segunda-feira, 29 de abril de 2013

Ele é insano e após sair impune de suas ações criminosas, se volta contra o povo.


Sergio Cabral (PMDB) RJ há muito abusa de sua autoridade, não obedecendo o regramento legal para satisfazer seus interesses. Vimos isso nas reivindicações de Policiais e Bombeiros Militares no Estado do Rio de Janeiro, usou a PMERJ para invadir o QG CBMERJ para com força e meios desproporcionais, prender uma centena entre milhares. Foram seletivos.
 
Daciolo pediu "pelo amor de Deus, não façam isso senhores. Mas eles fizeram, usaram suas armas.
Vejam o vídeo: Eles fizeram
 
No caso da “invasão” do QG CBMERJ, as ações preventivo-repressivas não foram executadas diante de evento já sabido, é como se não reprimisse um delito na iminência de acontecer. Se a “invasão” foi considerada delito, a omissão em evitar também é prevista em Legislação.

Vimos PMs e BMs respondendo Processos Administrativos e “trancafiados” em presídio não condizente com a Legislação para o caso dos militares do Estado do Rio de Janeiro (Bangu I), muitos foram excluídos sem obediência aos ditames do devido processo legal, originando em decisão judicial para o reingresso.

Leia: PMs foram presos em Bangu I
 
Nos deslizamentos ocorridos no Estado do rio de Janeiro, muitas denuncias vieram a tona denunciando os desvios de verba e a doação de dinheiro destinado a contenção de encostas e obras de drenagem e deu para a Fundação Roberto Marinho, R$ 24 milhões do FECAM (Fundo Estadual de Conservação do Meio Ambiente). Os projetos apresentados para prevenção e socorro as vitimas até hoje não foram implantados, podendo haver a repetição do que ocorreu.

Neste sábado, na inauguração de sua obra inacabada, só o que seria positivo ser mostrado foi visto, estando o restante escondido por tapumes. Nem a imprensa teve livre acesso, foi conduzida em veículos do Estado desde o sambódromo, evitando percurso denunciando as obras pendentes.
Houve manifestantes no dia, contra as demolições que Cabral insiste em fazer e “dar” para Eike Batista, que também se beneficia dos contratos com o governo para desapropriar tudo que vá de encontro a seus projetos. A imprensa nada noticiou, dando ênfase a três militantes que estavam com os seios desnudos, mas, desprezou a ação da PMERJ contra vários manifestantes, inclusive idosos e crianças.


Há quem diga que ordem absurda não se cumpre, mas, os PMs em Unidades estratégicas estão com "polpudas" gratificações, os tornando reféns delas, já que fazem parte de seu orçamento sendo indispensáveis para saldar compromissos financeiros assumidos, o que seria inviável com o salário normal deste profissional. Qualquer questionamento das ordens recebidas o direciona a transferência para uma Unidade "comum", sem as "gratificações" que o fazem um instrumento útil aos desideratos do governo PMDB, fielmente cumprido pelos comandantes.

A PMERJ também não é mais do povo, é uma Força particular a serviço do interesse político.


Temos subsídios mais que suficientes para comparar o governo PMDB do Rio de Janeiro aos mais perigosos meliante a serviço do crime, começam com pequenos delitos e, diante da impunidade representada pela omissão dos detentores do Poder/Dever em agir, aumentam a gravidade de seus delitos, voltando-se contra a própria sociedade e a agredindo em q2ualquer ação que o desagrade.

2 comentários: