sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Até a esquerda se queda a Intervenção

Ex-tesoureiro do PSOL tem braço quebrado em briga entre militantes na UFRGS.

Confronto ocorreu na madrugada do último sábado em frente ao Diretório Central dos Estudantes, no centro de Porto Alegre.

Por Mauricio Tonetto - ZH notocias

O jornalista Alexandre Dornelles, 32 anos, ex-tesoureiro estadual do PSOL, recebeu diversas pancadas e teve um braço fraturado

Uma briga entre militantes de esquerda terminou com pelo menos 12 feridos na madrugada do último sábado, 1º de agosto, em frente à sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no centro de Porto Alegre, onde ocorria uma festa. Até a tarde desta quinta-feira, três ocorrências foram registradas na 1ª Delegacia de Polícia (DP). Um dos feridos teve o braço quebrado e precisará de dois meses para recuperar os movimentos.

O jornalista Alexandre Dornelles, 32 anos, ex-tesoureiro estadual do PSOL, recebeu diversas pancadas, que foram registradas por câmeras de vigilância(veja abaixo, em vídeo cedido pelo blog de Thales Bouchaton). Ele acusa cinco membros do coletivo Juntos, ligado ao PSOL, de preparar uma emboscada na rua André da Rocha por volta das 3h20min.

– Isso ocorreu pelas críticas que viemos fazendo a eles. Eu integro um movimento social (Barricadas) e saí do PSOL há dois anos e meio. Esse movimento frequenta lugares em que está o Juntos, e os ânimos foram se acirrando cada vez mais. Eles entendem por provocação a crítica à política e dizem que somos a favor da intervenção militar porque não queremos eleições e disputar o Estado. Quando apanhei, eles gritavam 'tu sabe o que tá fazendo' – afirma Dornelles.


A Polícia Civil, porém, trata o caso como briga generalizada. De acordo com o delegado Paulo César Jardim, titular da 1ª DP, os indiciamentos sairão depois da análise de laudos das lesões dos envolvidos:
– Todo mundo bateu em todo mundo. Tenho 12 pessoas com lesões como mordida, dedo no olho, puxada de cabelo e pontapé. Não dá para direcionar em uma vítima. Estou vendo isso aqui como rixa política. Pelo jeito, todos se conhecem.
PSOL e Juntos se manifestam por notas
Na última quarta-feira, a direção do PSOL no Estado publicou uma nota em que diz não ter "nenhuma responsabilidade sobre o ocorrido. Trata-se de ato isolado de indivíduos. O partido não compactua com quaisquer atos de violência, sejam quais forem os seus autores. Tendo sido constatado o envolvimento de dois de seus filiados no incidente, o partido decide instaurar uma Comissão de Ética para apurar o caso e as responsabilidades".
O Juntos também se manifestou, por meio da sua página no Facebook, e classificou o incidente como "lamentável. Embora as atitudes tenham sido individuais, o nosso coletivo se responsabiliza pelos seus militantes envolvidos e por isso fazemos esta autocrítica. Não defendemos a resolução de problemas de forma violenta. Pelo contrário. (...) Assumimos a responsabilidade diante dos lastimáveis fatos mostrados no vídeo, que inclusive mostram o envolvimento de dois militantes do Juntos na briga".
Durante os protestos de junho de 2013, o coletivo – que atua principalmente em defesa dos direitos da juventude, dos LGBTs e das mulheres – foi um dos principais organizadores das manifestações nas ruas de Porto Alegre. Entre as suas lideranças estavam Gabi Tolotti, que concorreu no ano passado a vice-governadora do Estado pelo PSOL, na chapa composta com Roberto Robaina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário