sábado, 15 de fevereiro de 2014

(NRs-11, 12, 18) ANALISANDO ACIDENTES COM MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS


Os últimos acidentes de trabalho em obras da Copa-2014 e em uma grande autopista no Rio de Janeiro, trazem à discussão  uma das atividades de maior risco em segurança no trabalho: o transporte de cargas ou a circulação de equipamentos para transporte de cargas. Essas atividades envolvem diversas variáveis de risco, como a carga, o equipamento transportador e os operadores, além de condições climáticas e do piso onde se desenrola a operação. Tais acidentes acabam gerando outros transtornos e acidentes secundários, como interdição de pistas, do tráfego público, incêndios, problemas ambientais e paralisação de obra. Além disso ocasionam enormes prejuízos incluindo danos patrimoniais e sobretudo a vida de trabalhadores. Na maioria dos casos analistas apontam a falta de planejamento e de supervisão como as principais causas originárias.
Em um Estudo publicado na Internet, o Eng de Segurança Francisco Navarro, da UFF, analisa a questão de forma sistemática estabelecendo categorias de problemas, os riscos associados e uma estatística de causas principais de acidentes observada em um determinado número de ocorrências.
Selecionamos apenas 3 exemplos de categorias, provavelmente as mais comuns, podendo-se buscar os demais resultados do Estudo no link abaixo da tabela. A fim de sumarizar alguns achados do Estudo do Prof. Navarro, elaboramos uma Tabela com 3 variáveis: 1) a categoria do problema; 2) o risco associado; e 3) uma estatística relacionada às ocorrências, com os dados do Estudo:
ACIDENTES COM TRANSPORTE DE CARGAS (fotos do Estudo)

CATEGORIA 1
RISCO
DIMENSIONAMENTODOS EQUIPAMENTOS
Dimensionamento inadequado do
equipamento de movimentação de carga
ESTATÍSTICA (em 385 ocorrências)
01Falta de Inspeção completa do equip e seus acessórios90%
02Equipamento inapropriado para a carga a ser transportada85%
03Capacidade dos acessórios e cabos (subavaliada)75%
04Existência de obstáculos65%
05Capacidade de carga do terreno (subavaliada)50%
06Inabilidade do Operador50%
07Geometria da peça (exigência de equipamentos auxiliares)45%
08Características do terreno40%
09Condições ambientais adversas (chuva e vento)35%
10Local inapropriado35%
11Falha estrutural do equipamento25%
12Dimensões e Pesos das Cargas20%
13Acessibilidade do equipamento e da carga20%
14Falta de um adequado isolamento da área15%



CATEGORIA 2
RISCO
ENVOLVIMENTO DOS TRABALHADORES
Queda das cargas ou acidentes
envolvendo os trabalhadores
ESTATÍSTICA (em 270 ocorrências)
01Características das cargas (principalmente em sua geometria)95%
02Passagem de equipamentos nas proximidades90%
03Trajeto apresentando obstáculos e interferências85%
04Dificuldade de manuseio de cargas (pontos de pega inadequados)80%
05Falta de um adequado isolamento da área80%
06Transposição de obstáculos (tanto de altura como no mesmo nível)75%
07Cargas com excesso de umidade ou de óleo65%
08Deficiência de nivelamento ou de obstáculos no piso55%
09Peso excessivo ou concentrado de cargas45%
10Imperícia ou imprudência do trabalhador45%
11Excesso de pessoas no entorno da operação de transporte35%
12Falta de sinalização adequada35%
13Cargas com extremidades agudas35%

CATEGORIA 3
RISCO
TOMBAMENTO DO
VEÍCULO TRANSPORTADOR
Tombamento do equipamento de guindar/transportar
(condições do terreno)
ESTATÍSTICA (em 420 ocorrências)
01Obstáculos ou obstruções nas vias95%
02Desníveis existentes nas vias90%
03Obstruções nas passagens (viadutos e passarelas mais baixas)85%
04Capacidade do piso70%
05Inadequação do piso ao tipo de transporte65%
06Contenção do terreno40%
07Falha na estiva por onde transitavam os veículos35%
08Falta de planejamento da atividade30%
09Rompimento de sapatas de distribuição da carga no veículo20%
10Falhas mecânicas5%

Mencionamos outras categorias citadas pelo autor cujos detalhes podem ser acessados no link ao final (fonte):
ROMPIMENTO DOS PONTOS DE PEGA
QUEDA DOS MATERIAIS TRANSPORTADOS
ARRUMAÇÃO OU DISPOSIÇÃO DAS CARGAS
ROMPIMENTO DO CABO OU CINTA DA CARGA
Fonte: Engo. Antonio Fernando Navarro (slideshare)

AS NRs
Selecionamos alguns itens de NRs correlacionados ao tema, os quais orientam empresas e trabalhadores na prevenção de acidentes com transporte de cargas. Observe que esses itens contemplam praticamente todas as ocorrências mencionadas no Estudo relacionadas a esse tipo de acidente. Daí a importância de não somente conhecer mas manusear as NRs de forma correta e prática para a sua efetiva aplicação e não apenas consulta.
No site NRFACIL cada NR encontra-se em uma pasta, sendo possível acessar todo o texto ou selecionar itens da NR através de um índice remissivo. Acesse no site a pasta da NR mencionada e veja o texto correspondente aos destaques do remissivo. A seguir, colocamos infográficos de algumas NRs como exemplos.
A primeira NR selecionada (abaixo) é a NR-11 (TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO, MANUSEIO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS) e no Remissivo escolhemos o item que estabelece principalmente regras de segurança para os cabos de aço, roldanas, correntes e ganchos. Nos acidentes em estádios da copa, atribui-se grande parte das falhas a esses itens dos equipamentos. Acesse o texto completo no site (www.nrfacil.com.br).

A segunda NR que selecionamos (abaixo) é a 12 (MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS). Observe o item em destaque do Remissivo (Aspectos Ergonômicos). Este item acrescenta mais detalhes à NR-17 (Ergonomia) no que diz respeito às condições para favorecer a confiabilidade das operações com redução de probabilidade de falhas. No acidente do Itaquerão, destacou-se que um TST havia alertado que a operação não iria ser confiável em função da instabilidade do terreno. Acesse a NR no site e leia o texto completo.

A terceira e última NR que escolhemos é a 18 (PCMAT) com  a seleção do item Treinamento, aspecto indispensável na prevenção de qualquer tipo de acidente, especialmente os ocorridos no transporte e movimentação de cargas. O treinamento deve ser previsto não só para o início de cada fase da obra mas sempre que se tornar necessário. No acidente da autopista no Rio de Janeiro, tudo indica que o operador não recebeu treinamento adequado para a prevenção de uma ocorrência mecânica no veículo. O Estudo do Prof. Navarro enfatiza exatamente a falta de planejamento e supervisão, que só pode ser viabilizado com um adequado treinamento dos trabalhadores nas suas diversas funções:

Acesse no site as pastas das NRs e navegue pelo Remissivo, procurando os itens correlatos ao assunto. Você tambem pode acessar pastas de outras NRs que certamente estarão relacionadas bastando abrir a pasta e selecionar no Remissivo o item desejado. Apenas o texto do item selecionado será projetado, não sendo necessário ter que procurar em toda a NR.
Finalmente, agradecemos a autorização do Prof. Navarro para a publicação de parte do seu Estudo neste Blog.
Boa leitura!


Nenhum comentário:

Postar um comentário