segunda-feira, 14 de abril de 2014

O Dever dos Militares


Editorial de O Estado de Minas – 05 de abril de 1964
Se há um setor que não está corrompido no Brasil, graças a Deus, é o das Forças Armadas, incluídos o Exército, a marinha e a Aeronáutica. Em Minas, devemos juntar a esse bloco de homens dignos e patriotas a Polícia Militar, outra corporação que tem dado os mais admiráveis exemplos de amor à nossa terra.

Feliz a nação que pode contar com corporações militares de tão altos índices cívicos. A todo momento, essas corporações, comandadas por oficiais formados na melhor escola, a escola do patriotismo, da decência, da pureza de intenções e propósitos, nos oferecem o testemunho de sua identificação com os melhores ideais de nosa gente. O que elas tem no coração é um Brasil grande, progressista, respeitado, unido de norte a sul, de leste a oeste, trabalhando livremente num clima de ordem e de paz.

Os nossos militares, quanto mais fundo e mais grosso é o mar de lama, estão recolhidos às suas casernas austeras, submetidos a um regime de  vencimentos incompatíveis com as exigências da vida moderna. Hoje em dia, não há quem queira ser mais oficial do Exército da marinha e da Aeronáutica, porque não se recebem, nessas três armas, soldos que permitam uma existência tranqüila. No entanto, os militares tudo suportam estoicamente, assistindo diante deles ao espetáculo da mais deslavada corrupção, provocada pelo poder civil, pela baixa politicalha, pelo eleitoralismo grosseiro. Bastaria dizer que hoje um procurador de um dos institutos de previdência logo no primeiro mês de sua nomeação, sem ter serviço, indo  à repartição meia hora por dia, quando vai, recebe mais que um general que se submeteu a uma longa carreira, sendo obrigado a matricular seus filhos cada ano em um colégio diferente, e com um regime de trabalho de dez horas por dia.



É impossível, porém, enumerar aqui todas as injustiças de que são vitimas os militares. E não se queixam, não se desesperam, por amor ao Brasil. Pois bem: esses patriotas, que não contribuem para o abastardamento dos costumes públicos em nosso País, de quando em vez, são forçados a corrigir os erros da politicalha, tornando o poder dos corruptos, dos caudilhos, dos extremistas de baixa extração, restituindo-o limpo e puro aos civis. Nunca advogaram em causa própria, ou melhor, nunca tomaram o Poder em beneficio próprio. Só agem quando é preciso, afim de restituir a tranqüilidade e a paz ao seio da família brasileira. Mas essa tolerância com os civis, que não estão sabendo ser dignos do Poder, tem um limite. As imposições do patriotismo, que é tão aceso no meio militar, poderão levá-lo a dissolver as assembléias que insistem em permanecer dando cobertura a políticos corruptos e aventureiros, a comunistas interessados em abrir aqui uma porta ao fidelismo cubano.
 
O povo também está perdendo a fé nas soluções civis. Vê a volta das raposas de baixa politicalha com espanto e nojo, porque compreende que a agitação vai continuar, a corrupção idem, o assalto aos cofres públicos, a compra de fazendas e apartamentos com dinheiro roubado da Nação. O comando revolucionário não aceitará agora isso. Quer o expurgo, a higienização do meio político, a imobilização da gangue que infelicitava o Brasil. Os corruptos, onde estiverem, te4rão que pagar por seus crimes. Se estiverem no Parlamento alguns deles, terão que ver cassados os seus mandatos, os mandatos que não souberam honrar, traindo ali a democracia. Se estivessem os totalitários vermelhos no mais alto tribunal de justiça do País, há que se impor-lhes as sanções da própria lei que eles impõe4m a outros. Sem esse expurgo, feito sem violência, mas dentro da legislação de defesa do povo e do regime, não estará completa a revolução.

Se tolerarem qualquer transigência com os adjetivos da revolução, os militares serão novamente traídos pela parcela dos civis corruptos e indignos.
Homens com alta dignidade e compostura cívica, a bravura pessoal, a vida limpa e exemplar de um General Carlos Luis Guedes – que é um militar admirável – não podem permitir que se faça a reconstrução do Brasil em bases falsas. Essa reconstrução tem que ser, antes de tudo, moral. Foi por isso que todos nós, que estivemos na luta arrostando a empáfia dos baderneiros, sujeitos diariamente a assaltos e golpes dos extremistas, fizemos uma revolução.

Os militares não deverão ensarilhar suas armas antes que emudeçam as vozes da corrupção e da traição à Pátria. Cometerão um erro, embora erro de boa fé, se aceitarem o poder civil, que está ai organizado para assumir as responsabilidades da direção do País. Terão que impor um saneamento antes de voltar aos quartéis.

4 comentários:

  1. Embora reconheça que grande parte do que é postado confere com o original, não posso deixar passar em branco uma omissão tão grande. Como toda tese que parte de uma premissa falsa, por melhor que seja seu resultado, ele é falso, não há como calar diante dessa falsidade.
    Digo isso porque trata-se de uma avaliação de Brasil, algo amplo e de grande alcance, portanto afirmar que apenas as 3 forças armadas e nelas incluindo..." em Minas"... a Polícia Militar, no Roll das "probidades" absolutas, é ser, no mínimo, tendencioso e com certeza de memória curta, tipicamente brasileira.
    Minimalista demais em se tratando de um assunto de nível nacional. Sem querer tirar a cereja do bolo dos militares das forças armadas, gostaria de lembrar que seus integrantes, como os das Polícias Militares de todos os estados, vem da sociedade carioca, paulista, baiana, sergipana, sul riograndense, e de todas os outros estados,cidades,vilas e recantos desse país.

    ResponderExcluir
  2. Embora reconheça que grande parte do que é postado confere com o original, não posso deixar passar em branco uma omissão tão grande. Como toda tese que parte de uma premissa falsa, por melhor que seja seu resultado, ele é falso, não há como calar diante dessa falsidade.
    Digo isso porque trata-se de uma avaliação de Brasil, algo amplo e de grande alcance, portanto afirmar que apenas as 3 forças armadas e nelas incluindo..." em Minas"... a Polícia Militar, no Roll das "probidades" absolutas, é ser, no mínimo, tendencioso e com certeza de memória curta, tipicamente brasileira.
    Minimalista demais em se tratando de um assunto de nível nacional. Sem querer tirar a cereja do bolo dos militares das forças armadas, gostaria de lembrar que seus integrantes, como os das Polícias Militares de todos os estados, vem da sociedade carioca, paulista, baiana, sergipana, sul riograndense, e de todas os outros estados,cidades,vilas e recantos desse país.
    O que eles têm em comum, é o que trazem de casa, da família, pois não há academia que altere a natureza dos jovens que nelas ingressam, bem como seus valores que vem de berço.
    Podem sim aprimorá-las e o fazem, mas a escolha de como aplicar o aprimoramento, é pessoal e intransferível. Podemos levar o cavalo à beira do rio, mas obrigá-lo a beber...
    Dito isso, como mortais e humanos não somos melhores nem piores no caráter ou em correção de atitudes que nenhum desses ilustres citados, com exclusividade, tríplice.
    Só para avivar a memória curta, muitos devem lembrar das licitações de compra de fardas superfaturadas do exército há alguns anos atrás e do avião de transporte da aeronáutica, encontrado transportando meia tonelada de pata básica de COCAÍNA.
    Quem entende um pouquinho de segurança Pública sabe o que isso significa.
    Deixo de citar a Marinha, apenas por saber que "Pau-que-dá-em-Chico-dá- em-Francisco" também, como o dito popular. Afinal os homens de lá, vale lembrar,não vem de marte...saem da mesma sociedade da qual eu e você saímos, portanto sujeitos aos mesmos desatinos e probidades tornados no texto acima, exclusividade apenas das forças armadas e aos policiais militares de Minas!
    Logo, não posso concordar com a exclusão voluntária de todos os demais, inclusive àqueles, que por razões alheias às suas vontades, não puderam ingressar nas ditas forças e em quaisquer outras! Permanecendo, contudo, com sua riqueza de caráter, atras de um balcão, trabalhando firme e honestamente ou no topo das maiores empresas.
    As Polícias militares do Brasil são berço das maiores e melhores tradições militares, e não podem deixar de constar nesse rol. Só a de São Paulo, por exemplo, divulgou recentemente, que tem um efetivo maior que duas forças armadas juntas!!! Estão fora porquê? São todos indignos?Porque razão? Por que estão em guerra permanente? Porque tem 35 Helicópteros? Porque cortam como ninguém, na própria carne quando há desvios comprovados? Que outras instituições fazem isso? No meio civil, quando um político é acusado de corrupção ou envolvimento num crime, ele renuncia e...tudo bem! Tá pronto para as próximas eleições!!!
    Nas Polícias Militares ninguém pede "baixa" e sai ileso para tentar de novo! Onde mais isso acontece?

    ResponderExcluir
  3. Continuando...O motorista que matou o filho da atriz Ciça Guimarães, no túnel fechado aos veículos, na Zona Sul do Rio, está solto até hoje! E os Policiais Militares, que estavam lá e erraram na ocorrência?? Já foram presos e excluídos há muito tempo! Onde mais isso acontece?Onde Mais?
    São poucos mas são exemplos a serem considerados, pois a grande diferença entre as PMs do Brasil e as FFAA, é que eles(FAs) nunca combateram de verdade, portanto "parecem" probos e excelentes por definição, aos menos observadores.
    Em contato direto como o povo a que servem ou deviam servir, são expostos às realidades dos mortais combatentes de-verdade, vide as inúmeras queixas de excessos cometidos por militares da Marinha(agora sim!) e do exército em meio às comunidades ocupadas do "Alemão"...Viraram PMs ? Não! São o que sempre foram, só que agora atuando na vida real, decidindo num segundo entre a vida e a morte, no calor da batalha "de-verdade" e não nas simulações do abençoado campo de Gericinó ou na Marambaia.
    Portanto rogo que se faça justiça. Honesto e probo, não é quem viveu a vida inteira numa redoma. Henesto e probo, é aquele que exposto 24h por dia, depois de provado na contenda, por 30 anos ou mais , sobrevive e se mantém exatamente como entrou, ou seja, limpo. Seja Marinha, Exército ou Aeronáutica, PMDF, PMERJ, PMESP, BMERS, seja de onde for... Como diz o povão, é Macaco tomando conta do bananal e dando conta de todas as bananas no final do serviço!
    Por essa e por outras tantas, revejam seus conceitos ou ao menos não os escrevam sem antes ter certeza de estarem escrevendo sem deixar muitos Heróis Sociais, de fora!
    Só para lembrar...A Família Real com D. João VI chegou aqui em 1808, em 13 de maio de 1809 criou a Divisão Militar da Guarda Real de Polícia da Corte, Hoje Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e que apenas em 1821, antes de seu retorno a Portugal, D. João VI indicou o Chefe de Esquadra Manoel Antônio Farinha como Secretário de Estado da Repartição da Marinha no Brasil.
    E que antes disso consta que: "como a decisão n. 46, de 26 de outubro de 1808, que separou as autoridades de intendente da Marinha e de inspetor do Arsenal, complementando o plano de organização da Intendência, Contadoria e Almoxarifado da Marinha, proposto pela decisão n. 38, de 22 de setembro de 1808.
    Logo...Historicamente a PMERJ é a mais antiga força Militar do Brasil.
    Muito embora tenha recebido no passado a esdrúxula denominação de "Força auxiliar Reserva do Exército" Aliás todas as PMs tem essa denominação, mas...pensemos: Quem é reserva, está "no banco" é porque tem alguém titular..."jogando"...Quem? Ninguém!
    Força Auxiliar...[o auxiliar de pedreiro auxilia o pedreiro!] As PMs são auxiliares de quem na segurança pública? Tem mais alguém? Tem alguém antes delas atuando para elas serem "reserva"?
    Reservas do Exército em quê?Mesmo em caso de Guerra Externa ou Grave perturbação da Ordem... as PMs são as primeiras a dar combate no território Nacional! Pasme, cumulativamente com as missões que lhe são afetas!!!!
    Esse é o texto das normas de emprego das PMs no Brasil todo...!
    Eu pergunto: Reserva de quem? Quem vai na frente? Elas mesmas!
    É tudo muito esdrúxulo, muito sem sentido. Força Auxiliar(de quem?) Reserva do Exército(de que Exército? O que vem depois?). É uma infinidade de "deixa-que-eu-deixo" para as mesmas Plícias que tem mesmo que fazer tudo!
    Por isso histórica e moralmente antes de nos excluírem da Honestidade e Probidade latentes, que parecem(para quem escreveu) ser exclusividade das FAs, nós as possuíamos muito antes deles desde 13 de maio de 1809.A Marinha foi a 6ª criação de D. João VI. a PMERj foi a 3ª depois do Banco do Brasil, esse sim...mais antigo!!!

    ResponderExcluir
  4. O autor quando cita a Polícia Militar, é bem claro no parágrafo que usa: "Em Minas, devemos juntar a esse bloco de homens dignos e patriotas a polícia militar", portanto em Minas a PMMG, não desmerecendo as demais corporações policiais militares, pois foi de Minas que partiu grande efetivo com destino ao Rio de Janeiro para a Contra Revolução de 1964.

    ResponderExcluir