segunda-feira, 25 de maio de 2015

Parte da folha corrida de um petralha

Folha corrida do Sr VACARI!!!!
Este é o nosso Brasil

Falar o quê, diante de uma folha corrida dessas? O seu responsável proclama que não fez nada de errado e que está tudo certo, justo, correto e legal. Só faltou dizer que também era tudo ético!


Curiosidades sobre João Vaccari Neto, o "Moch":
1) Era presidente da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo) quando ela quebrou em 2006, deixando 32 obras inacabadas e mais de 3.500 famílias na rua da amargura.
2) A Bancoop quebrou, segundo o Ministério Público, com um rombo de pelo menos 100 milhões de reais, porque seus dirigentes desviaram dinheiro pago pelos mutuários para "fins escusos".
3) Parte do dinheiro, segundo o promotor José Carlos Blat, foi para financiar campanhas eleitorais do PT.
4) Vaccari é um dos cinco réus que respondem na Justiça por estelionato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.
5) Lula comprou um tríplex no edifício Solaris, no Guarujá (SP), em uma das oito obras assumidas pela OAS depois da quebra da Bancoop.


6) Vaccari pagou por um apartamento nesse mesmo prédio de Lula, como mostra o documento de 2006 abaixo.

7) O fato de o edifício onde o ex-presidente tem apartamento ter sido um dos poucos que ficaram prontos irritou cooperados que continuam até hoje sem ver a cor dos imóveis pelos quais passaram anos pagando.
8) No início da gestão petista, Vaccari era presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo e secretário de finanças da Central Única dos Trabalhadores (CUT).
9) Em 2003, Vaccari foi nomeado por Dilma para o Conselho de Administração da usina hidrelétrica Itaipu Binacional.
10) A nomeação foi uma espécie de prêmio de consolação, já que Vaccari havia sido preterido na disputa pela presidência da Caixa Econômica Federal.
11) No mesmo dia, foi nomeada para o cargo de diretora financeira executiva de Itaipu a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), "companheira" também presente agora na lista do petrolão.
12) No cargo de Itaipu, Vaccari recebia R$ 21 mil por mês para comparecer a seis reuniões por ano. Sim: você leu direito.
13) Dilma o manteve no cargo mesmo após Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa o acusarem de intermediar negócios entre fundos de pensão de estatais e empresas ligadas ao doleiro. Costa disse que da propina recolhida em sua diretoria ( 3% sobre os contratos), dois terços ficavam com o PT, arrecadados justamente pelo tesoureiro do partido.
 14) Curiosamente, Vaccari só perdeu a boquinha depois das eleições, em janeiro de 2015, um dia após o vice-presidente da construtora Engevix, Gerson de Mello Almada, preso na sétima fase da Operação Lava Jato, denunciar "a arrecadação desenfreada de dinheiro para as tesourarias dos partidos políticos".
15) Dos 200 milhões de dólares roubados pelo PT na Petrobrás, segundo Barusco, pelo menos 50 milhões teriam passado pelas mãos do "Moch".
16) Em fevereiro, agentes da PF tiveram de pular o muro de sua casa para levá-lo à delegacia.
17) Eles apreenderam documentos, aparelhos de telefone celular e arquivos eletrônicos, nos quais nada encontraram de relevante. Vaccari, concluíram os agentes, já limpara o terreno.
18) José Dirceu recebeu quase 4 milhões de reais de três construtoras ligadas ao petrolão por servicinhos de "consultoria", aquele velho eufemismo para "tráfico de influência" no Brasil. E o dono de uma delas revelou à VEJA que os contratos foram assinados a pedido de Vaccari.
19) Um laranja de Youssef depositou em 2008:
400 mil reais na conta da mulher de Vaccari, Giselda Rousie de Lima. Quem pagou, na verdade, foi a Toshiba, depois de assinar um contrato com a Petrobrás para as obras do Comperj.
20) A cópia do extrato bancário é uma das provas que favoreceram a sua inclusão na lista da Lava Jato.


Em suma: Moro e Janot abriram a mochila de Vaccari. Lula e Dilma já não conseguem mais dormir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário