terça-feira, 10 de junho de 2014

Esforço e perseverança, sem submissão ilegal.


Pois bem, sempre digo que não existe regulamento draconiano, o que existe são elementos desprovidos caráter na decisão do mérito disciplinar. Recorro de tudo que julgo injusto, nem que leve uma década. Só não posso deixar prescrever.

Certa vez me vi envolvido em litígio disciplinar com uma oficial sem caráter quando estava na condição de oficial de dia. Participei o fato, o Capitão, em Sindicância, emitiu Parecer desfavorável, recorri, não deferiram. Juntei documentos que comprovam o cometimento de crime na aplicação de punição, protocolando na Cint PMERJ. Foi aberta uma Sindicância, o Ten Cel. Sindicante emitiu Parecer desfavorável a mim. Recorri, foi instaurado um IPM que, mesmo havendo documentos comprobatórios acostados, não emitiu decisão a mim favorável. Entrei com outro Recurso na CInt PMERJ apontando os documentos que, se apreciados com imparcialidade, apontavam para adulteração de documento, mentiras e falsificação de provas. Sumiram com tudo e não me apresentaram solução.

Diante desta canalhice toda, me apresentei a um Coronel PMERJ, corregedor auxiliar na CGU. Após relatar tudo, este me destratou me ameaçando de prisão. Pedi licença e me retirei.

Mas, inconformado com tanta arbitrariedade, protocolei tudo por escrito na CGU, nunca tendo resposta de sua apreciação. Após mais de um ano, procurando saber o que aconteceu, soube que foi arquivado, pois, a CInt PMERJ respondeu que já havia Solução publica em Bol. PMERJ, sendo esta Solução a que eu estava recorrendo. Claro, não podiam responder, sumiram com tudo.

Então vejam, o que começou com uma tenente sem caráter, envolveu um capitão sem caráter, um Ten. Cel. Sem caráter, outro capitão sem caráter, um coronel sem caráter e, até o Corregedor da CGU, que é um desembargador.

Todos vão responder perante a Justiça, com iniciativa de ação do Ministério Público Militar e, se este se esquivar, deverá fundamentar sua negativa, o que não há como acontecer.

Claro, sofri represálias, até PMs que viram o fato ocorrido, omitiram e mentiram em seus depoimentos. Mas desconhecem eles que só opero com documento e, estes documentos provam suas mentiras.


Cel. Paul hoje deve estar realizado. Foi preso ilegalmente em presídio comum por reivindicar DIGNIDADE e RESPEITO para a Corporação. Sofreu, sei que o sofrimento ninguém tira. Seu esforço e perseverança alcançaram o objetivo. Os mesmos que o encarceram ilegalmente, estão denunciado pelo Ministério Público por suas denuncias. O inocente encarcerado por bandidos.

Nada foi nem será em vão, sofremos por nos contrapormos à ilegalidade, mas, não é por mim, é por toda a Corporação que ainda vive no medo sem saber a força que tem.

Eu e Paúl já fomos dois manifestantes solitários, debaixo de chuva, nos revezando para segurar faixas, registrar e nos afastar, claro, a PM cada vez mais aumentava o perímetro. Mas o Governador chegou, bem que podia nos olhar com deboche. Mas não, nos evitou e entrou pelos fundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário