segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

BOPE PMERJ, 36 anos em 19 de janeiro de 2014


 Agosto de 1982, lá estava eu dentro de uma Corporação que desconhecia, a PMERJ. Coisas novas me eram apresentadas, outras eu teimava em conhecer. O NuCoe, com seus homens de poucos contatos e roupa diferenciada, ninguém me dizia quem eram, só a curiosidade me fez conhecer mais sobre eles. Sua sede ficava dentro das instalações do CFAP, numa parte pouco usada, com construção antiga, próxima da SsMt.

Depois, quando já em atividade profissional, um personagem real me desperta atenção, era o então Major Amendola, que servia na mesma Unidade que eu, o 4º BPM em São Cristovão. Vim a saber que foi o idealizador daquela Unidade que futuramente seria o Batalhão de Operações Policiais Especiais, BOPE.


Com o tempo foram havendo “promoções”, o NuCOE (Nucleo da Companhia de Operações Especiais)  passou a ser COE (Companhia de Operações Especiais), CIOE (Companhia Independente de Operações Especiais e finalmente BOPE. Nos dois últimos com Comando próprio.

Um pouco da História desta Unidade.
A ideia de criar o BOPE surgiu após o trágico desfecho da ocorrência com reféns no Instituto Penal Evaristo de Moraes, conhecido como “Galpão da Quinta”, em 1974. Na ocasião o diretor do presídio, o Major PM Darcy Bittencourt, que era mantido refém pelos criminosos que tentavam fuga, foi morto juntamente com alguns presos após a intervenção da força policial. O então Capitão PM Paulo César de Amêndola, que presenciou o gerenciamento daquela crise, propôs ao Comandante Geral a criação de um grupo de policiais que fossem especificamente treinados para atuar em ações de extremo risco.
Dessa forma, em 19 de janeiro de 1978 foi criado o Núcleo da Companhia de Operações Especiais (NuCOE), instalado no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap.
Os policiais que formaram o NuCOE eram voluntários, dotados de comprovada integridade moral e alguns possuíam especialização nas Forças Armadas, tais como o Estágio de Operações Especiais, Cursode Guerra na Selva ou o Curso de Contra Guerrilha – CONGUE (origem do Curso Especial de Comandos Anfíbios – ComAnf).
Em 1982, o núcleo mudou sua designação para Companhia de Operações Especiais (COE), passando a funcionar nas instalações do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), no Estácio. Após seis anos, o COE transformou-se na Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE), porém sua instalação continuou sendo dentro do BPChq.
Finalmente em 1º de março de 1991 foi criado o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), ficando extinta a CIOE, mas permanecendo no interior das instalações do BPChq.
Somente em dezembro de 2000, a unidade ganhou instalações próprias, um antigo prédio abandonado no alto da comunidade Tavares Bastos, em Laranjeiras.
Em 2011, o BOPE passou a fazer parte do Comando de Operações Especiais (COE), que também inclui o Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), o Batalhão de Ações com Cães (BAC), o Grupamento Aeromóvel (GAM) e o Grupamento Marítimo Fluvial (GMF). Por conta dos planos de segurança para a Copa de Mundo e Olimpíadas, a sede da unidade tem previsão de mudança para a região de Ramos, na área de um antigo quartel do Exército, com localização estratégica na cidade, tendo ligação direta com as principais vias expressas da cidade.
Fonte: http://www.bopeoficial.com/o-batalhao/historico/

Coronel Amendola, assim como o Coronel Venancio, marcaram suas passagens pela Tropa de Elite PMERJ, o primeiro só tive contato na Corporação e Venancio, em minha infância e parte da adolescência em realengo duarnte os embates aéreos com as pipas.
                                      Coronel Venancio, primeiro a esquerda.

Hoje o BOPE segue sua trajetória de sucesso, sendo certa sua participação em prol da sociedade fluminense e reconhecimento por outras Corporações como uma Tropa realmente de Elite, com equipamentos e instruções diferenciadas, compatíveis com sua atividade.

Bem diferente dos seus primeiros anos.
Não duvido em nada que a grande maioria concorde, pois, quem mata é Deus, somos somente o instrumento de sua vontade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário