quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Moradores fazem cartazes sobre riscos de assaltos em bairros do Rio

CCartaz com alerta sobre assalto foi colocado em rua do Rocha, na Zona Norte do Rio Foto: Leandro Melo / via WhatsApp

Igor Ricardo - EXTRA

A falta de segurança levou moradores de dois bairros do Rio de Janeiro a estenderem pedidos socorros: cartazes pendurados pelas ruas alertam visitantes para o risco de assalto nas regiões. No Rocha, na Zona Norte do Rio, o aviso está na Rua Almirante Ari Parreira, segundo conta o estudante de Pedagogia Leandro Melo, de 24 anos. Ele relatou o problema através do WhatsApp do EXTRA (21 99809-9952 e 21 99644-1263). Leandro afirma que o policiamento na área é escasso e reclama dos roubos. De acordo com o estudante, a faixa de alerta foi instalada no início desta semana.
- Já fui assaltado aqui quando estava a pé. Meu pai quando estava no carro. O policiamento é precário. As viaturas da PM passam raramente - afirmou o estudante.
Perto do Viaduto de Santíssimo, faixa indica área de assaltos Foto: Foto do leitor / via WhatsApp

Em Santíssimo, na Zona Oeste do Rio, o problema parece se repetir. Por isso, os moradores tiveram a mesma ideia e confeccionaram um cartaz com os dizeres “Cuidado! Área sujeita a assalto”. Também por meio do WhatsApp do EXTRA, um morador relatou o ocorrido, mas preferiu não se identificar. Segundo ele, o alerta foi colocado na noite desta terça-feira e fica nas proximidades do Viaduto de Santíssimo.

- De noite, essa área fica deserta, sem luz. Ou seja, muito perigoso. Eu ainda não fui assaltado, mas muita gente já foi assaltada por aqui - declarou.
De acordo com índices do Instituto de Segurança Pública (ISP), a capital do Rio registrou 29.254 roubos de rua de janeiro a julho deste ano contra 28.263 no mesmo período, um aumento de 3%. Ainda seguindo os dados do ISP, no bairro do Rocha foram registrados 62 roubos a pedestres em julho deste ano contra 83 no mesmo período do ano passado, uma redução de 25%. Já em Santíssimo, foram 104 roubos a pedestre em julho deste ano contra 95 no mesmo período do ano passado, um aumento de 9%.
Até às 16h, a Polícia Militar não tinha enviado resposta sobre as reclamações dos moradores do Rocha e Santíssimo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário