quinta-feira, 12 de junho de 2014

Um "bebum" no Plenário do STF, OAB o defende.


Servidor afirmou que defensor ameaçou dar um tiro em Barbosa: ele nega que tenha bebido e a acusação de ameaça.

Brasília - Cinco horas depois de o Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, ter ordenado a expulsão do plenário de Luiz Fernando Pacheco, a assessoria de comunicação da Corte divulgou depoimento atribuído a um segurança no qual o funcionário do STF afirma que o advogado estava "visivelmente embriagado" e teria ameaçado o Chefe do Judiciário.

No depoimento o servidor afirma que "como o advogado, visivelmente embriagado, alterou o tom de voz de maneira desrespeitosa, o Presidente suspendeu a sessão, ordenou sua imediata retirada do plenário".

Outro relato de segurança que participou da ação de expulsar Pacheco do plenário, contou que "Já fora do Tribunal, ele (o advogado), visivelmente transtornado, teria dito que se tivesse uma arma, daria um tiro na cara do presidente".
O ESTADÂO

Entidades de classe, ligadas a advogados, lamentam o episódio ocorrido, envolvendo o Presidente do Supremo Tribunal Federal.

Em notas divulgadas após o incidente, a diretoria do Conselho Federal da OAB e o Instituto dos Advogados do Brasil manifestaram repúdio.

A OAB afirmou que: "repudia de forma veemente a atitude do presidente do STF". Alegou que Barbosa traiu seu compromisso com a Constituição, ao desrespeitar o advogado, que é inviolável no exercício da profissão: "Sequer a ditadura militar chagou tão longe no que se refere ao exercício da advocacia". "O Presidente do STF não é intocável e deve dar as devidas explicações à advocacia brasileira".

O Instituto dos Advogados do Brasil afirmou que: "nem dos anos de chumbo, os advogados que militaram noa Tribunais Militares foram submetidos a um espetáculo degradante e humilhante como esse".
O ESTADÂO


Vejam então o comportamento dos órgãos classistas dos advogados, antes mesmo de haver tempo de raciocinar sobre o ocorrido, partem em apoio a um "bebum", sem nome a ser considerado na advocacia, que se manifestou de forma indevida e criminosa contra o Presidente da mais alta Corte do País. Que crédito merecem estas instituições? Talvez, a atitude do "bebum meliante" seja mais um passo para ilustrar seu curriculo em busca de um cargo na atual Justiça Brasileira, uma justiça injusta.
Não há desfaçatez, é na cara de pau mesmo.

O vídeo diz tudo.
http://youtu.be/YoK2s3QajHo

O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,entidades-repudiam-expulsao-de-advogado-do-plenario-do-supremo,1510293

2 comentários:

  1. ESTE SAFADO QUALQUER DIA É NOMEADO MINISTRO DO STF, PELO LULA E DILMA.

    ResponderExcluir
  2. Joaquim Barbosa não saia,aguente mais um pouco e terá todo o apoio que precisa.

    ResponderExcluir