segunda-feira, 31 de março de 2014

Solenidade em homenagem ao Grupo TERNUMA na ALERJ


Atendendo ao convite do Deputado Estadual Flavio Bolsonaro, compareci à ALERJ para ver, aprender, ouvir, saber, me admirar com o evento e me decepcionar com a ALERJ, uma Casa que não mais merece ser chamada de a Casa do Povo. É a casa de uma quadrilha organizada de meliantes que de tudo fazem para que seus interesses sejam atendidos, até censurar a TV ALERJ.
 
 
Deu-se inicio com o cântico do Hino Nacional, como é de costume em ocasiões onde Patriotas estão presentes.

Após as palavras de Flávio Bolsonaro, apresentando o General Valmir Fonseca Azevedo, do grupo TERNUMA e o Ten Cel Lucio Augusto Ribeiro, que lutou na guerrilha do Araguaia, foi exibido um vídeo com depoimentos dos que se propuseram a luta armada, declarações estas que depunham que o que queriam não era a Democracia e sim a implantação de um regime do proletariado.

 
Logo após o início, a TV ALERJ saiu do ar, terminando a exibição. Flavio Bolsonaro pediu informações do que ocorrera, sem resposta. Foi até o estúdio da TV ALERJ onde os técnicos não responderam sobre o que aconteceu, limitando-se a dizer que as informações deveriam ser prestadas pelo Diretor.

"Os heróis da esquerda, que tanto admiram e enaltecem, mostraram suas verdadeiras personalidades, estão na maioria presos no Presidio da papuda"

Estava implantada a censura na casa do Povo, a ALERJ. Pelas próximas duas horas a TV ALERJ não mais exibiu o vídeo, como também não transmitiu a Solenidade que acontecia no plenário. Informa que a TV ALERJ nunca enfrentou problemas técnicos que perdurassem por mais de dois minutos.
O Deputado Flavio Bolsonaro ainda tentou ligar para o presidente da Casa, DePUTAdo Paulo Melo, que estava com seus telefones desligados, em total conluio com a censura. Esclarecendo que no inicio do evento Flavio teceu agradecimentos ao presidente da Casa por não se opor a Solenidade, inclusive fazendo referencia que aquela casa era a Democracia; lógico que diante deste episódio o agradecimento foi desfeito.

Outro ocorrido percebido é que o ar condicionado estava ligado no máximo, fazendo daquele ambiente um lugar desconfortável diante do frio dentro do plenário. Eu tremia, acarretando fotos e vídeos tremidos.
O Ten Cel Lucio Augusto Ribeiro deu seu depoimento sobre os fatos na guerrilha do Araguaia, inclusive como foi morto um menor, filho de gente humilde da região, que foi acusado pelos guerrilheiros de havê-los denunciado. Teve seu corpo mutilado ainda vivo e por fim deram-lhe uma facada no peito, tudo diante de seus pai e irmãos.

O general Valmir Azevedo também discursou sobre os fatos daquela época e sobre a importância do Grupo TERNUMA (Terrorismo Nunca mais).
Por fim, o Deputados Flavio e Jair Bolsonaro, Estadual e Federal, Falaram sobre a saída do ar da TV ALERJ, um desrespeito a Casa do Povo e aos que ali estavam presentes. Mostraram o quanto temem que a VERDADE seja mostrada e provada, pois, nada do que se disse ali é improvável, é realidade documentada que só os tolos não vêem por não querer.

Parabéns a Família Bolsonaro, mesmo com a censura da TV ALERJ, prestou a justa homenagem ao Movimento Democrático de 1964, o qual as verdades a esquerda tanto teme sejam divulgadas.


Um comentário:

  1. A ALERJ conseguiu se nivelar à câmara federal no cerceamento da verdade. Seus integrantes, com raríssimas exceções, são do mesmo naipe dos de lá! É lamentável o que sucedeu, mão não surpreende!

    ResponderExcluir