sexta-feira, 28 de março de 2014

Palavras do Presidente do Clube Militar


Capa do jornal O Globo, celebrando o "ressurgimento da democracia", um dia após o Golpe Militar
 
O Clube Militar relembra os acontecimentos que culminaram com o Movimento Democrático de 31 de março de 1964, ocasião em que a maioria de brasileiros patriotas, extremamente preocupados com os rumos que a subversão dos princípios éticos, morais, disciplinares, hierárquicos de ordem e progresso, da lei e do direito implantada no País, reforçada por omissão e interesses eleitoreiros, inclusive das mais altas autoridades do governo – já comemorando a próxima tomada definitiva do poder – resolveu agir. E soube fazê-lo de maneira rápida e decisiva, desmontando as pretensões que a fanfarrice comuno-sindicalista acreditava ser uma sólida fortaleza.
O Clube Militar, participante ativo de tantos acontecimentos históricos de nosso País, também naquela oportunidade estava presente, cerrando fileiras com aqueles que souberam impedir mais essa tentativa de tomada do poder que iria de encontro aos ideais democráticos da nossa população.

O Movimento de 31 de Março foi a resposta altiva e digna dos militares à convocação das forças vivas da Nação, representadas pela imprensa, partidos políticos, religiosos, empresários, donas de casa e brasileiros comuns, os quais anteviam a Nação cada vez mais próxima de amesquinhar-se em satélite do mundo comunista, o qual abrangia quase metade do globo, naqueles tempos de guerra fria.
A esquerda, todavia, orquestra versão deturpada dos fatos históricos, procurando impor a prevalência de suas “verdades”. Apregoam ter sido uma “quartelada”, um “golpe articulado na caserna”. Isso não resiste a uma pesquisa isenta e séria.

Meio século já passou. Já há um distanciamento temporal para que verdadeiros historiadores comecem a estudar o período, embasados em fontes primárias e não em discursos deturpados de propaganda esquerdista, os quais infestam, inclusive, livros escolares e publicações de órgãos oficiais. Persistem ainda admiradores desse anacronismo que estagnou e arruinou todas as nações que foram subjugadas e tiveram esse regime implantado.

O Clube Militar, com seus artigos e fotos de publicações da imprensa da época, procura colaborar na difusão de uma visão realista dos acontecimentos de 1964 – isenta das distorções provocadas pela releitura da História – lembrando o cenário reinante no País e a reação popular, política e militar ao assalto do poder pelas esquerdas.

General de Exercito Renato Cesar Tibau da Costa
Presidente do Clube Militar

Um comentário: