quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O que demorou 17, foi resolvido por aval de um prefeito do PT, a escolha do Gripen NG. Reportagem de agosto/2013

MARINHO TORCE PARA DILMA ESCOLHER CAÇA SUECO GRIPEN
Marinho, que foi à Suécia visitar a empresa fabricante do Gripen em 2010, disse que a escolha pela Saab garante investimento e transferência da tecnologia dos caças para São Bernardo Foto: Divulgação


Modelo defendido pelo prefeito de São Bernardo é o que permite maior transferência de tecnologia.

Pela primeira vez, o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), falou abertamente que a decisão da presidente Dilma Rousseff (PT) na escolha do modelo e fabricante dos 36 caças para a FAB (Força Aérea Brasileira) influenciarão na cidade. O petista entende que a escolha do Gripen NG, da fabricante sueca Saab, é importante para consolidar o polo tecnológico no município.

Marinho, que foi à Suécia visitar a empresa fabricante do Gripen em 2010, disse que a escolha pela Saab garante investimento e transferência da tecnologia dos caças para São Bernardo. Ou seja, as peças para manutenção das 36 aeronaves seriam feitas no polo tecnológico. “A empresa sueca é a melhor proposta também pela garantia de transferência de tecnologia. Se o Gripen for escolhido, facilita mais nosso parque aeronáutico. Se forem os norte-americanos, vamos ver o que dá para salvar. Se forem os franceses, a mesma coisa. Mas será mais difícil. Por isso a minha torcida pelo Gripen, porque cria maior possibilidade do parque aqui”, explicitou o prefeito.

Dilma deve anunciar até o final do ano, quando expira a vida útil dos 12 caças Mirage 2.000 utilizados hoje, qual modelo a FAB irá adquirir para renovar a frota nacional, que deverá ter 36 aeronaves, com investimento previsto em US$ 4 bilhões. Três empresas disputam a concorrência: Saab; a norte-americana Boeing (fabricante do F-18) e a francesa Dassault (modelo Rafale). Em 2011, Marinho foi à França, conhecer o caça Rafale. 

A decisão sobre os novos caças está atrasada 17 anos. No governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) houve uma preferência pelo modelo francês. Lula chegou até a esboçar a definição, mas a licitação ficou indefinida. Americanos e franceses fazem pouca transferência de tecnologia. Ou seja, o governo federal ficaria refém para manutenção dos caças.

Marinho entrou na dis
cussão em 2010, quando a empresa sueca convidou o prefeito para conhecer suas instalações e o interesse de desenvolver um polo aeronáutico em São Bernardo. Na época, a Saab chegou a garantir que com a transferência da tecnologia para a Região geraria cerca de 1,2 mil postos de trabalho e que o investimento inicial seria de R$ 336,4 milhões. 

Fonte: ABC

3 comentários:

  1. o marinho vestidinho de aviador, é um viadinho mesmo..!!!

    ResponderExcluir
  2. Petéba vestidinho de aviador, é um viadinho, mesmo.

    ResponderExcluir
  3. nossa, sou de extrema direita, mas esse post foi muito inutil, sao coisas como essa que fazem o brasil ainda ficar na esquerda!

    a oposição se demonstra fraca em argumentos toscos!

    ResponderExcluir