segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Caixa Beneficente da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, pra que serve?

PRA PORRA NENHUMA!

Com o relato abaixo terão uma ideia que quão mentiroso é o dito acima, beneficio só para o/os administradores.

Quando de meu ingresso na PMERJ, em 1982, o desconto para a CBPMERJ e da Caixa de Pecúlio já eram incorporados nos contra cheques dos policiais, sendo obrigatório. Após o advento da C.F./88 passou a ser facultativo, podendo os já associados suspender o desconto, se assim o desejasse.
Eu, confiante na Instituição administrada por PMs, aceitei continuar como também aumentei o desconto para dois postos acima. Como me arrependo.

Em março de  2013, após minha passagem para a reserva, requeri o Auxilio Inatividade, tendo a orientação de, através dos telefones 2117 2004, 2117 2045, 2117 2046 e 2117 2050, saber sobre o andamento após 30 dias.

Decorridos os 30 dias liguei, recebendo a informação que o prazo seria de 90 dias. Com 90 dias voltei a ligar, recebendo a informação que o prazo seria de 180 dias, onde expliquei sobre os prazos informados. A atendente disse que quem me orientou se equivocou, ratificando o prazo de 180 dias. Decorridos os 180 dias novo contato, sendo informado que o prazo é de 9 meses. Antes que o rebento nascesse, no dia 26 de novembro protocolei documento naquela entidade para que me esclarecesse acertadamente, sem enrolação. Hoje, dois meses após dar entrada neste documento, voltei a ligar, sem nenhuma informação nova.


Delegacia abre inquérito para investigar Caixa Beneficente da Polícia Militar por não repassar a famílias dinheiro de contribuições
 A peregrinação da técnica em fisioterapia Maria de Lourdes Evangelista Souza em busca do benefício do marido morto, um sargento reformado da PM, já dura quase quatro anos. Depois de 21 anos de contribuição mensal, descontada em contracheque, o PM não conseguiu dar à família a tranquilidade que esperava quando se associou à Caixa Beneficente da Polícia Militar. O sargento Waldeci Pereira de Souza morreu em 2006 e Maria de Lourdes só recebeu R$ 500 da associação, que está sendo investigada pela Polícia Civil por desvio de dinheiro das contribuições dos associados.

Um inquérito foi instaurado na Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) para apurar se o esquema funcionava a partir de contratos firmados com a União Nacional de Assistência aos Servidores Públicos (Unasp) para a prestação de serviços terceirizados. O contrato foi assinado no dia 18 de setembro de 2007, mas não houve registro em cartório, apenas na ata de uma reunião entre diretores. Desde o início do contrato, a Caixa Beneficente repassou à Unasp aproximadamente R$ 8,625 milhões. A polícia investiga ainda a compra de imóveis em nome de ‘laranjas’.

Presidente da Caixa Beneficente, o tenente reformado Jorge Lobão repassava à Unasp mensalmente R$ 260 mil, em média, para custear benefícios de morte ou invalidez, e cerca de R$ 115 mil para planos de assistência funeral. Lobão informou que rescindiu o contrato com a empresa tão logo foi intimado a depor, há quatro meses.

Ele acusou um policial civil, responsável pela investigação, de ter oferecido uma empresa de funeral, em seu nome, para prestar serviço à Caixa Beneficente. “Vou à Corregedoria denunciar”, afirmou.

Presidente de entidade diz que verba para benefícios está retida

O tenente Jorge Lobão afirma que a instituição acumula 3.200 processos, cerca de 500 em sua gestão. Segundo ele, pelo menos 1.500 benefícios foram pagos desde o início do contrato com a Unasp. A viúva do policial militar Waldeci e outras mães e mulheres de associados, no entanto, ainda não receberam o pagamento.

“Nenhum dinheiro paga a ausência do meu marido, mas era direito dele, por menor que fosse a quantia. Jorge Lobão está enganando as pessoas e tinha gente lá reclamando que não recebia nada há 20 anos. Meu marido se associou em 1985 e ouvi pessoalmente do Lobão que ele não podia pagar porque a instituição não dispunha daquela quantia. Calculo que o valor seja de R$ 10 mil a 12 mil”, disse Maria de Lourdes, que está sem trabalhar por problemas de saúde.

“Temos 3.200 processos em andamento, mas o dinheiro que eu repassei não dava para pagar todo mundo. Ainda tenho R$ 6 milhões retidos nas mãos do governador. Venho com extintor, apagando os incêndios de viúvas que não têm o que comer ou que as luzes foram cortadas por falta de pagamento”, afirmou Lobão.

Um só caso entre milhares, esposas de policial falecido geralmente desconhecem esse direito e não o reivindica, ficando a Caixa Beneficente se apropriando de quantia que não lhe pertence. Para onde vai?
Vários Presidentes que passaram pela Casa alegaram déficit financeiro, mas, se esforçaram ao máximo para gerir o “déficit”. Qual o interesse em gerir “problema”? IMPUNIDADE!

Quando ingressei na PMERJ o pecúlio seria no valor de 1.000 vezes o valor de contribuição, recebendo 25% quando da passagem para a Inatividade. Hoje, decorridos mais de 30 anos de desconto, nada recebo, nem uma satisfação. Ora! Vão pra PQP!


Lembro que todos pagaram a compra de um clube em Jacarepaguá, era dotado de piscina, churrasqueira, cozinha e Chalés para hospedagem. Eu e todos pagamos por aquilo. Foi vendido e nenhuma satisfação foi dada. E o déficit continua.


Penso: A Caixa beneficente da PMERJ é e sempre foi administrada por policial militar, é dotada de receita satisfatória, mas, sempre em déficit. Seu atual presidente, Pedro Chavarry Duarte, está sempre declarando na pagina da Caixa o saneamento das finanças, que nunca acontece. Seu patrimônio é grande, inclusive um grande condomínio em Madureira, mas o déficit continua.


Aconselho: Se os descontos ainda estiverem sendo implantado quando da incorporação dos novos policiais, retirem o mais rápido possível, é mais seguro pagar uma previdência privada do que confiar seu dinheiro à administradores da PMERJ, afinal, de administração não aprenderam nada, só a somar.

Infelizmente para ter meu Direito garantido terei de recorrer à Justiça contra uma Instituição que confiei meu dinheiro por mais de 34 anos. E diga-se, com o aval da PMERJ. 


27 comentários:

  1. Esta caixa conduzida pelo lobãzinho, é falsa e mentirosa, pois estou a 13 anos para receber o pecúlio do meu marido e até agora nada e o lobãzinho fica dando cestas básicas e 100 reais, como se nós viúvas não fossemos uma pobres coitadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade! eu e minha mãe estamos sem receber o pecúlio desde julho de 2002.Ano pelo o qual meu pai veio a falecer.Isso é um verdadeiro descaso com os assossiados seus dependentes.Chega de conversinha fiada e mentiras.Nós não somos tolos.Justiça neles já ! queremos nossos direitos..........

      Excluir
    2. Boa tarde a todos.
      Sou advogado especializado na área e tenho recebido bastante clientes com essa reclamação.
      Caso haja interesse nos nossos serviços, favor entrar em contato através do e-mail: advjonathan@yahoo.com
      Estamos com material vasto e amplo própria para este tipo de reclamação, inclusive com diversas ações em curso.
      Att. Dr. Jonathan Benedito

      Excluir
  2. dei entrada para receber o peculio dia 30/09/2011 ate agora nada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Sineide.
      É de saber notório que a Caixa Beneficente da PMERJ não vêm efetuando o pagamento do benefício ao qual pleiteia, senão através do Poder Judiciário.
      Meu nome é Jonathan Benedito, sou advogado atuante na área Militar e Cível.
      Estamos com diversos casos no nosso escritório semelhantes a este, e, nos mostramos inclinados a auxiliá-lo.
      Caso tenha interesse entre em contato conosco através do e-mail: advjonathan@yahoo.com
      Tenho uma boa tarde.

      Excluir
  3. dei entrada para receber o peculio dia 30/09/2011 ate agora nada

    ResponderExcluir
  4. dei entrada para receber o peculio em 30/09/2011 ate agora naõ obtive resposta!!!

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde a todos! Muitos depoimentos são um desabafos eu intendo mais isso não resolve nada. È lamentável as perdas desses policiais. Na verdade quem sofrem são os familiares que por direito deu entrada para receber seus pecúlio e até hoje só promessas!

    ResponderExcluir
  6. Dei entrada em 2011 processo - 097 ; Maria salvadora Monteiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde. Sra.
      Sou advogado especializado na área de Direto Militar e Cível e acompanho aqui o apela que vêm fazendo nas redes sociais.
      É de saber notório que a Caixa Beneficente da PMERJ somente vêm realizando o pagamento a seus beneficiários através da intervenção do Poder Judiciário.
      Diversos casos análogos estão aparecendo em nosso escritório, tendo já, inclusive, diversas ações em trânsito.
      Contamos com vasto material jurídico e jurisprudência para o caso em comento.
      Caso haja interesse em nossos serviços, entre em contato através do e-mail: advjonathan@yahoo.com

      Excluir
    2. Me interessei muito por vcs. Meu esposo faleceu vai fazer 1 ano em dezembro. E acontece que dei entrada em janeiro de 2016. Ele descontou durante 45 anos mais ou menos e não retirou nada em vida. Vieram me dizer hj que é um total de 2 mil e pouquinho que absurso é esse. Durante 45 anos nem a poupança rende tão pouco. Entrarei em contato com vocês.

      Excluir
  7. Dei entrada no processo número 097 em 2011 até hoje nada.

    ResponderExcluir
  8. O QUE FAÇO? SOU POLICIAL MILITAR REFORMADO, ME REFORMEI CEDO DEVIDO ACIDENTE, FUI NA CB, INFORMARAM QUE TERIA QUE ESPERAR A ÉPOCA DE REFORMAR PARA PODER RECEBER A QUANTIA QUE TINHA DIREITO POR IR A INATIVIDADE, ESPEREI, QUANDO CHEGOU A EPOCA, 30 ANOS, VOLTEI A CB, FUI ONDE ME INDICARAM, LA NA AV. RIO BRANCO, FUI INFORMADO QUE FICARIA PARA ESPOSA, QUE NEGOCIO É ESSE AFINAL? CADÊ A PORCENTAGEM DE QUE ME FALARAM QUANDO DO MEU INGRESSO NA PM QUE EU RECEBERIA QUANDO DA MINHA PASSAGEM PARA RESERVA? POR QUE NÃO ME PAGARAM? COMO FAÇO PARA RECEBER? SE ALGUEM TIVER UMA SOLUÇÃO, POR FAVOR ME ESCLAREÇAM, MEU E-MAIL, 747reis@gmail.com, por favor, me digam como posso receber, eu pago a porcentagem quando receber ao advogado que me disser que me fará receber, pode demorar , mas , que resolva, obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só através da Justiça terá alguma chance de receber. Se como beneficiário não recebeu, imagine depois de sua morte? Ai é que não pagam mesmo.

      Excluir
  9. Nossa! Meu pai faleceu no ano 91. Eu morei fora do pais por todos estes anos. Vou dar entrada agora... vou morrer esperando,ne_

    ResponderExcluir
  10. sou 31000,fui para reserva sou mais um que contribui para manter os salarios de apadrinhados na CB,e não adianta só um milagre ou surgir um novo Sérgio Moro para nos socorrer

    ResponderExcluir
  11. Sou 31000 estou na reserva,e dei entrada no auxilio inatividade e nada de dindim estou pagando os salários de sabe quem atenção novos companheiros PPms não caiam nessa conversa fiada não se associem para daqui a 30 anos se arrependerem basta.só a Federal para investigar o paradeiro do nosso dinheiro

    ResponderExcluir
  12. Quem souber algo sobre a CORFA, me informe.
    Faliu a mais de 20 anos e ainda vem o desconto no contra cheque...Como cancelar? ou se se é possível um acordo?

    ResponderExcluir
  13. por acaso alguem conseguiu receber o peculio da cbpm, pois ja mudou de direção , e no meu caso, foi com o chivarry, suspeito d epedofia. tambem não recebi e no conjunto da policia tem mais de 200 pessoas querendo recebr. alguem conseguiu resolver e receber

    ResponderExcluir
  14. Meu pai morreu em 2/11/09.Minha irmã demos entrada no pecúlio em 2009.Hj já tem mais de sete anos. Só que tinha 3 anos eu comecei a cobrar, como não obtive nenhuma resposta satisfatória. Fui na Caixa beneficente no centro da cidade,a pessoa que me atendeu disse que já tinha os cálculos prontos. Como eu fui sozinha só me deram o valor que eu tinha direito,que era no total de mais de cinco mil reais. O da minha mãe e irmã só poderiam dar o valor a elas. Mais quando já tinha quase sete anos de falecido,minha mãe faleceu.Falamos com um advogado para que resolvesse nossos direitos. Ele veio com a seguinte resposta que eu e a minha irmã só tínhamos para receber mil e cem reais e a minha mãe três mil reais. Sendo que a parte da minha mãe teria que ser colocado na abertura do inventário.Estranhei, gostaria de saber se procede essa resposta. Ele queria que eu assinasse uma procuração para ele agir em nosso nome. Não confiei. E tbm gostaria de saber se depois desses anos de se tem juros no valor apresentado depois desses anos.Meu imail é Márcia.bfreitas@ig.com.br

    ResponderExcluir
  15. Boa noite quais os documentos necessários para da entrada no pecúlio??
    E-mail michelesouzaluz@gmail.com

    ResponderExcluir
  16. Boa noite quais os documentos necessários para da entrada no pecúlio??
    E-mail michelesouzaluz@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não lembro da documentação pedida, mas certamente a publicação de inatividade do Diário Oficial RJ e/ou Bol PMERJ serão pedidos.

      Excluir
  17. O pai dos meus dois filhos faleceu recentemente ele era subtenente da pmerj.Eu não era casada com ele.por acaso meus filhos tem direito?Ou SÓ tem direito quem ele colocou como beneficiário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem direito sim, mas não creio que pagarão com o pedido. Vá a CBPMERJ com a certidão de nascimento e faça a solicitação de pagamento. Eles negando ou não atendendo, constitua um advogado.

      Excluir
  18. Dei entrada ao peliculo com minha mãe e minha irmã já tem os calculos mais até agora nada vai já para dois anos sempre que ligo não tem previsão,queria saber se tenho que recorrer a justiça

    ResponderExcluir
  19. Dei entrada tem mais de 1 ano ligo e sempre a mesma resposta muito descaso sempre ,já passaram os cálculos mais ainda nada eu minha mãe e minha irmã e ainda nada ,queria saber se tenho que entrar com alguma ação judicia ?

    ResponderExcluir