sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

PMERJ e CBMERJ, “dormindo com o inimigo”


RESUMO DO LIVRO DORMINDO COM O INIMIGO

 
"O pior dos vilões pode ser aquela pessoa na qual mais confiamos. Relacionamentos que nascem como contos de fadas muitas vezes acabam gerando verdadeiros casos de polícia: o sapo não só abandona sua transformação em um belo príncipe como também se metamorfoseia em um letal escorpião. Em Dormindo com o Inimigo, Roberto Bo Goldkorn – autor de Não Te Devo Nada! e Solidão Nunca Mais – traça uma apurada e elucidativa análise sobre o perigoso momento em que o amor dá lugar ao terror. Através de uma linguagem clara e objetiva, o autor faz de seu livro uma conversa franca que funciona como alerta: nem sempre é seguro mergulhar de olhos vendados em uma grande paixão"

Desde o ano de 2011 o PSOL esteve presente nas manifestações dos Bombeiros Militares, que aos poucos foi mobilizando os Policiais Militares. A logística estava sempre a disposição, com locais, carros de som e verbas para diversos gastos. Deu no que deu, após a suposta greve, centenas de militares estaduais foram presos em presídio de segurança máxima e excluídos sumariamente de suas Corporações. Foram alertados, mas não ouviram ou não souberam ouvir o aviso nas entrelinhas. Tanto que a PCERJ caiu fora.
Fala de Francisco Chao do SINDIPOL. Link: http://youtu.be/K8aMe1WBul4
                                                Na sede do SINDSPREV, reduto PSOL
 
Pois bem, se confirmadas as acusações sobre apoio financeiro do PSOL nas investidas dos “black bloc” nas manifestações pacificas e os ataques furiosos contra policiais militares, com apoio da mídia que hoje é também vitima deles, resta dizer que estão muito próximos de seu inimigo mortal.
Link: Nomes aos "bois"

No 7 de setembro, apesar de os “black bloc” terem ameaçado invadir a Pres. Vargas em pleno desfile, nenhuma ação preventiva se viu. Eles vieram como um pelotão formado, insultando, agredindo e ameaçando, chegando inclusive a jogar bombas na arquibancada onde estavam idosos e crianças. Junto a eles, “jornalista” com informações privilegiadas acompanhavam a trajetória registrando em vídeos e fotos. Só depois de iniciadas as agressões é que as Forças de Choque do E.B. e PMERJ adentraram na avenida. Será que não sabiam?

 
Em outra oportunidade, quando mais de um milhão de pessoas se manifestavam na Av. Pres. Vargas, grupos de vândalos tomaram a manifestação que transcorria ordeira e pacifica para depredar, atacar a polícia e o patrimônio público. Bandidos desceram da comunidade Morro da providencia para reforças as ações de terror que foram vistas.
No acampamento na casa de Sergio Cabral, até cenas de sexo foram protagonizadas pelos “manifestantes”, com uma delas tendo tido relações com vários numa noite.

Da sua tenda, instalada ao lado de outras três em frente à Praia do Leblon, Emma dispara constantes convocações de “assembleias” para os acampados. Podem ser para discutir coisas como a distribuição de comida, na maior parte doada por moradores da vizinhança, ou a recepção a recém-chegados.
É ouvida com respeito e atenção – mas, às vezes, a turma se rebela e não se mexe, alegando que “é hora de lazer”. Nos intervalos entre as assembleias, lê o livro História da Riqueza do Homem, de Leo Huberman, uma provável concessão autonomista, já que a obra enfoca a história econômica sob a ótica marxista.

Mas Emma também preza os momentos de lazer: namoradeira, foi vista “ficando” com dois acampados num mesmo dia. Afinal, como já dizia a outra Emma, a lituana que se apresentava como defensora de todas as liberdades: “Se eu não posso dançar, essa revolução não me interessa”.
 
Agora, depois de um bom tempo tímida em seu canto, a PMERJ quer se mobilizar junto a outras forças pela “PEC 300”. Mas é só isso ou PEC 300 é um chamariz?
Prestem atenção na chamada! Unificação e desmilitarização das Polícias Militares, o que isso tem a ver com PEC 300? Sabem do que falo, não? A criação da polícia repressora comunista.
Coisa de Freixo e PSOL.
Deputado Marcelo Freixo defendeu a urgente desmilitarização da polícia. Leia, abaixo, seu artigo: Freixo defende polícia desmilitarizada

Pauta: PEC 300 - Piso Nacional de R$5.000, Unificação e Desmilitarização das Polícias Militares; Fim das escalas abusivas e regulamentação da carga horária de 40 horas semanais; remuneração do serviço extraordinário; fim do Assédio Moral, Direito a sindicalização e greve dentre outros temas.
Não vou dormir com o inimigo, estarei lá registrando tudo, inclusive se as forças do estado do Rio de Janeiro estiverem sendo manipuladas.
E fica o convite aos “Black bloc, que tanto já expressaram seu ódio pela polícia. Compareçam! Será uma ótima oportunidade de deslanchar seu ódio. Claro, se tiverem coragem.
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário