segunda-feira, 24 de junho de 2013

Vivenciei e posso falar com propriedade.


Ontem, dia 23, eu e mais um numero de militares que ultrapassou três centenas, nos reunimos e participamos de manifestação em Copacabana que, embora fosse contra a PEC 37, englobou diversas motivações, principalmente contra Dilma, PT e Sergio Cabral.
 
De inicio não vi grande projeção no evento, mas, aos poucos foram chegando. Embora o tempo estivesse um tanto frio e com uma chuvinha que ameaçava a todo instante, chegou-se a mais de dois mil participantes.

Nos incorporamos à manifestação com duas faixas relevantes, que foram objeto de curiosidade, sendo registradas em muitas fotos culminado numa entrevista dada a BBC de Londres por nossa amiga e membro da ANMB Jaqueline Freitas que com seu inglês impecável, mostrou que estamos aptos a dialogar e mostrar verdades para o Brasil e o exterior.

 
Tudo transcorria ordeira e pacifico quando um grupo de militantes de esquerda, ao pensar que éramos só os que seguravam as faixas, ou seja, quatro pessoas, passou a nos hostilizar com palavras e gestos, mostrando disposição de adentrar  a manifestação e concretizar agressão física. Militares, parentes, amigos e simpatizantes, embora dispersos, vieram em nossa direção e, juntos com o público que assistiu a covarde agressão, reprimiu os vândalos.
 

Os militantes não só nos ofendiam como faziam questão de nos registrar em fotos, do que usamos as mesmas armas os registrando também.

Mas continuaram ao lado da manifestação, dispostos a continuar as ofensas com palavras, inclusive tomando como sendo da esquerda aquele movimento contra a PEC 37 para justificar suas agressões. Novamente o Povo se voltou contra eles descarregando tudo o que pensam sobre o PT e seus aliados.
 
A presença a PMERJ não foi suficiente para contê-los, pois, diante do iminente risco de violência, em nenhum momento ações preventivas foram adotadas pelo policiamento que a tudo assistiu. Creio que, já que havia presença de oficial superior da PMERJ no Comando do policiamento do evento, a informação deveria lhe ter sido passada para que adotasse as medidas de sua competência e obrigação.
Se a PMERJ não agiu, os manifestantes tomaram a iniciativa diante dos ataques provocativos, mostrando que diferente do que a mídia mostra, somo pacíficos e ordeiros. Sentar no chão e pedir PAZ diante a provocação foi a melhor resposta.
 
A manifestação não se conteve e seguiu até o Leblon, para a residência do principal articulador da corrupção no Estado do Rio de Janeiro, o ainda governador Sergio Cabral (PMDB).
Grupo que protesta contra PEC 37 se junta ao que estava acampado perto da casa do governador Sérgio Cabral. Pablo Jacob / O Globo
 
Foi um belo exemplo de cidadania que, embora o perigo a que estamos expostos com a presença de militantes de esquerda, vale a pena exercitar.

Parabéns à sociedade do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário