sábado, 5 de abril de 2014

Nota de Falecimento


É com imensa tristeza e pesar que comunicamos o falecimento de tão querido amigo que se chamava CARÁTER… E que viveu por muitos e muitos anos entre nós. Ninguém sabia, com precisão, a sua idade porque o registro de seu nascimento foi desclassificado a muito tempo, tamanho a sua antiguidade. Mas, nós nos lembramos muito bem dele, principalmente pelas suas lições de vida, tais como “o direito de um termina onde começa o do outro”, “a honestidade não é uma virtude a ser aplaudida mas sim praticada” ou ainda, “decência é como gravidez, existe ou não existe” e também “respeite, mesmo se for desrespeitado”.

O CARÁTER só vivia com regras simples e práticas como “não existe qualquer tipo de convivência sem respeito” e de claros princípios básicos como “o exemplo vem de cima”. Acontece que o CARÁTER começou a ficar abalado, quando altas personalidades da vida pública brasileira deixaram de participar do noticiário político, passando para o noticiário policial. Seu estado se agravou, quando ele soube que dois ex-prefeitos de São Paulo haviam sido presos por terem praticado falcatruas no exercício do cargo, e depois soltos, obviamente.
 
 
Deteriorou-se mais ainda, quando ficou sabendo que um destacado homem público pagava a pensão de sua amante com dinheiro público surrupiado de nós, e que a esposa traída nem ligou muito para o escândalo, pois ela estava mais interessada nas mordomias que o marido infiel lhe proporcionava.
 
 
Enfim, o CARÁTER perdeu a vontade de viver, quando percebeu que os ladrões e os criminosos recebiam melhor tratamento do que as suas vítimas. Também recebeu fortes golpes morais e físicos, quando a justiça decidiu que era crime nos defendermos de algum ladrão na nossa própria casa, enquanto a este último é dada a garantia de poder queixar-se por agressão e atentado à integridade física…
 
O CARÁTER perdeu, definitivamente, toda a confiança e a vontade de viver quando soube que, antigos opositores do Governo (e agora integrantes dele) estavam recebendo polpudas indenizações por terem feito oposição a um Governo do qual muitos deles chegaram a participar e em cujas tetas se locupletaram.
 
 
Certamente você percebeu que a morte de CARÁTER foi precedida pelo falecimento dos seus pais DECÊNCIA e a VERGONHA na CARA, mulher HONESTIDADE e de sua filha RESPONSABILIDADE, além dos filhos BRIO, BOM SENSO e PATRIOTISMO.

 
O CARÁTER deixa o seu lugar para três falsos irmãos: “vote em mim”, “você sabe com quem está falando?” e “estou me lixando para a opinião pública”. Mas, se você ainda se recorda dele e queira homenageá-lo, informe aos seus amigos do desaparecimento do saudoso CARÁTER, fazendo circular esta comunicação.
 

Um comentário: