quinta-feira, 17 de abril de 2014

Irmãos em Armas


Por que a AMAN Empunhou Armas em Defesa da Democracia
(Proclamação lançada na manhã de 1º de abril de 1964, ao se deslocarem os cadetes para a Guanabara, na vanguarda do II Exército).

“Aqui estão os Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, mãe comum dos dignos oficiais do Exército Brasileiro e forjadora dos caracteres ilibados dos militares que hoje, por motivos conhecidos, estão por se defrontar.

A AMAN, ao adotar a atitude que tomou – que nossa presença aqui materializa – pensou principalmente na validade eterna dos princípios de disciplina e hierarquia que tem sido o apanágio glorioso de nossas Forças Armadas. Aqui está a Mocidade Militar do Brasil, representada por jovens possuídos dos mais alcantilados sentimentos de patriotismo e apego ao dever, não para agredir seus irmãos de armas, nem para deixar-se sacrificar, mas sim para salvaguardar os princípios que regem a profissão que escolheram por vocação irresistível e, se necessário for, dignificar a farda que vestem através de atos de que falará no futuro, com respeito e admiração, a História de nossa estremecida Pátria.
No momento em que persiste o extremo perigo de , neste vale de tão alto significado para a vida nacional, enfrentarem-se e matarem-se irmãos que, no fundo, cultuam os mesmos ideais e perseguem os mesmos objetivos, nossa atitude significa, também a tentativa patriótica de evitar o desperdício de energias que, talvez, venham a ser necessárias à defesa de nossos lares e das tradições que têm marcado nossa existência.

Irmãos de nascimento, de fé patriótica e de ideal: refleti bem antes de , pela violência, tentar abater o ânimo sacrossanto que para aqui nos conduziu. A Academia, por seus orientados direitos, aqui está disposta a cumprir, na íntegra, tudo quanto nos tem sido ensinado como sagrado e proveitoso para a Pátria. Não tenteis cortar sem maior ponderação, no seu nascedouro, tantas vocações capazes de gerar, para a condução do destino do Brasil, os chefes que carece a grande nação a que todos, com orgulho, pertencemos.
Militares do Exercito Brasileiro: que não seja esta a vida dolorosa para vossas consciências e para a herança de vossos descendentes.

Unidos, teremos todos a gratidão da Pátria; se nos desaviermos, por certo o Brasil um dia nos condenará como autênticos dilapidadores do poder energéticos que tantos sacrifícios custaram a nossos antepassados.
Irmãos: que a Bandeira Brasileira, que tremula altaneira nos nossos mastros e reflete os sentimentos cristãos de nossos corações, nos cubra a todos e inspire nossas ações, nesses momentos graves de nossas vidas, tão úteis e necessárias à grandeza do nosso querido Brasil.”
Ações dos Cadetes da AMAN

Nenhum comentário:

Postar um comentário