segunda-feira, 9 de junho de 2014

O olhar do PM vê coisas que nos passam despercebidas.

Falso PM é preso em flagrante na rodoviária de Campinas

Suspeito, que portava arma de brinquedo, alegou que seu plano era andar de ônibus de graça


27/05/2014 


        Suspeito disse que comprou farda pela internet: no detalhe, a arma falsa, o coldre e a boina da PM

Um porteiro de 25 anos foi detido na noite de segunda-feira (26) ao ser flagrado na Rodoviária de Campinas com uma farda falsa do Batalhão Especial da Polícia Militar (Baep). 

O uniforme estava com o emblema da corporação e a tarjeta com o nome, trocados de lugar. Segundo a polícia, o homem alegou que comprou a roupa pela internet e sua intenção era andar de ônibus de graça. 

Ele foi levado para o 1º Distrito Policial (DP), onde foi feito um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e vai responder pelo crime de usurpação de função pública em liberdade.

O flagrante aconteceu às 18h50 quando policiais militares patrulhavam pela rodoviária e cruzaram com o porteiro, que trabalha em uma empresa de Campinas e mora em Mogi Guaçu, que tentava embarcar em um ônibus. 

O homem estava todo engomadinho, com farda, coturno, boina, cinturão, arma e tudo mais. No entanto, os tiras perceberam que o emblema estava do lado direito da camisa e a tarjeta do lado esquerdo. 

Os policiais brecaram o sujeito e perguntaram sobre a companhia de trabalho, nome e outras informações e ele se enrolou todo. A arma era de brinquedo. Toda a fantasia foi apreendida.

O porteiro confessou que comprou a roupa em um site, pois sua intenção era viajar sem pagar a passagem. O nome que estava na tarjeta é de um ex-policial de Mogi Guaçu e ele disse que também conseguiu pela internet, através da comunidade da Força Tática. Era o primeiro dia que estreava o disfarce.

A priori a publicação dava credito a Polícia Rodoviária, mas foi corrigida creditando a detenção à PM, sempre atenta a tudo nos mínimos detalhes.

Os PMs atentos são:
CB PMESP RODRIGO e SD PMESP FÁBIO

Outras fotos enviadas:






2 comentários:

  1. SABE DE NADA INOCENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Só lamento que não tenham sabido enquadrar o "inocente" na forma correta da lei, já que usurpação de função pública, é um crime que só pode ser cometido por funcionário público. Ora, se ele é um porteiro não é funcionário público, logo não vai nem ser acusado. Para o cidadão comum isso é um crime impossível, é como ser acusado de roubar algo de si mesmo! Não existe usurpação de função se não entre funcionários públicos. Seria falsidade ideológica e nada mais.

    ResponderExcluir