quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Bolsonaro diz que JUÍZA fechou presídio militar por VINGANÇA.

Após a determinação do fechamento da unidade prisional da polícia militar carioca, o deputado Eduardo Bolsonaro fez declarações incisivas contra a justiça do Rio. Bolsonaro disse que a juíza não respeita os direitos dos militares que estão aguardando julgamento de suas causas e que muitos deles podem voltar a agir nas ruas em pouco tempo.

Bolsonaro disse que a decisão é uma INSANIDADE e que isso coloca a vida dos policiais e familiares em risco.


“agora vai por vingança mandar fechar o local… eles estão sendo acusados ainda de ter feito alguma coisa… igualá-los a bandidos. Daqui a pouco esses profissionais estarão de volta para as ruas, como é que a população acha que eles vão trabalhar, com que vontade, com que entusiasmo? Será que eles continuarão dispostos a arriscar suas vidas quando são tratados como bandidos? O judiciário tem que se posicionar, tomem as providencias contra quem agrediu a juíza, dentro da lei.”


"Gostaria de compartilhar com vcs algumas coisas sobre o lugar em que trabalho:
- No lugar em que eu trabalho, os acautelados construíram uma sala de aula para que eles pudessem estudar;
- No lugar em que eu trabalho, existe uma parceria com o SESI que fornece curso de Inglês e Pré-ENEM para os acautelados poderem voltar a estudar e remir pena;
- No lugar em que eu trabalho, 4 acautelados passaram no vestibular este ano: três para Engenharia de Produção e um para matemática;
- No lugar em que eu trabalho, a cada 15 dias fazemos um cineclube e debatemos temas como criminalização, violência, juventude etc. O filme que eles mais gostaram até agora foi "Relatos Selvagens";
- No lugar em que eu trabalho, no mês de Julho realizamos uma Feira de Saúde, e 80 acautelados e familiares passaram por atendimento com Enfermagem, Odonto, Nutrição e Psicologia;
- Nesta mesma feira, teve palestra sobre educação alimentar, palestra sobre endividamento, contação de histórias para crianças, apresentação de peça de teatro e yoga;
- No lugar em que eu trabalho, acautelados fazem fraldas geriátricas que são distribuídas gratuitamente para a comunidade;
- No lugar em que eu trabalho, tem um acautelado que é uma das pessoas mais inteligentes que já conheci. Ele fez Letras na UFRJ, está preso há 2 anos e está escrevendo seu segundo livro;
- No lugar em que eu trabalho, tem jovens de 22, 24, 27 anos, que podem ser condenados a penas que os farão perder toda a sua juventude, mas se você pudesse olhar nos olhos deles e conversar por 15 minutos, você diria que isso é uma loucura e que eles deviam ter uma segunda chance.
Não por eles serem mais especiais do que outras pessoas acusadas de cometer crimes, mas porque todas as pessoas realmente merecem outra chance.
Eu me orgulho muito de trabalhar no lugar em que eu trabalho, e eu me orgulho muito de ter conhecido as pessoas que conheci lá.
Se você tivesse esta oportunidade, se sentiria como eu.
Como isso nunca vai ser capa do EXTRA, nem ser matéria extraordinária no Balanço Geral, resolvi compartilhar com vocês para que fiquem sabendo a realidade sobre o lugar em que eu trabalho.
Eu trabalho no BEP, a Unidade Prisional da PMERJ."
Escrito por uma oficial assistente social da PMERJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário