sábado, 16 de novembro de 2013

Sobre as UPPs...


Eu apoiei e apoio firmemente o projeto das UPPs. Sua idealização é de um dos projetos mais formidáveis na área da segurança pública. E também, quando bem aplicado, dos mais eficientes.

Minhas críticas, sempre públicas, foi quanto ao fato de UPPs estarem instaladas em contêineres, de policiais militares com concurso específico para suas regiões em que vivem terem sido transferidos ...para atuarem em favelas que muitos sequer haviam visto antes que não pelas TVs. A principal crítica que sempre fiz foi sobre a política de ‘anunciação’ de data de ocupação com semanas de antecedência. Isso, em geral e na maioria das vezes, permite não só a fuga das principais lideranças do tráfico, que podem até serem presas depois, mas logo são substituídas, como também, e ‘aí é que mora o perigo’, a retirada de grandes quantidades de armas de guerra e drogas das favelas.


As armas representam o poder ofensivo e defensivo e as drogas representam dinheiro para os grupos que depois de expulsos, ainda que alguns sejam presos ou mortos em confronto, certamente vão se reagrupar, se reorganizar e vão tentar voltar aos seus locais de atividade, pois lá eles sabem que estão os grandes pontos de venda de varejo. Quando você deixa um exército inimigo na rua e armado, muito bem armado, e com logística financeira para agirem ele certamente voltará para atacá-lo depois de expulso de seu território.

Uma das cenas , na minha modestíssima opinião , mais lamentáveis que vi em todo o processo de pacificação foi a fuga em massa, sem serem incomodados, de traficantes carregando imensas quantidades de armas e drogas no Complexo do Alemão. Um dos resultados disto são os ataques que ocorrem quase que cotidianamente a policiais e sedes das UPPs do Alemão e da Penha.

É quase uma ingenuidade acreditar que quando você tira alguém de uma atividade, ainda que criminosa, altamente lucrativa, e ainda que este negócio fosse mantido pela força de armas de guerra e você ao tirá-lo do negócio, mas deixando-o capitalizado, com as drogas, e com poder de fogo, que ele não vá voltar para tentar retomar seu negócio.

O Rio de Janeiro, os cariocas e fluminenses, devem continuar dando seu integral apoio as UPPs e sua continuidade, mas ou se faz uma urgente revisão dos procedimentos de ocupação e pacificação ou a qualquer momento teremos, ainda que temporariamente, vendo PMs de alguma UPP sendo expulsos pelos traficantes.

Por Segadas Vianna

É para se pensar muito neste assunto, pois é o único ponto ainda positivo da gestão de Sergio Cabral (PMDB), que certamente, seus adversários político, mancomunados com meliantes, irão atacar. 

Um comentário:

  1. As UPPs foram o melhor projeto já implementado no Rio de Janeiro, assim como qualquer projeto teve falhas, porém eu acredito que isso ainda possa ser concertado. A questão de segurança do Rio não é apenas estadual, é uma questão federal, pois as drogas, em sua maioria, não são produzidas aqui.

    ResponderExcluir