quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Petrobras responde a artigo publicado no JB

27/02/2013
Jornal do Brasil

Humberto Guimarães critica refinaria de Pasadena

A respeito da matéria assinada pelo Sr. Humberto Viana Guimarães, publicada no site www.jb.com.br no dia 26/02 às 05h44, com o título “Refinaria de Pasadena A Petrobras tem, sim, que dar explicações” a Diretoria da AEPET tem a manifestar o seguinte.

Todas as denúncias relativas aos fatos citados envolvendo a operação de compra pela Petrobrás da Refinaria em Pasadena, Texas, Estados Unidos, têm sido acompanhadas cotidianamente pela Entidade e devidamente encaminhadas pelos órgãos competentes. Talvez o autor do texto não esteja informado corretamente. Os associados da AEPET tem podido acompanhar através dos nossos veículos (AEPET Direto e AEPET Notícias) e na nossa página na Rede mundial de Computadores.
O atual representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobrás é coincidentemente o atual presidente da AEPET, Silvio Sinedino. Sinedino, no marco de suas atribuições como Conselheiro de Administração, solicitou oficial e expressamente a apuração dos fatos e responsabilidades do episódio.

Estas denúncias que são ainda objeto de duas importantes iniciativas. A primeira é uma audiência pública, esperada para março, em Brasília, no Congresso Nacional, onde a Petrobrás foi chamada para dar explicações. A segunda iniciativa foi a instalação de um inquérito pelo Ministério Público Federal, que pode se tornar uma Ação Civil Pública para reparação da Petrobrás pelos responsáveis pela operação.

Por último, não podemos concordar com as afirmações contidas na referida matéria de que “ao longo dos seus quase 60 anos de existência (Lei nº 2.004, de 03/10/1953), a Petrobras sempre foi avessa a uma convivência transparente com a população”. Ao contrário, a Petrobrás é uma empresa de economia mista, controlada pelo Governo, que sofre fiscalização de diversos órgãos federais, inclusive o Tribunal de Contas da União (TCU). A própria instituição do representante dos trabalhadores em seu Conselho de Administração foi um avanço importante neste controle público. Ainda temos muito que avançar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário