segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O que difere os gestores PMERJ e os gestores do governo federal? Nada! O "modus operandi" é o mesmo.


Por anos presenciei e vivi o que é a PMERJ, seus gestores se equiparam aos gestores do governo federal no "modus operandi". São covardes, corporativistas dentro de seus quadros, desqualificando quem quer que ouse a lhes afrontar e/ou denunciar. São do mesmo "quilate" dos que hoje saquearam a maior empresa nacional, a Petrobrás.

Neste contexto, o efetivo de menos graduação se omite e se acovarda nas denuncias visiveis a todos, pois, na CInt PMERJ tem o tal de Relator, uma figura nem sempre comprometida com a moralidade, emitindo Parecer fora do que está nos Autos que a eles são remetidos, induzindo Corregedores ao erro na emissão de decisões que seriamente comprometem o futuro de homens e mulheres muitas vezes de conduta e moral ilibadas. São uns verdadeiros FDP! Favorecem o infrator/criminoso com incidencia em mais crimes previstos em legislações pertinentes ao militarismo na medida que protegem o que é ilegal.

Pois bem, as transferencias "punitivas" acontecem e, junto a elas, os telefonemas para seus amigos nas Unidades de destino do "mal quisto", denegrindo sua imagem e o qualificando negativamente. Ai, começa tudo de novo, não há paz para o que se rebela contra os desmandos na Corporação.

Ha! Mas tem a CGU, acima da CInt PMERJ. Outra cambada de FDP! Não se dão ao trabalho de nem ao menos ler o que consta numa acusação inicial, requerem informações à CInt PMERJ que, se responder, responde com inverdade e/ou diferente ao que se questionou. Se o Autor da Petição Inicial não se manifestar, fica sem resposta.

Então nos deparamos com casos recentes de grande gravidade envolvendo o Alto Escalão de Comando da Corporação PMERJ.

Desvios de verba da Saúde, compra superfaturadas e outros ilicitos que constantemente estão sendo divulgados. Os oficiais vão para uma "geladeira" e na surdina vão sendo absolvidos pelas Comissões Disciplinares, ficando a cargo da Justiça, tão morosa, a punição que dificilmente virá.


Os hospitais da Corporação por certo sofrem constantemente os ataques da quadrilha PMERJ, assim como a Petrobrás com o PT. O Fundo de Saúde, é pago por todos os componentes da Corporação e, como consta na Lei que o criou, o Estado deve participar com sua cota de contribuição. Mas isso acontece? NÃO!

Este dinheiro, obrigação do Estado, se pago, daria em muito para melhorar o atendimento da Saúde da PMERJ, inclusive com a construção de novo Hospital para desobstruir o já ultrapassado HCPMERJ no Estácio. Mas não se cobra, preferem estar no mesmo barco da corrupção em que se encontra o gestor do Estado do Rio de Janeiro. Claro, se o fizerem, perdem suas boquinhas e gratificações.

Afinal, com as corregedorias que possuem, qualquer meliante fica impune, exceto os que se opõem.

A PMERJ derrapa na barreira que a leva a destruição por culpa de seus gestores, comprometidos com seus ânseios pessoais em detrimento dos interesses da Corporação Bi Centenária, Precisa urgente de apuração de condutas de gestores e das Corregedorias que não valem o que se paga por elas.

Jornal o dia denúncia falimento do sistema de saúde na PMERJ.
Diz que cobrou há um mês atrás medidas do novo comando da PMERJ e na matéria diz que nada foi feito.

Por que a PMERJ nao faz um hospital dentro do CFAP na zona oeste para melhor atender o soldado cabo sargento e subtenentes, todos dias baleados e ao contrário espalha na cidade inteira DPJM( delegacia que apura crimes militares, mas só de praças PMs)?

A quem interessa manter esta estrutura?

E os 16 milhões de compras de ácido odontológico e lençóis e licitações obscuras feitas na gestão do CORONEL sardinha vão ser ressarcidos?

Por que não há hospital da PM no interior do estado e o PM de lá se submete a atendimento em hospital público mesmo descontando para manter esta estrutura aqui da capital?
Um plano de saúde seria mais barato e atenderia as necessidades do PM?
Por que não o fazem? A quem interessa manter esse caos?


Gestores PMERJ, juntos aos políticos para facilitar a morte do policial militar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário