sábado, 17 de outubro de 2015

Cada vez mais longe da PMERJ


Desde 2011 me dedico às manifestações, comecei junto aos Bombeiros Militares do Estado do Rio de Janeiro em sua luta diária por DIGNIDADE e RESPEITO. Depois vieram os PMs, não antes de visualizar o ganho salarial que a adesão lhes possibilitaria. Depois, com a acusação de uma “greve” que não aconteceu, levando centenas de militares estaduais a um presidio comum de segurança máxima, com procedimentos de exclusão sumários, os PMs debandaram e nunca mais se fizeram presentes. Durante o tempo que durou as prisões, os Bombeiros Militares se cotizaram e conseguiam arrecadar cerca de R$ 2.000,00 para cada excluído, enquanto a PM, menos de R$ 100,00. Junte-se a isso que o efetivo BM é cerca de 1/3 da PMERJ e que os excluídos BM foram muito mais. Deu para perceber? No maior Grupo PMERJ, com mais de 54.000 membros, muitos que eu inclui, pois participo desde o inicio, minha Fiel Escudeira Sandra Moura foi BANIDA por postar meu Blog no período em que o Facebook me bloqueou; pedi explicações aos Administradores que são cinco. Tres me responderam: “Não fui eu” e os outros dois nem se deram ao trabalho de responder, nem o Wagner Luis que sempre defendi e me expus em sua defesa. Portanto Restaram Wagner Luiz e Emerson Henrique Portugal, que não se manifestaram. Qual dos dois é o traira?

Quem a excluiu é um grande FDP e não deve ter estado presente neste ato

No decorrer destes anos, principalmente agora quando o grupo está numeroso, tenho notado minhas postagens sendo excluídas, principalmente as que criticam o efetivo (praças), mas não veem que também critico gestores, afinal todos são merecedores de criticas.

Alguns membros estão criticando imagem em postagem onde uso um corpo carbonizado, embora tenha tido mais de uma centena de curtidas. Dizem que os familiares do PM vitimado podem ficar chocados.
Ora, quando são imagens de vagabundos com tiro de escopeta na cabeça não choca, mas uma imagem que reflete uma realidade quase confirmada, do que aconteceu com o policial sou criticado.


Nas diversas manifestações pela vida do policial em que compareci vi PMs inativos, PMs vitimados, parentes de vitimados, amigos e simpatizante. Não vi os parentes das atuais vitimas, não vi os que criticam, vi poucos PMs da ativa. 


Esta mãe sempre esteve preocupada em casa, esperando a volta de sua filha. Até................que um dia ela não mais voltou.

Neandro também não volta mais para casa, agora sua esposa também se pronuncia.


Até quando esposas, maridos, filhos, filhas, sogro, sogra, irmão, irma de PM vai ficar esperando um dos seus parentes morrer para se manifestar? E o PM ausente? Vai ficar esperando sua vez?

Por certo estes parentes dos atuais vitimados estarão nas próximas manifestações cobrando justiça pelos seus, mas e a justiça dos anteriores? Precisa esperar que seu pai, filho marido, esposa, filho, filha sejam vitimados? Só dói quando a vitima está próxima no parentesco? Que polícia é essa?

Decidi então sair do grupo, não é importante para mim me expor por tão pouco. Mas estarei presente nos eventos pela vida, pela dignidade e pelo respeito do policial, de todos os policiais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário