quarta-feira, 1 de julho de 2015

DILMA E RICARDO PESSOA, NEGÓCIO FECHADO?

Vejam que está em cena: os magnatas da corrupção federal, Marcelo Odebrecht e Ricardo Pessoa. Alguém sabe quanto e$$es pilantras roubaram da Petrobras e quanto deram para a campanha de Dilma em 2014?
                                         E Dilma, é claro!

Lançamento da pedra fundamental do Estaleiro Paraguaçú, em 2013. Sem receber da Sete Brasil, já demitiu 7.200 trabalhadores.  O empreendimento é da Odebrecht, OAS e UTC. O furo da foto foi do Antagonista, do Mainardi e do Sabino. 

Dilma Rousseff afirmou que nunca esteve com Ricardo Pessoa, aquele empreiteiro que, ameaçado pelo tesoureiro do PT de perder negócios, teve que pingar R$ 7,5 milhões na campanha da presidente. À esquerda, vemos Dilma com o martelo na mão. O terceiro, à direita, é Ricardo Pessoa, também com um martelo na mão. Bater martelo é fechar negócio. Dilma não somente esteve com Pessoa, como também fechou "alguns" negócio com ele.

"Eu não respeito delator", disse Dilma ao conversar com jornalistas em Nova York, primeira parada de sua visita aos Estados Unidos.

"Até porque eu estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar numa delatora. A ditadura fazia isso com as pessoas. Eu garanto para vocês que eu resisti bravamente", afirmou.


Ao contrário do que ela afirma, nunca foi torturada. Foi a pioneira na delação premiada. Entregou companheiros de guerrilha para reduzir a sua pena e não correr o risco de receber um interrogatório mais duro. Sabem qual foi o acordo? Você entrega, fica com o dinheiro do cofre e alega que confessou sob tortura. Fica protegida contra os camaradas. Permanece aqui, sob proteção, colaborando com informações. 


Não há como depositar crédito na presidente, sua imagem se desmancha a cada palavra dita, seja sobre suas “qualidades” ou pela “mandioca” que introduz. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário