domingo, 5 de julho de 2015

Governo se nega a fazer translado de corpo de atleta

O policial civil Carlos Eugênio Reino da Silva morreu na tarde desta quinta-feira (2) depois de se envolver em um acidente na prova de ciclismo de estrada no estado norte-americano da Virginia. Dentinho, como era conhecido em Brasília, fazia parte da delegação de 200 atletas que está participando dos Jogos Mundiais de Policiais e Bombeiros, nos Estados Unidos.

De acordo com informações de outros integrantes da delegação brasileira, o policial, de 47 anos, que chefiava uma das seções da Coordenação de Operações Especiais da Polícia Civil do DF, sofreu uma queda grave com mais quatro ciclistas, que integravam um dos pelotões da corrida, disputada no Prince William Fores Park, em Fairfax.

Governo brasileiro disse que o corpo do atleta Dentinho é de responsabilidade da família. Mas o corpo traficante Marcos Archer teve tratamento especial.
04/07/2015
*Luciano Lima



Eu queria pedir desculpas e licença aos leitores da Coluna Papo Firme para destilar toda minha tristeza com o nosso Brasil. Se já não bastasse o lamento pela morte do ciclista brasiliense Carlos Silva, conhecido como Dentinho, causada durante uma prova de ciclismo de estrada no Mundial de Policiais e Bombeiros, que acontece nos Estados Unidos, ficamos sabendo que o governo brasileiro se negou a fazer o traslado do corpo do atleta.

O Itamaraty informou que o consulado do Brasil em Washington deslocou um funcionário para acompanhar o caso e dar o apoio necessário à família nos contatos com as autoridades locais, mas ressalvou que informações sobre o traslado do corpo "são de natureza privada", de responsabilidade da família do atleta. Revoltante!

A atitude do Itamaraty, consequentemente do Governo Brasileiro, é de total desrespeito ao Brasil, a Brasília, ao atleta morto e sua família. Dentinho estava servindo o nosso país. Dentinho estava representando o esporte brasileiro. Como explicar a todos os brasileiros e, em especial, a sua filha de 12 anos, que o governo brasileiro teve toda atenção do mundo com o corpo do traficante Marcos Archer, até com lamentos presidenciais, e não teve com um cidadão de bem que representava dignamente o nosso país? Os poderes executivo, legislativo e judiciário do Distrito Federal precisam se posicionar urgentemente sobre o caso. É um total desrespeito!

O caixão com o corpo de Carlos Eugênio deixou o hospital coberto pelas bandeiras do Brasil e da Polícia Civil do Distrito Federal. Os atletas que estavam no local, com bandeirinhas do Brasil e vestindo uniformes de suas respectivas corporações, alinharam-se para ver o caixão passar.

DENTINHO REPRESENTAVA O BRASIL OFICIALMENTE EM UMA COMPETIÇÃO INTERNACIONAL. FEZ PARTE DE UMA DELEGAÇÃO BRASILEIRA DE ATLETAS. O BRASIL É RESPONSÁVEL POR ELE. TRAZER O CORPO DO DENTINHO ERA O MÍNIMO QUE O GOVERNO PODERIA FAZER. É UMA FORMA DE DIZER MUITO OBRIGADO POR TER REPRESENTANDO E LUTADO PELO NOSSO PAÍS.



8 comentários:

  1. mais um canalha mentiroso. Essa turma é especialista em mentir e distorcer fatos com o intuito de prejudicar o governo. E ainda dizem que querem mudar o país...Primeiro que o governo federal não faz traslado de ninguém. O procedimento sempre foi prestar assistência a família da vítima, mas a parte do envio do corpo fica por conta da família e não do governo, sempre foi assim. O Itamaraty ajuda na liberação do corpo, MAS NUNCA FAZ TRASLADOS. Segundo, que o mitômano dono desse blog deveria saber que o governo não deu tratamento especial para traficante nenhum, visto que o traslado do corpo de Marcos Archer ficou a cargo da família, tanto que havia uma prima do mesmo lá na Tailândia fazendo o acompanhamento do mesmo. O governo no máximo fez o que sempre faz: acompanha a família nos trâmites burocráticos. Portanto, o canalha que escreveu isso mente e compulsivamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sempre um anonimo defendendo a quadrilha e eu que sou militonto. Como pode ver há referencia na postagem, eu só reproduzi. Vá na postagem original e faça sua defesa da quadrilha. O policial atleta estava em competição oficial represetando o Brasil enquanto o "atleta" traficante, cometeu crime de trafico internacional. Lógico que o trenslado dele, do traficante, deve ter sido mais barato, veio in natura, em pó. hahahaha

      Excluir
    2. Ricardo, o "anônimo" está certo. O governo prestou o mesmo apoio nos dois casos, de acordo com o previsto na legislação. A embaixada brasileira da todo suporte burocrático e, como o atleta não estava em missão oficial, o translado fica na esfera privada.

      Excluir
    3. ANONIMO2: ricardo voce fala mta merda.

      Excluir
    4. Então não leia, o fato de ser um anonimo já é uma merda.

      Excluir
  2. É revoltante realmente.

    Agora acompanhe o caso do meu amigo de infância. Ele está preso e ferido no Peru, a aeronave que ele pilotava foi abatida pelos governantes peruanos, ACHANDO que continha droga no mesmo, em revista posterior nada foi encontrado. Ele está a mais de um mês, ferido e preso em condições sub-humanas, nós e a família, estamos tentando trazê-lo para que ele tenha um devido atendimento médico e também para que seja aberto um julgamento para o caso, visto que não há nada que o condene de qualquer coisa. Porém até o momento sem sucesso.

    O governo brasileiro, o mesmo, que pediu clemência ao traficante condenado, está condenando a morte através de sua negligência um jovem inocente.

    https://www.facebook.com/asteclinio?fref=ts

    ResponderExcluir
  3. Fica na tua Ricardo, nem dá resposta aos Petralhas. Pra um governo que dá medalha à um Chefe do MST, é de se esperar estas atitudes.

    ResponderExcluir
  4. Nem vou falar nada só vou postar o endereço de outro vídeo!
    https://www.facebook.com/profile.php?id=100008879147357

    ResponderExcluir