sábado, 29 de novembro de 2014

Sociedade, PM e Militares em geral estão sendo assassinados sob leniência governamental.


Há anos estamos vendo policiais sendo torturados, desfigurados e assassinados sumariamente só por serem policiais. Riem, se vangloriam, festejam cada morte bárbara de um policial. Com a sociedade não é diferente, não hesitam em tirar a vida de homens, mulheres, idosos ou crianças, basta tentar simplesmente fugir de um assalto. Agora o alvo são os militares das FFAA que ocupam comunidades infestadas de meliantes com aquiescência dos moradores que tudo sabem e tudo vêm. Ali tem sim trabalhadores, mas, filhos estão na vagabundagem aliciados pelo tráfico.

Ryan Procópio Guimarães, de 23 anos, que era lotado na UPP Vila Kennedy, foi encontrado morto e com sinais de tortura dentro de seu próprio carro, em Bangu


Todos sabemos que o comércio de drogas continua nas comunidades ocupadas, que os gastos com “mão de obra” (soldados) diminuiu com a presença do Estado, já que são o primeiro obstáculo para uma invasão rival.

Não se iludam, não é só pelo comércio das drogas, é por uma imposição além disso.


Centenas de policiais militares foram mortos este ano e agora começa a mortandade de jovens militares sem qualquer formação nesta guerra urbana, que são jogados neste “front” desconhecendo o que enfrentam.

Não sei, comento muito aqui sobre a inércia dos policiais militares diante desta matança. Não incentivo represálias violentas, só as que a Lei garante. MATAR SEU OPONENTE EM DEFESA DE SUA VIDA OU DE OUTREM! Simples assim.

Ou se deem por vencidos e entreguem de uma vez as comunidades ao que gostam de conviver, pois é o que parece, gostam de ver barbáries diárias em seu cotidiano.

Hora de tomada de posição! Bandido é bandido, cidadão é cidadão.

Se sentem amor às suas vidas, mostrem isso. Compareçam dia 14 de dezembro no Posto 6, Copacabana, as 09 horas. Toda vida é sagrada, a minha, a sua, a nossa.

Sociedade, Policiais e Militares compareçam!

Ou aceitem morrer sem resistencia.

2 comentários:

  1. Me pergunto até quando as FFAA vão assistir a isso tudo inertes.

    ResponderExcluir
  2. O comando da PM é capaz de proibir os praças de comparecerem.

    ResponderExcluir