quinta-feira, 6 de março de 2014

Programação especial lembra os 50 anos do golpe militar no Brasil

GloboNews apresenta programação especial sobre 50 anos do golpe militar no Brasil
 
Depois da folia, é chegada a hora de relembrar um período importante da história do Brasil: os 50 anos do golpe militar. A GloboNews prepara uma programação especial, que vai ao ar a partir de sábado, dia 08 de março, com vários programas com edições voltadas para o tema.
 
A estreia acontece com o ‘Dossiê GloboNews’, uma maratona liderada pelo repórter Geneton Moraes Neto, com entrevistas que trazem visões conflitantes sobre o golpe de 1964: a palavra de quem combateu e a palavra de quem apoiou o regime. Durante quatro sábados consecutivos – dias 8, 15, 22 e 29 de março –, Geneton revisita os momentos mais marcantes de depoimentos de generais, ex-guerrilheiros, ex-ministros do regime militar, ex-governadores e personagens importantes da crônica política da época. Entre os entrevistados estão o general Newton Cruz (ex-chefe da Agência Central do Serviço Nacional de Informações), Lincoln Gordon (embaixador dos Estados Unidos na época do golpe), os ex-ministros Jarbas Passarinho e Reis Velloso e os ex-guerrilheiros Carlos Eugênio Paz, Flávio Tavares e Cid Benjamin. Além da exibição nos quatro sábados, a maratona do ‘Dossiê GloboNews’ terá edições também durante a semana, de 21 a 31 de março, data do aniversário de 50 anos do golpe.
 
No dia 11 de março, Carlos Vergara e Jorge Bodansky conversam com Bianca Ramoneda para o ‘Starte’ em meio a imagens documentais de uma época que se mostrou tão violenta quanto criativa para o mundo das artes. O fotógrafo-cineasta Bodasnky mostra à Bianca uma série de imagens clicadas por ele em 1964, as primeiras de sua carreira, quando ainda era estudante da UNB e aprendia a olhar a cidade com o mestre Athos Bulcão. Carlos Vergara acompanha Bianca na exposição “Resistir é preciso”, no Centro Cultural Banco do Brasil, organizada pelo Instituto Vladimir Herzog com curadoria de Fabio Magalhães. Em diálogo com as fotos estão obras do artista plástico, que conversa sobre a influência da ditadura para os artistas da época. 
 
‘Almanaque’, que vai ao ar no dia 15 de março, explora o documentário “70” de Emília Silveira e roteiro da jornalista Sandra Moreyra, que contam detalhes da produção e gravação dos depoimentos. Durante a ditadura militar, um grupo de 70 presos políticos de diferentes organizações é enviado ao Chile em troca da libertação do embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher. O documentário reencontra esses personagens 40 anos depois do banimento e aborda questões como quem são eles, como veem o passado, como sobreviveram e como vivem hoje.
 
‘Arquivo N’ traz uma série especial de quatro programas, uma aula de história que passeia por quatro décadas. O primeiro episódio, no dia 19 de março, fala dos 60 anos do suicídio de Getúlio Vargas, ocorrido em 1954. Na semana seguinte, o assunto são os 50 anos do golpe. Em seguida, o ano de 1974, que ficou marcado pelo início da abertura e a posse de Ernesto Geisel. E, fechando o ciclo de programas especiais, os 30 anos do movimento ‘Diretas Já’, em 1984.
 
No dia 28 de março, o ‘GloboNews Literatura’ abre sua nova temporada com matérias sobre livros censurados pela ditadura, como “Zero”, de Ignácio de Loyola Brandão e “Feliz Ano Novo”, de Rubem Fonseca. O programa traz ainda entrevista com Flamaurion Maués sobre as editoras que, durante a ditadura, publicavam livros de escritores censurados pelo regime militar. Na coluna, ‘Na Vitrine’, os lançamentos e reedições de livros sobre a ditadura.
 
A programação especial da GloboNews, que lembra os 50 anos do golpe militar no Brasil, estreia no dia 08 de março com o ‘Dossiê GloboNews’, às 21h05.
 
 
 
 
Num momento tão delicado que o País atravessa, veremos a tendência desta reportagem. Recentemente o jornal O GLOBO admitiu que errou ao apoiar o "golpe" de 1964, portanto, não devemos esperar que a reportagem seja fiel aos fatos, somente a confirmação de sua atual postura de apoio ao sistema vigente.
 
O vídeo contido no link mostra claramente a intenção.

2 comentários:

  1. É a Globo se preparando para apoiar a ditadura comunista que já está se instalando em nosso País.
    Tomara que os MILITARES deem um novo contra golpe e fechem de vez essa emissora nojenta, vendida a quem paga melhor.

    ResponderExcluir