domingo, 23 de junho de 2013

Não existe dialogo, só a retomada para restaurar a Ordem e o Progresso.


Em minha humilde posição de expectador coloco minhas observações, confesso que não sou analítico, mas é demais visível.
Como num passe de mágica, a presidANTA fala em rede nacional ao Povo Brasileiro, como se ignorantes fossem e não estivessem antenados com a realidade brasileira.

Desfez de sua habitual vestimenta “VERMELHA” para adotar uma cor de “tô na merda”. O amarelo não lhe pegou bem, representa nossas riquezas que estão sendo saqueadas sem nenhum pudor.

Num discurso repleto de arte cênica, misturado com bastante nervosismo que não escondia a leitura de um texto escrito e não decorado, a presidANTA voltou a fazer comédia em rede nacional. Embora tenha se reunido com os Chefes Militares, se quedou mais uma vez à “quadrilha” a qual pertence. Relembrou seus tempos de terrorista como se fosse heroína neste cenário trágico. Falou de corrupção como se nada tivesse a ver com isso, seu governo tem em sua principal característica a explosão da corrupção “nunca antes vista neste País”
Trazer milhares de médicos do “exterior” (Cuba), que foi objeto de tantas queixas dos Brasileiros, pois o problema não é a falta de médicos e sim a falta de estrutura para que os Nossos médicos desempenhem suas atividades.
 
 
Declara descaradamente que o dinheiro usado nas arenas de futebol é fruto de investimento privado, como se isso já não fosse motivo de protesto. Todos sabemos que o que foi gasto jamais será retornado, serviu única e exclusivamente para desviar dinheiro público. Estádios foram construídos onde não haverá público.
Manaus – Apontada por muitos como o erro da Fifa, Manaus será a sede amazônica para a copa, será um grande estádio, porém não há equipes que possam utiliza-la depois, já que no estado não existe tradição no futebol. Muitos apostavam que a sede do norte seria Belém, pois lá existem clubes capazes de tornar a arena rentável.
Por fim, usa o circo do futebol para amenizar a onda de violência que acontece. Como se ignorássemos tudo começou com a ação dos “partidecos” orquestrados pelo seu partido em São Paulo. Não é por R$ 0,20, é pelo Brasil.

 Nas manifestações, no inicio, eram vistos as “bandeiras” dos mecanismos de defesa do governo, como CUT e os “partidecos” a seu serviço. Foram reprimidos por manifestantes que queriam o manifesto sem a interferência política e sim validada na vontade do Povo.
 
Então vieram os baderneiros, que em todos os atos promoveram ações de vandalismo. Acontece em todas as cidades onde são promovidas manifestações pacificas e ordeiras. A intenção, a priori, não é roubar nem furtar, é destruir. No Rio de Janeiro, apesar da Polícia usar seus blindados, não intimidaram os baderneiros, que afrontaram, inclusive subindo nos blindados. Uma escotilha aberta e seria possível atear fogo em seu interior.

Cabine da PMERJ incendiada em frente da Central do Brasil, onde fica a Secretaria de Segurança Pública.

Me resta avaliar que estão a serviço de interesses, interesse que mostra as manifestações como destruidora. A mídia, embora faça a cobertura das manifestações, se mostra também muito interessada em dedicar a maior parte do tempo para divulgar a destruição, sendo fiel aliado das intenções destes atos insanos que colocam a ordem pública em perigo.
 
A Polícia, que está constantemente com as lentes apontadas para ela, se esquiva de usar energia contra estes malfeitores, pois, é objeto político também. Neste ponto, creio que não são mais eficazes para controlar o vandalismo, este, com a mídia que explora as imagens, se tornou um aliado dos que resistem a vontade do povo ordeiro. O povo que demonstra diariamente nas ruas a que veio, pedir a saída dos saqueadores do dinheiro público. Para isso, a vontade do Povo espera que as FFAA cumpram seu dever, restabelecer a Ordem e o Progresso da Nação Brasileira.
 
Só restará aos inimigos do Brasil, empossados indevidamente como administradores, buscar ajuda no exterior, com os “amigos” que tanta ajuda financeira tiveram para se equipar belicamente em detrimento de nossas Forças Armadas, colocadas em sucata, quem sabe, propositalmente.
Até Capitão, deve executar a “guerra”. Coronel, Ten. Coronel e Major planejam a “guerra”. General visualiza a política, estratégia e defesa da “guerra”. Mão a obra, tá na hora.
 

QUEM ME REPRESENTA!!!!
Não é Dilma que me representa, principalmente porque fez um discurso político e não de uma Presidente da República Federativa do Brasil. Ela usou o horário nobre da televisão para divulgar o futebol somente.
Não é a GLOBO que me representa porque ela acolhe a ideia de esvaziar as nossas manifestações, considerando comprável o nosso silêncio por R$ 0,20.
Não é o grupo do Movimento Passe Livre de São Paulo que me representa, pousando de petista no Jornal Nacional e vendendo-se por apenas R$ 0,20.
O GIGANTE acordou e não foi por 0,20 centavos. Ele acordou por muito mais, por um Brasil sem corrupção, por um Brasil sem miséria, por um Brasil sem fome, com empregos, com saúde, com educação, com saneamento básico, com estradas, com obras contra a seca, com transportes de qualidade, com sustentabilidade e tudo o mais.
Agora que o GIGANTE ACORDOU não podemos mais parar até limpar toda essa sujeira que está debaixo da toalha do Congresso e do Governo.
Uma casa não se arruma só na porta de entrada, mas na cozinha, nos banheiros e na área de serviço.
Assim é que temos de fazer, varrer toda a lama que cobriu o nosso País e continuar, até a última sujeirinha e reergue-lo para o patamar de País desenvolvido e saudável para seu povo,
Vamos em frente, não desanimemos momentaneamente. VAMOS À LUTA, porque esta continua. POVO VARONIL!!!!!

Quem nos representa é o nosso Pavilhão Nacional, ontem, hoje e sempre!!!!!
Juçara de Santis
 

Um comentário:

  1. A intervenção militar é tentadora, frente ao patriotismo que emana de nossos corações, mas infelizmente outros safados surgirão e com poder bélico, além do político.

    Não duvido que cresceríamos em alguns segmentos, mas o povo continuaria insatisfeito mediante ao radicalismo de alguns comandos militares que usariam força extrema generalizada, incluindo o tão "alegre" toque de recolher e a liberdade de ir e vir.

    Se a intervenção militar fosse essa tão sonhada ação intermediária, veja bem, intermediária, seria excelente, mas sabemos que isso não vai acontecer. Algum novo safado irá querer estender a intervenção.

    ResponderExcluir