domingo, 20 de julho de 2014

Policiais do BPGE já haviam alertado sobre despreparo da tropa


O Jornal do Brasil publicou no dia 6 de junho uma reportagem sobre a insatisfação dos PMs do BPGE quanto as precárias condições de trabalho e o despreparo da tropa. Um policial que pediu para não ser identificado na matéria, contou que os treinamentos para atuação dos policiais na Copa do Mundo e Olimpíadas, anunciados com grande ênfase pelo governo do estado, aconteceu em outubro com apenas um "estágio" de quatro dias e "mais nada". Segundo o PM, as aulas eram básicas, de como utilizar um bastão, um escudo. Ele considerou na época que o trabalho do batalhão é uma "maquiagem" para seguir manifestantes. "Uns 50 homens do BPGE realmente são treinados, faixa preta e alguns até tem prática em artes marciais. Mas eles são uma equipe. Os demais 500 PMs não são nada, há obesos, inaptos, mulheres, e há policiais que não sabem nada, apenas patrulhar e resolver ocorrências policiais, como é o meu caso", afirmou ao JB, ratificando que a tropa não estava preparada para a missão que o governo designou, já prevendo tragédias durante o Mundial.


Nesse mesmo período, os policiais do batalhão usaram as redes sociais para denunciar as condições degradantes de trabalho, com equipamentos ultrapassados e extremamente quentes, viaturas com defeito e até com vidros quebrados, falta de cama no alojamento e os PMs tendo que dormirem no chão, além da alimentação estragada e até com verme, segundo denúncias feitas por policiais ao JB. Um vídeo com imagem de um prato de comida cheio de larvas de inseto chegou a ser publicado na página de um perfil do Facebook identificado como sendo de servidores do batalhão.
Jornal do Brasil

Vídeo feito por policial mostra a situação em que dormem no alojamento, com colchonetes trazidos de casa. O alojamento é no BPChq.


O Comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro publicou nesta sexta-feira (18/7), no seu Boletim Administrativo Interno, as punições a dois policiais que participaram da operação durante um protesto contra a Copa do Mundo, ocorrido no último domingo (13), na Praça Saens Pena, na Tijuca, Zona Norte da cidade. Os PMs lotados no Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos (BPGE) foram acusados de agressões contra manifestantes e jornalistas e tiveram prisão administrativa decretada pela PM.

Das diversas acusações, há agressão a "repórter cinematográfico", agressão a manifestante e assédio a uma manifestante. Um detalhe em comum, todos os registros foram feitos por "cinegrafista amador".

Foto de uma de nossas manifestações, repare nos "repórteres" a direita de capacetes, são figurinhas fáceis de serem vistas junto aos incitadores da violência. São eles que se encarregam de fazer os registros que lhes convêm. Claro, sempre da reação, nunca de sua ação. Neste evento um idoso foi violentamente agredido e ferido por estes meliantes.



Como eu sempre disse, policial não veio de marte, é ser humano sujeito a variações de comportamento conforme o ambiente. Eu, como participante de manifestações vejo e sofro os ataques provocativos desta quadrilha para que vão para as manifestações para desestabilizar o ambiente pacifico e ordeiro. Seus "repórteres", que são facilmente identificados, já que são "figurinhas" sempre presentes quando da chegada do bando, se encarregam de fazer os registros que lhes interessam das reações dos policiais quando injusta e indevidamente atacados.

Este artificio é usado também nas redes sociais. Quando é feita uma postagem contra eles, identificando o autor como policial, se afastam do assunto iniciando uma serie de ofensas, aguardando nas respostas, o momento certo para "printar" e usar como arma de ataque e denuncias infundadas.

Numa de minhas postagens sobre a revogação do habeas corpus de manifestantes presos, após visualizarem meu perfil e constatar ser policial, passaram a proferir os seguintes palavreados: "só de ver sua foto de perfil já da pra ver que tipo v c é!!! pmerj bandida e covarde!!! tem que acabar!!! eu tenho nojo dessa polícia bandida" "polícia assassina covarde, covarde e ladra" "eu tenho nojo de vc...tenho nojo do que vc representa" "cuspir na cara dos porcos fardados". Imagine o policial mal alimentado, sem descanso, sem folga, longe da família e neste ambiente hostil? Claro, não terá a calma na sua reação. E é isso que eles querem, jogar a opinião pública contra a polícia, obedecendo o projeto de partido que conhecemos para a desmilitarização. Neste comentário, desmerecem a postagem desvirtuando o foco para outro assunto: "Vc continua bancando o panaca. A menina não é uma assassina...o que aconteceu foi uma fatalidade. Compre sua briga contra os que construíram o viaduto que caiu, seu pateta".

Obs: nenhum destes comentaristas que defendem as ações destrutivas se identificam, usam perfil e foto falsos.

Para finalizar, este grupo não representa os anseios da sociedade, seus anseios são próprios de partidos políticos que já conhecemos a índole e lógico, não o fazem de graça. Se seus argumentos merecessem credito para a defesa de suas ações, deveriam estar inseridos em local competente, nas petições da defesa destes meliantes.


Um comentário: