quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Venezuela matou seus pilotos?


Pilotos de caça SUKHOI-30 que caiu testemunharam A FAVOR de MILITARES acusados de conspiração na VENEZUELA.


A grande imprensa venezuelana, acuada pelo governo e, provavelmente, também em respeito aos familiares e colegas de trabalho dos pilotos falecidos, tem evitado tocar no assunto. Mas, a verdade é que já há especulações sobre o que realmente aconteceu com o avião que caiu nas proximidades da fronteira com a Bolívia.
O líder de oposição, Henrique Capriles disse:
 “Este acidente gerou muita desconfiança. Provavelmente, agora o governo vai vir com uma nova novela. Quem acredita em investigações do governo?”
Segundo apurado pela Revista Sociedade Militar, os capitães Ronald Garcia Ramirez e Jackson – pilotos que morreram no incidente com o Sukhoi-30 – foram testemunhas chave no julgamento contra 9 militares condenados por envolvimento na chamada operação “Golpe Azul“.
Os militares foram convocados como testemunhas de acusação. Mas, como especialistas em caças russos, eles acabaram deixando claro que seria impossível que uma aeronave SU-30 pudesse ser armada pelos acusados. Os pilotos explicaram que para deixar um Sukhoi pronto para o combate é necessário uma equipe de pelo menos 14 pessoas.
Os pilotos também explicaram que seria impossível que os acusados armassem tucanos, já que o armamento estava em outro local, tendo que ser transportado por terra até a base.
No entanto, o depoimento dos militares foi descartado e não foi suficiente para absolvição dos acusados.
O ministro da defesa venezuelano, Vladimir Padrino López, hoje disse que o acidente foi causado por falhas dos próprios pilotos e reiterou que esses capitães estavam realizando proteção do espaço aéreo venezuelano para impedir possíveis “ameaças de tráfico de drogas”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário