segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Juiz federal nega acesso à delação de diretor da Petrobras

Pedidos rejeitados foram encaminhados pela Controladoria Geral da União e pela CPMI da Petrobras

Juiz federal responsável pelas ações resultantes da Operação Lava Jato, Sérgio Moro rejeitou nesta segunda-feira (22) o acesso aos depoimentos prestados pelo ex-diretor de abastecimento e refino da Petrobras Paulo Roberto Costa. Os pedidos foram encaminhados pela Controladoria Geral da União (CGU) e pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras.
                           Ex-diretor da Petrobras silencia na CPMI que investiga irregularidades na estatal
No despacho, Moro explica que, como os depoimentos concedidos sob o regime de delação premiada ainda não foram homologados pela justiça, fica impedido o compartilhamento de informações neste primeiro momento.
"Reconheço o papel relevante da CGU e das CPIs na investigação criminal e no controle da Administração Pública, bem como o auxílio que a Petrobras S/A tem prestado, até o momento, para investigação e instrução dos processos neste feito, bem como o interesse legítimo das três em obter cópia dos supostos depoimentos prestados por Paulo Roberto Costa. Entretanto, o momento atual, quando o suposto acordo e os eventuais depoimentos colhidos sequer foram submetidos ao Juízo, para homologação judicial, não permite o compartilhamento, sem prejuízo de que isso ocorra no futuro".
Nesta terça-feira, parlamentares ligados à CPMI, que tentaram sem sucesso colher o depoimento de Paulo Roberto Costa na semana passada, se reúnem com ministros do Supremo Tribunal Federal e com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na tentativa de sensibilizar esses órgãos a agilizar o acesso às denúncias de Paulo Roberto Costa. 
Qual interesse em se apoderar destas informações? Seria na "celeridade" dos processos? Não, acho que querem privilégio da informação, estão com o cu na mão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário