terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Marta diz que PT 'só se importa em se manter no poder'


A senadora Marta Suplicy (PT-SP) voltou a fazer duras críticas ao governo de Dilma Rousseff e ao seu próprio partido. Adotando o tom que usou ao pedir demissão do Ministério da Cultura, ela concedeu entrevista ao jornal Estado de S. Paulo e citou até o ex-presidente Lula, que segundo a ex-ministra atacou o atual governo em jantar que ela promoveu com os 30 empresários mais ricos de São Paulo.

“Eles [empresários] fizeram muitas críticas à política econômica e ao jeito de Dilma. E ele [Lula] não se fez de rogado, entrou nas criticas, disse que era isso mesmo. Naquele jeito do Lula, né? Quando o jantar acabou, todos estavam satisfeitíssimos com ele”, afirmou Marta, que também afirmou ter articulado a candidatura de Lula à presidência em 2014, o que segundo ela era um desejo do ex-presidente.

Claramente incomodada com Dilma, Marta afirmou que sempre se colocou à disposição para ajudar. Mas, ao mesmo tempo, diz sempre ter tido consciência de que ficaria de fora das decisões “talvez por sua origem, talvez por ser loura de olhos azuis”.

Além das críticas ao governo Dilma, Marta fez duras afirmações sobre o partido e alguns de seus integrantes. Por exemplo, chamou Rui Falcão, presidente nacional do PT, de traidor e afirmou que o ministro Aloizio Mercadante é arrogante e mente quando diz que Lula será candidato em 2018 — segundo ela, o próprio ministro traça seu caminho para concorrer ele mesmo ao cargo nas próximas eleições.

“Hoje [o PT] é um partido que não tem mais nada a ver com suas estruturas. É um partido que luta apenas para se manter no poder e no qual estou há muito impossibilitada de concorrer aos cargos para os quais estou habilitada”, completou Marta.

Mesmo adotando o tom ríspido e de despedida, a senadora não confirmou que deixará o PT. Ela, no entanto, afirma ter recebido propostas para integrar vários partidos, com excessão do PSDB e do DEM.
br noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário