sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Militares se decepcionam com seu "representante"

BOLSONARO indicou Aldo REBELO e até José GENOÍNO como políticos com competência para assumir o MINISTÉRIO da DEFESA. Contra fatos não há argumentos. PROVA II.



Temos certeza que o deputado Jair Bolsonaro atualmente tem uma postura de enfrentamento contra a onda de corrupção e tentativa de desestabilização de pilares da sociedade brasileira. É um dos poucos não citados nos seguidos escândalos políticos que assolam o país.
Bolsonaro é também um dos poucos que têm coragem de se posicionar firmemente contra a imposição do politicamente correto em questões como liberdade de imprensa, combate à criminalidade, aborto, desarmamento, família e esquerdismo.
Conforme artigo publicado pela Revista Sociedade Militar em 02 de outubro, o referido deputado nem sempre foi tão incisivo, o que em nada desabona sua conduta atual. Seu posicionamento como representante da direita obviamente não vem desde o inicio de sua carreira legislativa. Por decisão da editoria, esse tema ia ser relegado a segundo plano. Contudo, atendendo aos reiterados pedidos para que citássemos mais fontes que indiquem que o deputado em algum momento de sua carreira citou o nome de Aldo Rabelo como pessoa qualificada para assumir o cargo de Ministro da Defesa, eis a imagem de um jornal antigo (de nossos arquivos), publicado pela própria Câmara dos Deputados.
Leitores atentos notarão que o Capitão-Deputado citou ainda o nome de José Genoíno como pessoa também gabaritada para o importante cargo à frente das Forças Armadas. Dois anos antes Bolsonaro já havia criticado José Genoíno, dando a ideia de que este se fazia de “herói” da guerrilha para alcançar maior status político.

As vésperas do governo Lula ser iniciado, Bolsonaro lutava contra pressões para a indicação de José Viegas. Viegas na época tentava aproximação com alguns generais e, a despeito da luta de Bolsonaro, acabou assumindo a função.
Alguns dias depois de ter proferido a supracitada declaração na Câmara, segundo a Folha, Bolsonaro tentou um contato com o então presidente Lula, para fazer a indicação pessoalmente.
P.S. Nosso compromisso é com a verdade. Não possuímos vínculos com políticos ou instituições governamentais. Cremos que possuindo informações consistentes cada cidadão será capaz de construir pilares sólidos, capazes de embasar argumentações e ações realmente eficazes na batalha por um Brasil melhor.
Veja abaixo. (Extrato do jornal aqui)
Nomearam um que se fardava de generalou será que foi “marechal”?

Outro era “surubeiro”, botava tudo no “rolo”.


Hoje é um comunista, que já fez parte da guerrilha, inclusive no atentado contra Costa e Silva no Aeroporto de Guararapes.


Nomear um entre tantos FDP é uma tarefa difícil, senão impossível. Mas Aldo teve preferencia, imagina se fossem outros?


Nos EEUU nomearam um gay, também temos opção. hahahaha




Nenhum comentário:

Postar um comentário