quinta-feira, 17 de setembro de 2015

O simpático comunista "caviar"

Sempre simpático, Chico Buarque joga pelada com o MST e autografa DVD para Maduro.


Recluso desde o fim do ano passado, quando lançou o livro “O irmão alemão”, o cantor e compositor Chico Buarque reapareceu em uma partida de futebol com integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST). O artista recebeu no início desta semana o líder do movimento, João Pedro Stédile e sindicalistas no campo do Polytheama, no Rio de Janeiro. Um registro em vídeo do encontro foi divulgado nas redes sociais do MST.

A pedido de Stédile, Chico autografou um CD para o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. O cantor ganhou uma cesta com produtos orgânicos e presentes com a marca do movimento. Elogiou a criação de uma escola nacional de formação de quadros do MST e deu até uma entrevista para Stédile.
No encontro, o líder do MST perguntou ao compositor qual sua opinião sobre o projeto do senador José Serra (PSDB-SP), que prevê mudanças no sistema de partilha do pré-sal. Para Stédile, o projeto é uma tentativa de privatizar a Petrobras.

- Não acredito que passe um projeto assim no Senado, não acredito que a sociedade vá aceitar se desfazer da Petrobras, do pré-sal e tudo mais - disse Chico.
O compositor lembrou o slogan da campanha “O petróleo é nosso”. Para ele, é “um velho lema que deve ser mantido”:
- Há uma cobiça permanente em torno da Petrobras. Agora, com essa história de participação na exploração do pré-sal, conquistas nossas, conquistas dos nossos governos desde os tempos de Getúlio (Vargas), que volta e meia são ameaçadas por esse tipo de investida - disse Chico.
Ao fim da partida, o artista recebeu um uniforme laranja de funcionário da Petrobras, com a sigla da Federação Única dos Petroleiros (FUP). Chico disse estar orgulhoso de receber o uniforme.
- Vou usá-lo por aí - brincou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário