terça-feira, 15 de outubro de 2013

Desabafo da próstata


A Humanidade já foi à Lua, criou a Bomba atômica, notebook, Ipad, desenvolveu tecnologias sequer imaginadas nos sonhos mais loucos e insólitos. Então, como é possível que até hoje, em pleno século XXI, ninguém, nenhum cientista, nenhum médico, nenhum mísero inventor professor Pardal, absolutamente ninguém, porra, conseguiu inventar nada mais inteligente e civilizado como alternativa pra checar a próstata do que uma dedada no cu?! Eu duvido que algum membro da Enterprise de Star Trek tenha que passar por esse check-up humilhante.

Eu acho que isso tudo é algum tipo de conspiração secreta das mulheres. Só pode ser. As chefes mundiais do setor de urologia devem ser todas mulheres. Ficam escondidas do grande público, longe dos consultórios e ninguém sabe. Sabotam as iniciativas dos poucos e bravos homens médicos cientistas que ousam lutar contra essa técnica bárbara e opressora. Até quando?!

Ou, então, o mecanismo que retroalimenta e mantém isso num ciclo interminável de sadomasoquismo mútuo se explica pelo mesmo raciocínio que levam os veteranos a praticar os trotes em calouros nas universidades: “Se eu tive que passar por isso, se eu tive que tomar no c@, então todo mundo vai ter que tomar também. Eu não vou permitir que nenhuma geração depois da minha escape disso, nem vou estudar nada. Fodam-se.“ E aí, por conta dessa necessidade estúpida de descontar em alguém, de um revanchismo idiota, ninguém se interessa nem deixa resolver essa questão urgente de uma vez por todas.

Ou talvez, não haja necessariamente nenhuma má vontade intrínseca ao processo e o que acontece é só um arrefecimento natural e compreensível do ânimo do possível escolhido predestinado a encontrar uma alternativa para o problema, porque, sempre que alguém está próximo de chegar à solução, ele já está na idade de tomar a dedada e, depois disso, já não há mais motivação e o sujeito se resigna a perseguir outros sonhos e desafios. Essa luta ele já perdeu. Não adianta mais o esforço. Não deu tempo. Aí, ele pensa: “Eu? Vou me dedicar a resolver isso, pra quê? Pra livrar a bunda dos outros? E o que eu ganho com isso? Reconhecimento? E por acaso o reconhecimento vai me trazer de volta as pregas? Vai desfazer alguma coisa? Por que não fizeram isso por mim antes?” É um remorso tão violento que pode levar o cara a queimar todos os seus artigos científicos e jogar pela janela ânus, quer dizer, anos de progresso que poderiam fazer a diferença para as futuras gerações.

Enfim, sejam quais forem os motivos, só acho isso tudo muito injusto. E diria mais: acho que, até o primeiro exame de próstata, nenhum homem pode se autoproclamar verdadeiramente ateu nem crente.

Pra finalizar, meus amigos, eu só gostaria de dizer que eu penso que, um dia, os homens poderiam se unir e se mobilizar em uma campanha mundial contra esse mal interior. Isso sim deveria ser motivo de protesto pra levar milhares e milhares de homens pras ruas. “Dedadas nunca mais!”, poderia ser a súplica de guerra berrada em uníssono. Mas não sou a favor de violência. Protestar sim, mas sem bloquear ruas, depredar nada. Nunca apoiei isso. Mas, claro, sei que mesmo uma manifestação genuinamente pacífica dessas não passaria incólume perante os fodero..., quer dizer, os poderosos. A simples imagem das tropas empunhando os cassetetes nas mãos já iria despertar memórias e expectativas desagradáveis em vários das nossas fileiras, mas pra isso teríamos que contar com o apoio abnegado dos mascarados black holes nas linhas de frente. É isso aí.


Um comentário:

  1. Tu achas que só as mulheres tem que ficar de quatro...
    Todo Homem VIRIL tem que um tomar no C.....

    ResponderExcluir