terça-feira, 11 de agosto de 2015

Minha PMERJ não é subornável.

O jornal não destacou ser um Subtenente da PMERJ, camuflando como "PRE", posto aqui com a retificação.

'Rei da Baixada' tenta subornar agente com R$ 2 milhões para não ser preso

Ipojucan de Andrade foi preso em Araruama, no RJ.
Polícia diz que ele é o 3º homem na hierarquia do crime de tráfico.


Um agente da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) (Subtenente PMERJ) afirmou que o homem conhecido como "Rei da Baixada" ofereceu R$ 2 milhões para não ser preso durante uma operação na RJ-106, no trecho de Araruama, na Região dos Lagos do Rio, nesta quarta-feira (5). Ipojucan Soares de Andrade, de 55 anos, é apontado pela polícia como chefe do tráfico na Baixada Fluminense e a 3ª pessoa no grau de hierarquia do crime organizado. Ele é considerado altamente perigoso.

                      Subtenente Rezende Lima recusou suborno de R$ 2 milhões defendendo sua honra e dever
"Esse marginal, tentando usar o ganho sujo financeiro, ofereceu-me R$ 2 milhões para que pudesse liberá-lo. Eu disse que ele estava preso e não tinha dinheiro que pagasse minha honra e meu dever", conta o subtenente da PRE (PMERJ) Rezende Lima.


Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o homem tem 13 passagens pela polícia e já passou por 18 presídios do estado do Rio, conseguindo fugir duas vezes. O subtenente que efetuou a prisão, diz que Ipojucan "iniciou a carreira muito jovem e teve a primeira passagem aos 18 anos".

De acordo com o delegado de Araruama, Clóvis Monteiro, o traficante, que vivia no município há quase um ano, tinha dois mandados de prisão em aberto por homicídio. "Ele passeia no código penal. O cara é coroa bom. Gosta de festas, gosta de orgias, gosta de drogas e gosta de matar as pessoas", comenta.

4 comentários:

  1. Parabéns ao Subtenente Rezende Lima!

    Enquanto o Coronel Alexandre Fontenelle Ribeiro de Oliveira, o Major Carlos Alexandre de Jesus Lucas, o Major Edson Alexandre Pinto de Góes e o Capitão Walter Colchone Netto (3 Oficiais Superiores e 1 Intermediário) foram denunciados pelo Ministério Público na terça-feira passada (4 de agosto de 2015) pelos crimes de lavagem de dinheiro e improbidade administrativa por incompatibilidade patrimonial, DENEGRINDO A IMAGEM DA CORPORAÇÃO, o Subtenente Rezende Lima recusou suborno de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) defendendo sua honra e dever!

    ResponderExcluir
  2. Enquanto um Subtenente honra a farda, os Oficiais dão mal exemplo!

    http://sospoliciaismilitares.blogspot.com.br/2015/08/mp-denuncia-ex-oficial-de-comando-de.html

    ResponderExcluir
  3. A valorização dos profissionais de segurança pública é essencial!

    Todo mundo quer maior qualidade na segurança pública, mas para melhorar a qualidade será imprescindível melhorar a questão salarial, ou seja, valorizar o Policial Militar com uma remuneração digna. Os Policiais Militares do Rio de Janeiro morrem por um vencimento inferior ao Salário Mínimo Necessário!

    O Salário Mínimo Necessário foi calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) em R$ 3.377,62 (três mil, trezentos e setenta e sete reais e sessenta e dois centavos) no mês de Maio de 2015, de acordo com o inciso IV do artigo 7º da Constituição Federal de 1988 ("salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo").

    http://www.dieese.org.br/analisecestabasica/salarioMinimo.html

    O adicional de periculosidade para profissionais de segurança pública foi aprovado!

    A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 193/15, que garante aos integrantes do sistema de segurança pública de todo o País o adicional de periculosidade. Pelo texto, cada estado vai estabelecer o valor do adicional, desde que observado um percentual mínimo de 30% sobre a remuneração total. Acrescido dos 30% de Adicional de Periculosidade (R$ 1.013,28), o valor do Piso Salarial da categoria deveria ser fixado em R$ 4.390,90 (quatro mil, trezentos e noventa reais e noventa centavos). O menor vencimento deve ser igual ou superior ao referido valor.

    "QUEM VIVE PARA PROTEGER, MERECE RESPEITO PARA VIVER." NÃO HÁ JUSTIFICATIVA PARA OS BAIXOS SALÁRIOS DOS SERVIDORES MILITARES NO RIO DE JANEIRO! POLICIAL MILITAR DESMOTIVADO SIGNIFICA SEGURANÇA PÚBLICA AMEAÇADA.

    ResponderExcluir
  4. A culpa pela omissão na notícia é da própria PMERJ. Por nos outros estados a denominação é "POLICIA MILITAR RODOVIÁRIA" e apenas no RJ temos essa denominação "Policia Rodoviária Estadual" ?

    ResponderExcluir