segunda-feira, 2 de junho de 2014

PMERJ, Tolerância ZERO!


 
Sabe aquele deslize que você cometeu? O cafezinho para espantar o sono, a cobertura que aumentava sua dor de cabeça, seu breve deslocamento para beber água ou fazer suas necessidades fisiológicas, o revide a uma injusta agressão num momento tenso? Eles não perdoam, gravam, fotografam, registram para usar contra você e denegrir sua imagem. E o comando político vai corroborar com isso, lhe aplicando punição sem aceitar seus argumentos de defesa.
Faça valer seus Direitos cumprindo na íntegra o que dita as Normas, eles sentirão o quanto lhes devem valor, dado as particularidades do serviço.

TOLERÂNCIA ZERO!
POLICIAL, AO ASSUMIR O SERVIÇO A PARTIR DO DIA 09/06/2014, AS 08:00 HS, SIGA O ROTEIRO ABAIXO POR TODOS OS SERVIÇOS. Não temos data para acabar, vamos continuar até a VITÓRIA. JUNTOS SOMOS FORTES. HURRA! HURRA! HURRA!

1 – Verifique todas as condições da viatura, documentos, pneus, iluminação, P/4. Lembre-se que, e4m caso de acidente, a primeira coisa que irão verificar são estes itens para lhe prejudicar.
2 – Cumprir RIGOROSAMENTE as Normas Internas de patrulhamento. Coletes e sua validade, armamento e numérica do efetivo.

3 – Só aborde se estiver em superioridade numérica. Lembre-se, não somos heróis, somos trabalhadores. Se os suspeitos forem três, só abordem se estiverem em equipe de três ou mais policiais, é o que dita a Norma.

4 – Não use seu telefone particular, aliás, dependendo da situação, você será punido por usar telefone particular em serviço.
5 - Não tolere veículos estacionados na calçada, no comércio, documentos irregulares, seta sem funcionar, capacetes vencidos, sem habilitação.

6 – Não trabalhe sem condições físicas, muitos de nós passam mal, dores no corpo, de cabeça, e mesmo assim assumimos o serviço para não causar transtornos. Isso é um PERIGO, para nós e para a sociedade. Procure atendimento médico, não somos super humanos.
7 – Toda ocorrência termina na delegacia, é assim que aprendemos no CFAP. Usuário de drogas, falta de habilitação, contravenções penais (jogo do bicho), crimes de menor potencial ofensivo, suspeitos sem identificação, um cigarro de maconha, um papelote de cocaína, uma munição de arma de fogo, etc (CBT, artº 302 ao 312)

O QUE PEDIMOS AO GOVERNO?
1 – Escalas compatíveis com a função e não superior a 40 horas semanais (expediente), 12x60 ou 24x72 (operacional).

2 – Aprovação do Novo Código de Ética elaborado pela Comissão Especial da ALERJ.
3 – Fim do rancho. Vale alimentação ou empresa idônea prestadora de serviço de alimentação.

4 – Criação de um órgão destinado a investigar, instruir e prevenir a morte de policiais em razão da função.
5 – Investimento no ensino e instrução policial, criando incentivos ao aprimoramento  e valorizando esse conhecimento dentro da Corporação.

6 – Plano de saúde ou construção de seis HPM, sendo um na Zona Oeste, um na Baixada, um na Região Serrana, um na região dos Lagos, um na Costa Verde e um no Norte do Estado.
7 – Eleição do Comandante geral da PMERJ, feita por Coronéis e Tenente Coronéis com indicação do escolhido ao Governador, que não o poderá exonerar num prazo inferior a dois anos.

8 – Valorização salarial, com piso inicial de R$ 3.844,00 (aplicando o escalonamento vertical)  e fim de todas as gratificações.



Acesse o Movimento Dignidade PMERJ e receba novas noticias.
Faça cópias deste texto e envie a seus colegas de farda, divulgar ao máximo é importante para o sucesso das ações. É TOLERÂNCIA ZERO!

 

Um comentário: