sábado, 16 de agosto de 2014

NUNCA FUI INCENDIÁRIO: NEM AVESTRUZ

As questões sobre a queda do avião que provocou a morte do candidato à Presidência Eduardo Campos, seu fotógrafo Alexandre Severo, assessor Carlos Augusto, piloto Geraldo Magela,piloto Marcos Jardim, cinegrafista Marcelo de Oliveira e assessor Pedro Valadares; levam a crer numa sabotagem na aeronave. Mas, como não tenho formação para debater neste assunto, publico postagem de quem a tem.

Escrevi esta matéria ontem sobre a queda do avião de EDUARDO CAMPOS e depois de deixá-la amadurecendo por quase dois dias, tomei finalmente a decisão de lançá-la, bastante convencido do título que dei à ela. 
Estejam a vontade para comentá-la; estou aberto às críticas.

NUNCA FUI INCENDIÁRIO: NEM AVESTRUZ
Promotor diz que Celso Daniel foi morto porque 'sabia demais'
Dia 10 de maio de 2012, o Promotor de Justiça Márcio Augusto Friggi de Carvalho pediu a condenação de três réus pelo seqüestro e morte do então prefeito de Santo André, no ABC Paulista, Celso Daniel (PT), em 2002. "O prefeito de Santo André morreu porque sabia demais", disse. 
Baseado em fatos como este, e diante dos acompanhamentos diários que faço do quadro político do nosso país, ontem fiz alguns comentários no FACE cuja reação me causou espécie. 

Lancei uma: 
SUSPEIÇÃO DE SABOTAGEM NA QUEDA DO AVIÃO DO EDUARDO CAMPOS.
EIS A MINHA MATÉRIA DE ONTEM NO FACE
Cessna 560XL, prefixo PR-AFA acaba de cair na cidade de SANTOS, trazendo a bordo o candidato a PRESIDENTE, EDUARDO CAMPOS 
Milhões de pessoas estão pensando, mas ninguém teve coragem de fazer uma coisa, mas eu: como piloto desde 1971; com 5.000 horas de vôo; me pergunto????
Esse avião, CAIU ou foi DERRUBADO???
Porque o EDUARDO estava tão sozinho nesse avião??
Anotem essas minhas perguntas.

Diante das reações que foram postadas, pergunto eu: porque temos que ficar eternamente tratando de assuntos sérios no BRASIL, como se fôssemos AVESTRUZES. 
Quem me conhece desde meus velhos tempos de FORÇA AÉREA BRASILEIRA, passando depois por dois mandatos como vereador de minha pequena cidade do interior do MATO-GROSSO-DO-SUL, sabe que nunca fui: nem incendiário; nem avestruz.
Com a experiência de um Ten Cel Aviador da FAB, com mais de 5.000 horas de vôo, o que na aviação civil é considerado pouco, mas na militar não é tão pouco assim; aliada à experiência dos dois mandatos que tive na política e PRINCIPALMENTE com o acompanhamento consideravelmente participativo da política brasileira desde 1993 quando fui para a reserva e comecei a militar nessa política, mas com todas estas características e outras não citadas, sinto-me tranqüilo e capacitado para dar a minha modesta opinião sobre o assunto, sem a menor preocupação de poder ser considerado um irresponsável.

Quem quiser e se achar em condições e com capacidade de discordar das minhas considerações e ponderações, fique totalmente à vontade de fazê-lo, pois como sempre fui e serei sempre aberto às críticas, apenas gostaria, também como sempre, que aqueles que o fizerem, que façam com um mínimo de conhecimento da matéria para que não venham, ao final, fazerem justamente o que estão querendo criticar nas minhas argumentações.

Acompanhei desde a primeira notícia dada no SBT, até quase duas horas da manhã; assisti e escutei muita coisa lógica, mas também muitos absurdos. Daí então resolvi lançar na mídia minhas posições que volto a fazer a afirmação inicial de que não podem jamais serem consideradas posições de um incendiário.

Primeiro reparem bem uma coisa muito importante: em nenhum momento eu afirmei que a causa desse desastre foi uma sabotagem, apenas salientei que essa hipótese não pode jamais ser descartada.
É claro que a verdadeira causa do acidente, só será levantada pelo CENIPA que é o CENTRO de INVESTIGAÇÃO e PREVENÇÃO de ACIDENTES AERONÁUTICOS, subordinado à FORÇA AÉREA BRASILEIRA e diga-se de passagem, devido à gravidade do acidente, o CENIPA vai levar muito tempo para descobrir e, se descobrir. Portanto, quem sou eu para vir garantir o que aconteceu, mas isso não quer dizer que eu não possa externar minha opinião.
Como piloto, volto a insistir que, reunindo todos os detalhes que escutei ontem sobre: o avião, os pilotos, as condições do tempo, as características da pista, as declarações das pessoas, enfim, reunindo tudo sobre o acidente, não fiquei totalmente convencido com as possíveis causas atribuídas a ele.

Agora existem também as minhas especulações pela experiência e conhecimento como político. Afinal de contas, esse acidente tirou de cena aquele que poderia ser O FIEL da BALANÇA, numa das mais conturbadas eleições que o BRASIL já pôde assistir, pelo menos desde que me entendo por gente. 
Se pelo lado do avião, dos pilotos, da pista e do tempo, podemos levantar uma enorme quantidade de especulações; pelo lado do seu ilustre e importante passageiro, as especulações com certeza não serão em menor quantidade.

Com relação à parte do vôo em si, vou me abster de tecer mais comentários a não ser aquele que, de todos, foi o que mais me chamou a atenção, que foi o fato de que o avião teria explodido ou pelo menos teria pegado fogo antes de bater no solo; esse detalhe foi o que me colocou na cabeça que o avião PODERIA ter sido SABOTADO.

Com relação à morte de EDUARDO CAMPOS nesse acidente eu lanço algumas conjecturas: 
Primeira, porque EDUARDO não estava com sua vice?;
Segunda, entre EDUARDO e MARINA quem teria mais força política?;
Terceira, num segundo turno entre AÉCIO e DILMA quem teria mais perfil pra apoiar DILMA? 

Com estas colocações lanço mão da mesma frase com que comecei minha matéria 
"Promotor diz que Celso Daniel foi morto porque 'sabia demais'"
para justificar minhas ilações, pois; se um grupo pode provocar dúvidas num país inteiro, de fazer isso com elementos pertencentes aos seus próprios quadros, que dirá o que não poderá fazer com os pertencentes dos outros. 
Coronel Cesar

Um comentário: