terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Confrontos no Complexo do Alemão deixam quatro policiais militares da UPP Nova Brasília feridos

Um dos militares, atingido no peito, está em estado grave. Moradores relataram nas redes sociais intensos tiroteios
POR EMANUEL ALENCAR
08/12/2014
RIO — Quatro policiais militares lotados na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, no Complexo do Alemão, foram baleados nesta segunda-feira. Três deles foram atingidos por volta das 22h em confronto com traficantes. Um dos militares, identificado como Deivid Ximenes Rodrigues, foi ferido no peito e está em estado grave. Nas redes sociais, moradores relataram intensos tiroteios no conjunto de favelas do Alemão. Apavorada, um moradora fez um desabafo no Facebook: "Vamos orar para que não aconteça o de sempre: balas perdidas achem corpos de inocentes".

No início da madrugada, dois dos policiais baleados foram transferidos do Hospital Getúlio Vargas, onde os três agentes foram socorridos, na Penha, para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM), no Estácio. Entre eles, o que está em estado grave e outro atingido no rosto e na perna. O terceiro ferido na testa, após um tiro ricochetear, já havia sido liberado mais cedo. O quarto — ferido no Escadão da Divinéia, também na Nova Brasília, durante a tarde — também já recebeu alta. As informações são da Sala da Polícia Militar do Getúlio Vargas.
O policiamento no Complexo do Alemão foi reforçado.
Os confrontos desta segunda-feira começaram à tarde, quando PMs detiveram três homens com drogas e uma bomba de fabricação caseira. Foi quando um outro homem atirou do alto do Beco da Padaria contra os militares e um deles acabou atingido. Após a ação, um dos suspeitos terminou preso e o material apreendido foi levado para a 22ª DP (Penha), onde o caso foi registrado.
Os ataques às UPPs têm aumentado nos últimos meses. Na última quinta-feira, a base da unidade do Morro dos Macacos, em Vila Isabel, foi atingida por tiros, disparados por traficantes. Acusado de ser um dos chefes do tráfico local, José Gutemberg Adriano do Nascimento, o Bolinha, de 24 anos, foi preso. Somente este ano, 107 policiais foram mortos no Rio. De acordo com a própria PM, 89 estavam em horário de folga e 18 morreram trabalhando.


Nenhum comentário:

Postar um comentário