sábado, 7 de fevereiro de 2015

Nunca só, sempre bem acompanhado

Não peça Intervenção, faça a Intervenção. Para isso não preciso de muitos em quantidade, mas poucos em qualidade.


Não mais divulgo ações, as faço com poucos idealistas que se propõem a encarar com seriedade a situação. Ela não vai se reverter com impeachment nem com eleições, os partidos, quase todos são pares no Foro de São Paulo ou coadunam interesses comuns. A CORRUPÇÃO!

Não quero ser general do povo, sou o povo, eu e os que me acompanham. Minha patente não tem carta, ela é fortificada pelo imenso patriotismo que desde minha tenra idade foi cultivado. Respeito e me faço respeitar, por isso faço ações junto aos meus sempre merecendo das Forças Armadas e da Polícia Militar a reciprocidade no respeito. Manifestações ordeiras e pacificas. Não pretendo mais ter pessoas indesejáveis junto a mim.


O meu “Vai Acontecer” não tem dinheiro que pague, ele tem o valor do Brasil.
Hoje fomos a uma Unidade Militar cujo prédio onde está instalada há anos é alvo dos comunistas e suas estórias mentirosas, o 1º Batalhão de Polícia do Exercito, antiga sede do DOI-CODI.


Acordamos antes da alvorada, as cinco da manhã, as sete já estávamos na Rua Barão de Mesquita no Rio de Janeiro. Iniciamos a montagem das faixas que dispensavam nossas vozes, elas falavam por nós.

Os militares que chegavam para assunção de serviço nos olhavam com aprovação e, os que saiam ou estavam na caserna registravam o ato, assim como a S/2 da Unidade.
Entre transeuntes e carros os gestos eram de aprovação, com muitas pessoas parando para puxar assunto e expor seu descontentamento com a atual cleptocracia instalada nos poderes constituídos.





Claro, esquerdistas, porém poucos, já que não acordam cedo com o a maioria das pessoas de bem, ditavam suas conhecidas idiotices, mas, facilmente rebatidas sem réplica.

A Praça Lamartine Babo, onde nos instalamos defronte ao portão da Unidade, apesar de bonita, expunha as vitimas do governo. Pessoas dormindo em bancos de cimento e bebendo água de poças o chão.




Ali ficamos até as dez horas, quando nos retiramos com a certeza de mais um relatório reservado a circular dentro da Corporação Exercito Brasileiro.

Faremos outras, sem divulgação prévia, só após relizada.

Um comentário:

  1. Parabéns, ver este blog me deu esperança, deu uma força danada... sucesso e intervenção militar já!

    ResponderExcluir