhador presidente da República, vende a alma ao diabo, desconhecendo que o coisa-ruim, esperto por natureza e experiente por ser muito velho, seria capaz de enganar até os mal-intencionados. Depois do acerto, como era de se esperar, restou ao PT colher apenas os frutos amargos da própria desmoralização. Metáfora à parte, o Partido dos Trabalhadores fez, na realidade, uma aliança espúria com a nossa elite, gananciosa e insensível, da qual se diz vítima nos dias de hoje. Ao pactuar com a burguesia nacional, em nome de uma futura governabilidade, o PT abre mão até do seu programa reformista, dentro das balizas do regime capitalista, através de um documento de capitulação explícita, a Carta aos Brasileiros, de modo a garantir a eleição de Lula, já derrotado por três vezes. Dessa maneira, o discurso progressista do PT, em defesa dos trabalhadores em geral e dos servidores públicos é jogado na lata do lixo, enquanto se firma o compromisso da continuidade da política econômica de FHC.

Eleito Lula, com o beneplácito de banqueiros, grandes empresários e latifundiários, ganha espaço a pregação neoliberal, em prejuízo da nossa soberania. Prosseguem as privatizações, a reforma perversa da previdência social e o desmantelamento do Estado brasileiro. Nessa fase, entram em cena governantes decadentes, profissionais da política malandra e operadores de coisas escusas, todos unidos em torno dos seus interesses particulares, pouco importando o interesse nacional. Esse desvio de conduta moral só poderia resultar no mensalão e suas subespécies, que já começam a infestar o governo Dilma. Dez anos de governos petistas nos autorizam a dizer que vivemos sob a égide do binômio corrupção/entreguismo, para a vergonha nacional. Enquanto as maracutaias se multiplicam, não se faz a reforma agrária e privatizam-se as rodovias federais, os serviços públicos de saúde e aeroportos.

Infelizmente, os responsáveis por todos esses malfeitos à nação brasileira, para usar uma linguagem em voga, vivem no mundo petista da aparência, onde se nega a realidade dos fatos, com afirmações superficiais do tipo "não vi, não sei, fui traído, fui apunhalado na calada da noite" etc. Ao refutarem a obviedade das denúncias, os dirigentes petistas trabalham com a mentira. Mentem tanto que, para eles, a verdade é a verdade da mentira.
*Thelman Madeira de Souza é médico.

O papel da imprensa nas ações policiais


Sabemos o quão nefasta são as ações da imprensa em diversos acompanhamentos de ocorrências policiais, suas câmeras estão focadas sempre num possível ângulo que possa lhes render matéria a ser explorada.  Para isso, nada mais significativo do que uma foto com sua versão deturpada sobre o ocorrido, a verdade “distorcida”.
Em caso recente vimos o registro fotográfico de um policial militar usando o spray de pimenta contra uma cadela agressiva. Sem pormenorizar os fatos, o Jornal O GLOBO, irresponsavelmente fez alusão somente a imagem, sem fazer o devido comentário sobre o que realmente aconteceu. O policial foi execrado nas redes sociais e condenado por seus comandantes. Mas no fim a Justiça se fez presente, mostrando que a cadela se mostrava agressiva com todos no local, justificando a ação do policial militar.


O soldado da Polícia Militar do Rio de Janeiro que borrifou spray de pimenta em um cão na favela da Rocinha, na zona sul da cidade, em maio deste ano, foi absolvido pela Corregedoria da corporação. A conclusão do processo administrativo disciplinar é de que o agente agiu em sua própria defesa, já que o animal ameaçava mordê-lo.”
Fonte: UOL

Em outro caso recente, vimos uma “jornalista” amadora, paga para captar imagens distorcidas da realidade, provocando confusão durante o evento. Bem, ela está qualificada como jornalista, mas será que é de fato?

Só as imagens com a reação do policial foram divulgadas, mostrando a parcialidade destes profissionais que usam a “profissão” para denegrir a imagem do policial e assim alcançar mérito quer não possuem.
 
Para toda ação existe uma reação e toda a sequencia deve ser mostrada. Certamente o policial é humano e quando sua pessoa é atacada com palavras indevidas, claro que haverá uma reação. Ai é o momento que os “profissionais” desqualificados aguardam ansiosamente.

No mundo todo o profissional de imprensa sempre esteve presente em ações de guerra e de conflitos armados, se tornando elemento indispensável na divulgação do ocorrido.
“pô, se o Zé Hamilton não tivesse pisado naquela mina e perdido a perna, ele teria sido apenas mais um correspondente de guerra desconhecido, e hoje, talvez, eu nunca teria ouvido falar dele. Ou até teria, mas não ao ponto de me interessar em ler um livro seu...”.



A perna em tirasO relato que se segue é seu: "Ouço uma explosão fantástica... uma cortina espessa de fumaça bloqueou-me toda a visão... foi aí que senti a perna esquerda. Um segundo após me senti sentado... os músculos repuxavam para a coxa com tal intensidade que eu não me equilibrava sentado... levei as minhas mãos para "acalmar" a minha perna... e foi então que a vi em pedaços. Depois do joelho, a perna se abria em tiras, e um pedaço largo de pele retorcido estava no chão... não sei o que aconteceu, pois a consciência me fugiu. A agonia, que deve ser atroz, de se sentir no meio do mato, esvaindo-se em sangue, enquanto o socorro não chega, essa agonia eu não passei".
Fonte: Portal Imprensa

Pois bem, no Rio de janeiro o cenário de enfrentamento se assemelha a uma guerra, uma guerra sem respeito às pessoa, onde meliantes fortemente armados não medem seus atos e consequencias, alvejando inocentes nas comunidades com o intuito de interromper as operações políciais e até inflamar a população para que culpe a policia. Jornais e jornalistas sem o minimo de ética, exploram estas situações para se promoverem e vender seus jornalecos. Tudo para uma sociedade débil, sem conhecimento e capacidade de raciocinio que alimenta estas porcarias de informativos que, desmerece o profissional habilitado, enaltecendo o marginal que não tem regras.

Mas uma nova mentalidade de jornalismo está a aparecer, aquele que divulga a realidade, se expõe aos riscos da profissal policial. Mesmo sem a adequada capacitação estes profissionais vão ao "front" registrando o quão desigual é o confronto, onde meliantes fortemente armados e sem regras enfrentam as forças policiais que têm a lei como seu objetivo maior. Eles tambem morrem pelo dever de bem informar.

                                               Gelson Domingos fazia a cobertura jornalística da operação policial quando foi baleado

"A vítima ainda foi levada para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Santa Cruz, mas não resistiu ao ferimento e já chegou morta ao local. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, o corpo do cinegrafista foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML).

Em nota, a TV Bandeirantes informou que Gelson estava com colete à prova de balas, um modelo permitido pelas Forças Armadas, usado pelos profissionais da emissora em situações de risco. O cinegrafista, no entanto, foi atingido por um tiro de fuzil que atravessou o colete.
Segundo repórteres que estavam no local, antes de ser baleado Gelson avistou um homem correndo com um fuzil na localidade conhecida como rua do Valão. Ele procurou proteção junto a uma árvore, começou a gravar, mas foi atingido por um disparo."
Fonte: IG

"Gelson Domingos, que também trabalhava na TV Brasil, usava um colete à prova de balas, mas o projétil ultrapassou a proteção. Para a presidenta do sindicato, Suzana Blass, a morte do cinegrafista foi uma tragédia anunciada, porque os coletes fornecidos pelas empresas de comunicação não resistem a tiros de fuzil. Ela disse que o sindicato pode recorrer à Justiça para obrigar a Bandeirantes a amparar a família de Domingos." Fonte: IG



Para estes jornalistas sérios um curso está sendo preparado por alguem com competencia para tal.

Gostaria de informar que sou o responsável pelo Curso para Jornalistas atuarem em Área de Alto Risco.
Sou formado em Jornalismo na Espanha, onde atuei com o CNP Polícia espanhola) contra o terrorismo da ETA por 10 anos, em SP no Aqui Agora, Cidade Alerta e Brasil Urgente, passando pela Bahia como correspondente da Record, 2 anos na inteligencia da SSP-BA e hj completando 2 anos no RJ pela Record.
Nas fileiras de ensino do TREINO estão o CEL Amendola (criador do BOPE), o SGT Lago (Rota SP) e alguns Caveiras do BOPE RJ e CHOQUE.
O Objetivo do curso sera preparar os profissionais da imprensa e estudantes de jornalismos do que devem ou Ñ fazer em situações de risco; como devem atuar em ocorrências policiais e desastres.
Alex Dias


Muitos policiais, principalmente militares são contra o acompanhamento de jornalistas em suas ações, sei que existem os maus jornalista, que procuram imagens sensacionalistas para se promoverem e aumentar a venda de seus "jornalecos". Mas este curso aponta um diferencial, o preparo dos bons profissionais de imprensa para exercerem seu trabalho com a devida segurança e uso dos equipamentos de proteção adequados à realidade do Rio de Janeiro.

A iniciativa deve ser aplaudida e incentivada e não ser objeto de comentários depreciativos por parte dos policiais, que alegam ser mais um corpo a carregar. Critiquem a sua Corporação o abandonará quando ferido e incapacitado para o serviço policial.






TJ-RJ tentou prorrogar contrato com a Locanty

28/12/2012
Jornal do Brasil
Luciano Pádua

As denúncias contra a Infornova Ambiental, antiga Locanty Comércio e Serviços, flagrada ao fazer contratos fraudulentos com a Administração Pública em março deste ano, continuam surtindo efeito. Desta vez, as consequências serão sentidas pelos funcionários da empresa locados no Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), que não estão recebendo seus pagamentos e benefícios por conta das dificuldades financeiras da companhia. No caso, os cerca de 300 servidores da Locanty que trabalham na Diretoria Geral de Gestão do Conhecimento (DGCON) e no Arquivo Central do Tribunal.

Na época, o TJ-RJ havia informado que ficaria vedada a prorrogação dos quatro contratos com a Locanty, bem como a realização de novas licitações para novas contratações. Apesar disso, o Tribunal ainda tentou renovar o contrato com a Infornova Ambiental em outubro deste ano, conforme consta no Diário da Justiça do Estado do Rio de Janeiro (DJERJ). 
 
Sem sucesso na renovação, o vínculo foi encerrado em dezembro e os prestadores de serviço foram convocados a passar para um novo contrato - emergencial - sem garantias de que receberiam as pendências, como os salários de novembro, dezembro, férias e encargos trabalhistas. O contrato para a área havia sido firmado em agosto de 2010, com valor de R$ 13 milhões.

Trecho do Diário de Justiça do Estado do Rio de 4 de outubro. No terceiro parágrafo fica exposta renovação do contrato com a Infornova Ambiental.
O imbróglio aconteceu da seguinte forma: o Tribunal lançou edital para um novo contrato na área, cuja sessão de abertura estava marcada para o dia 30 de agosto. Curiosamente, no dia 31, foi publicado no DJERJ que a sessão estava suspensa sem previsão para ser remarcada. No dia 24 de setembro, o TJ-RJ decidiu revogar a licitação. Segundo uma fonte, no dia do pregão, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) teria entrado com uma ação para impugnar o edital, alegando que as funções no DGCON devem ser exercidas por serventuários concursados, e não por terceirizados. Com isso, tanto o pregoeiro quanto os empresários que concorriam à licitação foram pegos de surpresa. Procurado, o TCE ainda não confirmou a informação.

Renovação com novos valores
Sem uma nova licitação para o serviço, o Tribunal optou por renovar o contrato com a Infornova, repactuando os valores para os próximos dois anos, cifra que gira em torno de R$ 16 milhões. No entanto, o Tribunal exige que a empresa disponibilize um caução de 5% do valor total do contrato a ser firmado, cerca de R$ 800 mil. Sem conseguir apresentar esta contrapartida, o contrato foi encerrado.

Na segunda-feira (17), a Infornova informou, em comunicado obtido com exclusividade pelo Jornal do Brasil, que os servidores teriam de se apresentar na quarta-feira (19) na sede da empresa, em Duque de Caxias, para serem realocados em outros contratos. Segundo o próprio documento, o contrato com o TJ-RJ foi encerrado no dia 16 de dezembro. "Eles convocaram todos para assinar com esta nova empresa, mesmo sem estar recebendo pelo trabalho que já fazem", disse um funcionário.

Preocupa também o relato de outro terceirizado. Segundo ele, que já prestava serviço na área do TJ-RJ antes de 2010, a Infornova não fez treinamento, ou qualquer mudança no ritmo de trabalho, quando houve a troca na empresa contratada para o serviço no DGCON, em 2010. Ainda de acordo com a fonte, toda a intermediação com a empresa era feita por servidores do TJ-RJ:
"Nunca tivemos nenhum contato com a Locanty. Toda a intermediação era feita com os funcionários do TJ-RJ. Inclusive isso ficou mais evidente quando começamos a reclamar nossos direitos. Qual a validade de (a Locanty) estar ali? Não sei. Só tem justificativa para quem está levando esse dinheiro, nesse contrato e em outros que a gente não sabe", desabafou.

Demissão em massa
Além disso, cerca de 100 terceirizados da Infornova locados nesse contrato fizeram uma denúncia na sexta-feira (14) no Ministério Público do Trabalho da 1ª Região (MPT-RJ). No documento, eles informavam que a empresa encerrou o contrato com o Tribunal sem pagar os salários de novembro, a parcela do 13º salário, além de não dar baixa na Carteira de Trabalho.

A denúncia foi recebida pelo MPT e virou uma representação, distribuída na terça-feira (18) para o procurador do trabalho Marco Antonio Sevidanes da Matta. Segundo o texto, eles continuavam prestando o serviço no TJ-RJ sem saber qual seria seu futuro.

Segundo o relato de um funcionário, quando estas pessoas chegaram ao trabalho na segunda-feira (17), foram comunicadas que não seriam repassadas para o novo contrato, e teriam que resolver suas pendências com a Locanty.

Os funcionários ainda afirmam que o Tribunal teria buscado manter o vínculo com a empresa. "Estamos em outubro, por que estão levando isso adiante até dezembro? Porque só agora saiu esse contrato emergencial?", questionaram. "Tem pessoas que são contratadas em Itaipava e Rio Bonito. Como vão sair de lá para ir a Duque de Caxias? E ser realocado em novo contrato, onde?".

Procurado pela reportagem do Jornal do Brasil, o Tribunal de Justiça do Rio não respondeu aos questionamentos.
 

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Para Dilma, é ridículo falar em racionamento de energia

27 de dezembro de 2012
VERA ROSA E TÂNIA MONTEIRO - Agencia Estado
BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff admitiu novos riscos de interrupção de energia elétrica, mas rejeitou o termo "apagão". Dilma disse que os cortes de luz são provocados, na maioria das vezes, por falha humana e afirmou que o maior problema é a demora no restabelecimento da energia. Em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto nesta quinta-feira, a presidente definiu como "ridículo" o comentário de que o Brasil pode sofrer racionamento.

"Quando falarem para vocês que caiu um raio, vocês gargalhem", disse Dilma aos repórteres. "Raio cai todo dia nesse País, a toda hora. Raio não pode desligar sistema. Se desligou, é falha humana. Não é sério dizer que a culpa é do raio. A nossa briga é para impedir que, quando o raio cai, o sistema pare."

Dilma também atribuiu a "falha humana" a falta de luz que atingiu, na noite passada, o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. "O sistema elétrico do Galeão inteiro terá de ser trocado. No Rio de Janeiro, sempre que a temperatura passa de 40 (graus), a Light tem problema."

Para a presidente, o sistema elétrico tem de ser "implacável" com as interrupções. "Não podemos aceitar conviver com isso", insistiu. Ela afirmou, ainda, que o governo investirá na manutenção da rede, em 2013, e lembrou que, antigamente, todos os recursos eram destinados somente à transmissão e à geração de energia por falta de verba. "Não tinha dinheiro, não tinha tarifa. Você faz o quê? Não tem mágica. Agora vamos fazer as duas coisas porque temos dinheiro. É bastante recente que voltamos a investir em hidrelétricas", comentou, citando as usinas de Santo Antônio e Jirau.

A presidente usou, ainda, uma expressão mineira para dizer que o Brasil tem condições para aplicar a verba nessa área. "Estamos saindo (da fase) da mão para a boca", disse. "Acho ridículo dizer que o Brasil corre risco de racionamento."

Falácia
Sem citar diretamente a polêmica travada com o PSDB por causa da redução do preço da luz, Dilma afirmou ser "uma falácia" dizer que seu governo queria romper contrato com as concessionárias de energia. Empresas de Minas Gerais, São Paulo e Paraná - Estados comandados pelo PSDB -, além de Santa Catarina, recusaram o acordo proposto pela presidente sobre renovação de concessões e diminuição da tarifa, sob a alegação de que o governo queria romper contratos e fazer "cortesia com chapéu alheio".
"Este País não rompeu contratos", disse Dilma. "Isso é uma falácia. Não há nenhuma obrigação de renovação", completou, em referência ao acordo com as concessionárias de energia.

Sim, tudo culpa de "falha humana". Principalmente dos incompetentes (corruptos) no governo e nas agências reguladoras.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

"Viva Belo Monte"

Ar condicionado insuficiente no Santos Dumont incomoda até global

Regina Duarte reclamou do calor, criticou estrutura de energia e disse: "Viva Belo Monte"



Jornal do Brasil
Henrique de Almeida

"Viva Belo Monte! Essa é a prova de que precisamos de uma nova estrutura em energia. Do jeito que está, não está dando".
A frase acima é da atriz Regina Duarte, dita na manhã desta quinta-feira(27) no segundo andar do Aeroporto Santos Dumont. A atriz, mesmo suando muito, até brincou com a situação:"Daqui a pouco acaba a energia no Projac, e eu vou ficar desempregada", brincou a atriz, antes de sair em direção ao desembarque.Apesar da volta do funcionamento do ar condicionado no local, famosos e anônimos sofreram com o forte calor na cidade.




O pessoal reclama direto sobre o calor. Apesar de ter voltado a funcionar, tem horas que não parece. Está complicado", disse um funcionário de uma companhia aérea, que preferiu não se identificar.




Já uma passageira, Cláudia Duarte dos Santos, de 44 anos, suava em bicas e falou pouco sobre o assunto. "Está muito calor!!", disse ela.

Apesar do incômodo, funcionários garantiram que a situação está bem melhor do que há alguns dias, quando a temperatura dentro do aeroporto era, segundo eles, "insuportável".


 

Última sessão da Câmara no ano termina em vaia durante o Hino Nacional

Jornal do Brasil
Luciano Pádua


A última sessão da Câmara dos Vereadores do ano nesta quarta-feira (26) acabou com uma grande vaia durante o Hino Nacional, por manifestantes a favor do tombamento do antigo Museu do Índio, no Maracanã. No dia, os parlamentares apenas aprovaram a redação final do Orçamento do município para 2013. Na quinta-feira (19), os vereadores haviam prometido aos ativistas que a votação sobre o projeto de lei ficaria para hoje.

Apesar da promessa, a Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização Financeira da Casa pediu que o orçamento fosse publicado no Diário Oficial da Câmara desta quarta-feira. Com isso, os trabalhos são necessariamente interrompidos.
 
A sessão, ainda que curta, foi bastante tumultuada. Cerca de 50 manifestantes estiveram presentes pressionando os parlamentares a deliberarem sobre o tombamento do antigo Museu do Índio. Diversos vereadores que discursavam foram vaiados.
 

Conflito entre poderes
Para o vereador Paulo Pinheiro (PSOL), a Câmara vem servindo aos interesses do prefeito da cidade, Eduardo Paes, e do governo do estado, Sérgio Cabral. Segundo ele, o conflito entre os parlamentares e o Poder Executivo é limitado:
"É um conflito de parte da Câmara com o poder Executivo, enquanto a parte maior dos vereadores, a chamada base do governo, está nitidamente em prol da Prefeitura. Terminamos o ano de forma lamentável, com o Hino Nacional sendo vaiado. A população fica revoltada porque foi enganada. Foi prometido que iria ser votado hoje (o PL de tombamento do antigo Museu do Índio) como forma de tirá-los daqui", denunciou Pinheiro.

De acordo com ele, o saldo do ano foi "deficitário" e citou a aprovação do PLC 113 - que trata da construção do campo de golfe olímpico e do potencial construtivo em regiões que serão usadas nos Jogos - com as emendas para ilustrar a posição:
"A Câmara aprova uma emenda que é pior que o projeto, que já era ruim. Isso não é uma contrariedade séria. Algum motivo existe para isso ter sido aprovado. Os vereadores sempre votaram com o governo, por que agora votaram de forma diferente?", questionou.
Pinheiro ressaltou a dificuldade de articulação dentro da Casa e que seu "mandato, por exemplo, é muito mais na imprensa e na Justiça do que dentro da Câmara".

Quem pode?
A vereadora Sônia Rabello (PV) avaliou que o governo "quando quer, diz o quer" da Câmara. "A grande parte dos vereadores elaboraram a emenda e a maioria que votou a favor da PLC 113 era da base. Apenas dois se abstiveram, mas a base inteira votou sim. A base do governo é a Câmara", apontou. "Esse ano foi muito ruim. A manifestação de alguns grupos em relação à Aldeia Maracanã e à Escola Municipal Friendenreich foi uma enganação, porque enrolou até o final. Tudo estava calculado para dar no que deu aqui hoje".



Segundo a parlamentar, a pressão da imprensa talvez seja uma saída para chamar a atenção sobre o que acontece na Casa. "O PLC 113, que trata da questão da APA do Marapendi, do Autódromo e da Vila Olímpica, não tinha repercussão nenhuma. Aí, saiu no jornal. Fiquei satisfeita porque foram duas páginas e as pessoas puderam ver que o projeto é pura especulação", disse.

Ela questionou as reclamações do prefeito sobre as emendas, que ampliam o potencial construtivo das áreas e isentam o campo de golfe de impostos municipais. "A pergunta é: o prefeito pode especular e os vereadores não? O limite da especulação é a negociação que o Paes faz? Foi ele que deu início. Ele não mandou nenhuma resposta à Câmara, como quem diz: 'essa é a minha negociação. Eu sei, eu posso.' Então, por que o prefeito pode especular até certo ponto e os vereadores não podem propor a especulaçãozinha deles?", provocou a vereadora.
 

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

O verdadeiro significado do Natal

Luiz Carlos Amorim*


O Natal está aí, essa festa grandiosa para a humanidade que a própria humanidade transformou num mero evento consumista: a festa da fraternidade e do amor, reduzida a uma época para se gastar mais, para se comprar mais.

Mas ainda é tempo de mudar. Ainda há tempo. Será que vamos nos esquecer, novamente, que o Natal não é Papai Noel, não é presentes e guloseimas, cores e brilhos, simplesmente? Alguém lembrará do Menino que está para nascer e que representa o renascimento da vida para cada um de nós, a esperança de renovação para cada cristão desse mundo de Deus?


O Natal é a oportunidade de reafirmarmos nossa fé em uma força superior que rege o universo, que rege o futuro, não importa o nome que lhe demos. Porque, como já dissemos outras vezes, o que será de nós, seres humanos, irmãos gêmeos da natureza, se não tivermos fé e esperança num amanhã que está nas mãos daquele Menino que está para nascer?

O que adiantará alguns de nós montarmos nossas árvores de Natal, com luzes e enfeites, podermos comprar presentes para os filhos, pais, irmãos, amigos, se não soubermos o significado do Natal?

Precisamos começar a ensinar nossos filhos, que desde muito pequenos esperam ansiosamente o final de ano para que Papai Noel lhes traga brinquedos e doces de presente, que o Natal não é só isso.

Que Natal é muito, muito mais do que isso. Que o Natal existe porque um Menino nasceu, há muito tempo, para ensinar-nos que sempre é possível começar de novo, que nunca é tarde para recomeçar, que nunca estaremos sozinhos, apesar de tudo.

Que podemos exercitar sentimentos e emoções simples, próprios de nós, homens, filhos de Deus, como a solidariedade e a fraternidade, a amizade e a compaixão. Que esses sentimentos levam a sentimentos maiores. Não podemos deixar de lembrar, sempre, este significado maior.



Em alguns lares, às vezes por falta de tudo, às vezes por falta do espírito de Natal, nem a árvore enfeitada com frutos coloridos e maduros, representação de fartura, se faz presente. Principalmente, se não há crianças. E uma casa sem Natal é muito triste. E um adulto que não tem mais a capacidade de sonhar, de sorrir e de ter esperança é mais triste ainda. É como se não deixássemos nascer o Menino, o Filho de Deus, que representa a nossa alma, a magia e o encantamento de viver.


Natal é a comemoração da vida, que um Menino chamado Jesus traz todo ano, tentando nascer em nossos corações. É a comemoração do aniversário desse Menino, que há mais de 2 mil anos veio para iluminar nosso caminho. Essa é a grande festa: ela precisa começar dentro do coração de cada um.

Feliz Natal para todos.

* Luiz Carlos Amorim, escritor, é autor de mais de 50 livros e foi eleito a Personalidade Literária de 2011 pela Academia Catarinense de Letras e Artes. - luizcarlosamorim.blogspot.com

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

El País: Dilma e Joaquim Barbosa estão entre as personalidades do ano

23/12/2012
Jornal do Brasil

Uma relação das cem personalidades do ano divulgada neste domingo pelo jornal espanhol El País traz dois brasileiros apontados como líderes de destaque mundial em 2012: “a poderosa presidente” Dilma Rousseff e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, relator do julgamento do mensalão.

“Sua trajetória marca um antes e depois na história da Justiça brasileira”, afirma o jornal. A reportagem diz que Barbosa “não tremeu o pulso na hora de promover duras condenações contra os que foram íntimos colaboradores de seu mentor”, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O jornal ressalta a “história de superação” do magistrado que “tinha tudo para engrossar as estatísticas da desigualdade no Brasil” e chegou à presidência da mais alta Corte brasileira.

O ano de 2012 foi bom para Dilma Rousseff e ruim para o Brasil”, começa o El País, ao traçar o perfil da “poderosa presidente”. A publicação ressalta que Dilma aparece em todas as listas das mulheres mais “poderosas, admiradas e célebres do mundo” ao lado da chanceler alemã Angela Merkel e da secretária de Estado americana Hillary Clinton (ambas não aparecem na lista). O diário faz um paralelo entre o bom momento da presidente e o “crescimento econômico anêmico” do Brasil registrado em 2012, após “o ‘boom’” do ano passado. Destaca “escândalos de corrupção a granel” e a revelação de que explorar o petróleo do pré-sal será mais cara e demorada do que o governo pensava.

As cem personalidades escolhidas pelo jornal são divididas em categorias. O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, encabeça a relação dos 13 líderes mundiais, que traz ainda Hugo Chávez, presidente da Venezuela, e o juiz espanhol Baltazar Garzón. Pesquisadores, políticos, estrelas, criadores, cidadãos e esportistas são apontados pelo jornal. Além de Dilma e Barbosa, a modelo brasileira Gisele Bündchen também é citada.

O que pensar?


Como policial militar, em muito me desagrada fazer esta postagem. Narrei fato ocorrido com meu filho onde, sem “Fundada Suspeita” ele, em companhia de sua namorada, foram abordados por policiais militares na Comunidade Cidade de Deus onde mora. Foi desmoralizado em sua condição de militar, afastado de sua namorada para que os outros policiais pudessem assediá-la e, procurando materializar uma mentira, disseram que meu filho não era militar. Militar eram eles que acabavam de vir de uma “troca de tiros”, o que não houve.

Texto anterior
Tudo bem se os comentários buscassem debater no sentido de melhorar a imagem da Corporação, mas, o que escreveram em muito me preocupa.

Um “sargento”, que por seu comentário não deve ter lido o texto, escreveu que a revista é interpretação do policial e a “Fundada Suspeita”, objeto de decisão do STF, nem sempre “deve" ser obedecida. Mesmo sem atentar para o narrado, acusam a mim e a meu filho de não objetivar “legalidade”. Colocaram em duvida minha idoneidade por frequentar a Cidade de Deus e que o Junior teria desrespeitado os policiais.
O cara era PM e frequentava a CDD e ainda quer ter razão,mas vamos aos fatos nem tudo que o STF decide devemos fazer,um exemplo é o uso de algemas,o STF proibe e eu sempre uso,é melhor chorar a mãe deles do que a minha e sobre a revista pessoal eu não moro em comunidade e mesmo assim na rua uma vtr do 9ºBPM estava revistando algumas pessoas e eu estava passando e me chamaram eu dei boa noite me identifiquei e foi tudo tranquilo,depende muito da atitude de quem esta sendo revistado e normalmente os militares das forças armadas principalmente acompanhado de mulheres querem aparecer!!!

Reparem que neste comentário eu não tenho razão pelo fato de frequentar a Cidade de Deus onde meu filho mora e generaliza os militares em geral que “querem aparecer”.

Bom, é a versão de cada um, eu aprendi que se há uma atitude suspeita eu devo interpelar o cidadão e revistar sim! Ainda mais sendo em comunidade que de pacificada só tem o nome. Já cansei de revistar e ver outros colegas revistando soldados das forças armadas no São Carlos e eles nunca criaram problemas, talvez seu filho tenha criado algum tipo de resistência, pode ter sido esse o problema.
Embora no texto eu esclareça que sempre orientei meu filho a respeitar os policiais de serviço, teimam em apontar que ele criou “resistencia”. Ora, meu filho é o que é graças a minha constante intervenção e acompanhamento evitando que quedasse para o mal.

Como cidadão estou muito preocupado com os comentários e espero que não seja o pensamento da maioria.

domingo, 23 de dezembro de 2012

“Fiquem tranquilos”

Jornal do Brasil
Marcelo Auler

Nos bastidores da Comissão parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira, apesar de nenhum relatório ter sido aprovado, há políticos que pretendiam levar as investigações mais a fundo que continuam comemorando os resultados obtidos.

Mesmo com a rejeição do relatório que propunha indiciamentos, foi possível aprovar a autorização para que repassassem ao Ministério Público Federal todos os sigilos quebrados pela CPMI.

Quem conhece em detalhes o que se acumulou ao longo destes meses, tem certeza que não é pouca coisa e que, havendo vontade política e um pouquinho de dedicação, se chegará facilmente a corruptores.

Em um telefonema bastante enigmático, alguém da Procuradoria da República procurou um destes parlamentares do grupo mais independente com um recado: “fiquem tranquilos”.

Foi o suficiente para os deputados saberem que o trabalho renderá bons frutos.

sábado, 22 de dezembro de 2012

Feliz Natal do blog "RVCHUDO"

Prezado(a)s amigo(a)s que aqui frequentam…o Post de hoje infelizmente não será engraçado! Afinal, viemos aqui fazer uma denúncia pública! Sim…tamanha gravidade das palavras que seguirão este post que recomendo tirarem as crianças da sala (mas não seja idiota em seguir ao pé da letra caso o pc fique no quarto ou na cozinha!)! De preferência afaste-as também das árvores de Natal! Elas podem ser abduzidas pelo MAU Velinho…conhecido, até antes desse post tornar-se público, carinhosamente, como PAPAI NOEL!


São Papa-Nicolau, Santa Claus, ou Papai Noel, logo após perder seu primeiro emprego, como garoto propaganda do refrigerante mais famoso do mundo, sentiu-se frustrado quando percebeu que o contrato assinado lhe garantia o pagamento exclusivamente em produtos da empresa, em vez de grana. O choque, após ter vendido todos os seus pertences para comprar uma dúzia de renas magrelas e pago para transformar duas cadeiras de roda achadas na rua em um suposto trenó, foi tão grande que o pobre coitado (até então) entrou em depressão profunda e consumiu em uma semana todo o conteúdo do líquido corroente lhe oferecido em forma de pagamento. Não fosse o fato de ter ingerido simultaneamente algumas pastilhas de mentos, sua barriga poderia ser normal até hoje. Agora já é tarde…
Foi apenas após ter se recuperado da gastrite, que Noel decidiu se motivar em busca de um novo emprego. Ele precisava arrumar um método rápido e fácil de ganhar dinheiro para conseguir se manter até o próximo Natal. Em menos de 1 mês já estava empregado! Mais uma vez, a frustração de ter que trocar suas renas por um bando de bambis, afinal era pré-requisito da vaga, não foi suficiente para desanimar o então mais novo mascote do São-Paulo FC!



A influência da torcida e demais jogadores do clube foram cruciais para transformar o Bom Velhinho no mau elemento que ele é hoje, sobre o qual conhecerão logo mais. No começo haviam uns tais rituais de sacrifício! Os jogadores que pior se desempenhavam em cada partida eram tidos como maus meninos e castigados severamente pelo novo mascote. Os rituais foram extinguidos assim que o time inteiro tentava se comportar mau e perder os jogos só para receberem o famoso castigo!


A pressão sob (sei que o correto seria sobre, mas especialmente nesse caso é sob mesmo!) Nicolau (era o nome pelo qual os jogadores preferiam chamá-lo, afinal gostavam de complementá-lo com frases criativas e de rima) foi tanta que, por um momento, Santa já não sabia mais pra qual time torcia, a ponto inclusive de gravar um videoclipe e presenteá-lo aos jogadores, para ser mostrado antes de um jogo importante, a fim de estimulá-los ainda mais!


Somente após virar um escândalo na internet e o time ter “aberto as pernas” no campeonato brasileiro 2009, dando a vitória ao Mengão (e o resto a quem interessar), Santa foi imediatamente demitido, sem direito a nem o dinheiro da passagem de volta ao Pólo Norte! Somente após implorar muito, conseguiu que lhe emprestassem uma bicicleta do clube, não sem antes prometer devolvê-la linda e purpurinada no dia seguinte…


Os últimos acontecidos foram a gota para Noel! Já estava perto do Natal e ele resolveu que desta vez, atenderia a TODOS os pedidos para desestressar……
….não importando o quão perigosos fossem…




….seja brinquedo, animaizinhos ou mesmo plantinhas…era só pedir que ele dava!


Procurou nos lugares mais inusitados


…foi paciente e atencioso com todas as exigências…

…fez o possível para não deixar de agradar a todo(a)s!


 …fez também o impossível para não deixar de agradar a todo(a)s!

Mas ainda assim, sua reputação já estava manchada e ninguém mais acreditava em suas palavras…


Noel então voltou para casa pensativo…e decidiu que a partir daquele dia, tudo seria diferente!


…se embebedou e no meio da bebedeira descobriu que tinha outro trabalhando em seu lugar…”


Resolveu entrar de férias e esquecer toda essa baboseira de Natal…


Decidiu que a partir de então só atenderia os pedidos que e de quem lhe interessar!!


Gostou tanto da idéia que chegou a montar uma casa de prazeres…cujo lema era: “A Casa do Papai Noel: Venha Conhecer o Maior Saco do Mundo…


Logo após foi descoberto pela PF, também sob acusações de esconder dinheiro na cueca e no saco, maltratos a animais (excesso de carga para com os viadinhos as renas), aliciamento de menores em troca de presentes, extelionato, falsidade ideológica, enfim, foram muitos crimes que culminaram na não surpreendente prisão do Bom Mau Velinho!


Hoje o Natal se limita a representações pouco originais e super enfeitadas daquele que foi o mais polêmico dos símbolos natalinos…o bom e velho Santa “Norris” Claus!

Que o proximo Natal seja por um Brasil mais justo e sem os "delinquentes' que hoje estão no poder. Um Brasil sem PT!




Referência: Humor