quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Policiais preparam trincheiras e abrigos improvisados no RIO.


Só falta entregar uma pá para cada policial e mandar que cave sua trincheira (ou sua sepultura). O combate contra o verdadeiro exército de criminosos que existe enfurnado nas favelas, agora chamadas comunidades, é um sinal de que o caos já existe no Brasil ah bastante tempo.
Os abrigos feitos com sacos de areia, cadeiras velhas e o que houver nas proximidades são chamados pela polícia de PONTOS FORTIFICADOS.

Policiais cariocas tem a tarefa, quase impossível de cumprir, de combater a criminalidade dentro das favelas, onde os marginais, chamados pela imprensa de termos mais amenos, como jovens ou moradores, conhecem cada esconderijo, cada atalho.
No Rio de janeiro qualquer um que erras o caminho e cair dentro de uma das favelas às margens da Linha Amarela ou Linha Vermelha já sabe que pode nunca mais sair de lá de dentro.
Viajando de São Paulo para o Rio, depois de pedir informações em um posto de gasolina na Via Dutra, na entrada da Linha Vermelha, um turista que ia para o Rock in Rio ouviu a seguinte advertência ao final da explicação sobre como pegar a linha Amarela:
Se o senhor quer viver, não erre o caminho
Como é possível essa situação persistir por tanto tempo e a sociedade não se posicionar veementemente exigindo que o governo faça algo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário