domingo, 19 de julho de 2015

Nunca acreditei em associações na PMERJ, mas agora me surpreendi


Nunca acreditei em associações na PMERJ, já estive na dos subtenentes e sargentos da PMERJ, mas um dia quando um convite me chegou três dias depois do evento, liguei para lá. Um membro da Diretoria me convidou a estar com ele para explicar e se redimir do erro. Fui no horário marcado, ele não estava. Havia saído para ultimar preparativos para recepção num jantar oferecido a coronéis.

Não esperei o dia seguinte, me desvinculei da associação.
Após alguns anos surgiu outra, que de inicio me pareceu confiável, caiu no “mesmismo” das outras. Me aquietei como todos os outros Policiais Militares.

Há dois anos presenciei um Oficial Superior da PMERJ em meio a uma manifestação, foi na Marcha da Família com Deus em 2014. Sem “delongas” colocou a mão na massa e ombreamos com minha faixa que tem histórico nacional, pois já andou pelo País. Até em Brasília já esteve.


Não vou falar sobre sua vida particular, que mostra ser um homem voltado ao trabalho e o bem de sua família, vou falar do Cidadão Policial Militar. Homem honesto e de caráter, que tem preocupação com a Instituição Policial Militar e seus componentes, sem receio de tecer criticas aos desmandos que vê e presencia. Taí, gostei dele! Passei a acompanhar e compartilhar seus “esbravejos” de insatisfação.


É um cara de ideias, de ideias comerciais, empresariais e ideias voltadas ao bem dos componentes da Corporação, independente de Posto ou Graduação, para ele somos todos COMBATENTES.

Me foi feito um convite, participar de reunião para concretizar um sonho, a ADSEMERJ. A união PMERJ e CBMERJ num JUNTOS SOMOS FORTES jamais visto. Uma associação com planos, projetos e garra para impulsionar a garantia dos Direitos dos Militares do Estado do Rio de Janeiro. O que vi e ouvi não foram leviandades, foi apontamento de direção e meios de alcançar. Voltei a confiar, agora me foi apresentado problema e solução.


ADSEMERJ já existe no mundo jurídico, é real representante de classe dos militares do Rio de Janeiro. Isso é certo! Nada de “tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado se quiser voar!” (Carimbador Maluco – Raul Seixas) É só voar, decolar!


Ontem (18), tivemos reunião para ultimar preparativos para ações que reforcem a Associação, o primeiro passo é adesão maciça de policiais e bombeiros. Ultrapassada esta etapa, é colocar à disposição hospitais que já estão conveniados, lazer completo para associado e família, assistência odontológica, seguro de vida, medicamentos e assistência jurídica 24 horas.
Benefícios em andamento incluem aquisição de veiculo para os associados com desconto de tributos, o que reduz o custo em cerca de 40%, pacote de telefone celular a preço acessível com aparelho incluso e conquistas de pleitos que há muito almejamos; como salário e carga horária máxima trabalhadas. 


O espaço físico da Associação também já está quase definido e será fora do grande Centro do Rio de Janeiro, possivelmente Zona Oeste. O espaço virtual já funciona, contato.adsemerj@gmail.com e pelo whats App (21) 9 9993 5851.

Alguns, dentro de justificável desconfiança, questionarão: “Mais uma associação para só levar dinheiro do associado”. Respondo: As pessoas envolvidas neste projeto são resolvidas financeiramente, suas vidas estão estruturadas por trabalho. Não precisam do dinheiro do associado, o único compromisso é com o Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Novamente questionarão: “Vai ser difícil, haverá resistência”. Respondo: Sim, claro que obtenção de Direito gera resistência. Mas com a legalidade a nosso favor e com apoio dos associados em numero expressivo, a vitória na peleja é certa, se quedarão à exigência do Direito. Só não os podemos deixar só, devemos ser expressivo, dar valor para obter valorização, pois, só a união faz a força e o JUNTOS SOMOS FORTES vai prevalecer como união insuperável. 

Lembrem-se, por termos perdido varias batalhas não significa que perderemos esta guerra.
Um dos persas chega a dizer para um dos espartanos que as flechas persas cobrem a luz do sol, “Que bom, lutaremos na sombra”.
“Que venham buscá-las”. Foram as palavras que Leônidas disse quando os persas pediram suas armas.
Os persas derrotam os 300, mas perdem a guerra.
Os 300 só perderam a batalha por que um morador da região, um traidor, disse um caminho secreto, e os persas encurralaram os 300 espartanos. 
E os 300 espartanos entraram para a história.
(Os 300 de Espata)

Lutem, caro leitores, lutem como os espartanos, por seu ideal, e que seu ideal esteja de acordo com as leis divinas, com o bem, com a bondade. Números não vencem guerras, o que vence é o amor a camisa. O auge da filosofia guerreira espartana está ai, nos 300 espartanos nas Termópilas. Lutem pela liberdade, como disse certa vez no século 19 um idealista brasileiro no leito de morte: “Morre um liberal, mas não morre a liberdade!”. E como disse o filósofo Voltaire: “Eu não posso concordar em nada do que você diz, mas eu defenderei até as últimas consequências o seu direito de expressar-se, de dizer.”
Autor: Victor da Silva Pinheiro*
*Nasceu e mora em João Pessoa, PB, Brasil. Estudou na escola Carl Rogers e no IFPB, antigo CEFET-PB. Tem 3 livros publicados: "Fogo Interior", "A Flor e o Beija-Flor" e "Flores ao Conquistador". Veneo cartão de visita de porta em porta, no comércio e com o dinheiro dessas vendas publicou seus 2 primeiros livros.




Nenhum comentário:

Postar um comentário