terça-feira, 13 de outubro de 2015

Tragedia anunciada, professor espancado até a morte

Uma briga entre jovens que participavam de uma festa das Olimpíadas Regionais dos Estudantes de Medicina (Orem), em Vassouras, no Sul Fluminense, causou a morte do professor de educação física Mauro Costa Júnior, de 23 anos. 

                                           Professor é espancado até a morte em festa de Medicina em Vassouras

Matheus Medeiros contou que voltava para casa com Mauro, seu primo, quando ele encostou num jovem. “Ele pediu desculpas e não adiantou. Imediatamente dezenas de estudantes foram para cima dele. Foi pura covardia”, lamentou.
O jovem chegou sem vida ao Hospital Universitário de Vassouras, depois de ter sido socorrido por outros alunos, segundo a Polícia Militar. Ele teve traumatismo craniano e na coluna.

Evento é uma tragédia anunciada
Pelo menos sete mil universitários participam das olimpíadas, que, nos intervalos dos jogos, promovem as festas, constestadas por boa parte dos moradores de Vassouras. Os jogos reúnem 23 faculdades do Rio e do Espírito Santo.
Segundo internautas, o evento “é uma tragédia anunciada”, uma vez que, de acordo com eles, a pacata cidade não comporta tanta gente. só nesta edição, o Orem reúne sete mil estudantes, em pontos de encontros “sempre regados a muita bebida e drogas”.
“Jovens saem ao som de músicas alucinantes, fazem orgias, consomem álcool e drogas de forma inacreditável, e depois se transformam em galos de brigas em tudo quanto é canto de Vassouras”, postou a estudante Gracciely Moraes. Outros, porém, defenderam o Orem. “Falta de civilização não é culpa do Orem, que movimenta o comércio, a infra-estrutura e setor imobiliário na cidade”, argumentou o estudante Anacleto Dias.
Maioria das festas termina em brigas
Eventos envolvendo estudantes de medicia em festas no Sul Fluminense estão se tornando cada vez mais polêmicas. A maioria termina em brigas e com a presença da polícia, acionada por moradores. Em Volta Redonda, por exemplo, moradores do bairro Jardim Amália 1 iniciaram abaixo-assinado contra festas em plena área residencial promovida rotineiramente por estudantes de uma república, na altura do número 246 da Rua Almirante Barroso.
“O som altíssimo e a até altas horas, em qualquer dia da semana, se tornou um calvário para a vizinhança. Os estudantes não respeitam ninguém, nem idodos e acamados que moram nas imediações”, comentou Gildete Marcondes, que mora num prédio de sete andares em frente a república. A Polícia Militar informou que sempre tem atendido os moradores, quando acionada.

Em 2014 a Sociedade de Vassouras já se manifestava contra a realização da Olimpiada, que de esportes nada tinha.
Link: O DIA



OS FILHOS DO "OREM" (Olimpiada Regional dos Estudantes de Medicina)

Carta de um cidadão vassourense

Talvez, se o Prefeito Eurico Junior residisse com animo definitivo em Vassouras tivesse pensado duas vezes ao autorizar o evento dos estudantes de medicina nesta cidade, pois Valença e Volta Redonda, considerando a experiência anterior declinou em sediar a Olimpíada. 
Claro que o jovem estudante de medicina que vem de fora, normalmente filho de papai, com dinheiro no bolso, na melhor fase da vida, com liberdade para fazer o quiser, com quem quiser, sem ter que prestar contas a ninguém, numa cidade bonita, acolhedora, povo pacato, com o maior numero de meninas lindas de mesma idade, não há porque reclamar. Mais a bebedeira, o pudor violentado a cada instante, o barulho, a desordem e a algazarra incomodaram as tradicionais e respeitosas famílias de Vassouras. Alem do que o Poder Publico precisa tomar as devidas precauções para garantir a ordem publica, contratando seguranças particulares, atendimento médico gratuito, deslocamento de força policial (PM) do 12 º Batalhão de Policia e isto tudo tem um custo publico, quem paga são os nossos impostos. 
Encerrada a competição, todos pegam os seus carrinhos vão embora e acabou, ficam os lixos para a cidade, as despesas publicas, as casas estragadas, desgaste para todos e antipatia das famílias pela decisão da autoridade, daqui a nove meses aparecem os filhos da olimpíada e depois eles querem que nos adotemos as crianças

RECONHECIMENTO PUBLICO – Carta de um cidadão vassourense 

Prezado Sr. Cel. Pereira, Tomando conhecimento da reportagem "Os Filhos do OREM" publicada pelo Jornal Branco e Preto no dia 27/10/07, queremos parabenizá-lo, pois, a matéria retrata a realidade do que foi o evento. 
Tomamos a liberdade de anexá-la junto com outros documentos que estaremos enviando ao Ministério Público ainda esta semana relatando os acontecimentos a respeito do OREM. 
Passamos por várias situações constrangedoras, passamos uma verdadeira guerra a cada festa de estudante além do famoso OREM e estamos nos unindo, embora sejamos poucos ainda, para que as autoridades competentes façam alguma coisa pra nos ajudar. Somos solidários ao senhor no que precisar sobre situações como esta descrita. 
Forte abraço. Atenciosamente, Moradores de Vassouras

Gestor sem responsabilidade, que não planeja suas decisões e as põe em prática à revelia da sociedade. Não poderia dar em outra, agora um assassinato. Que venham os futuros médicos formados na barbárie social política.

3 comentários:

  1. Descalabro em todo o Brasil sem rumo com uma doida alucinada ' NO CARGO" E UM POVO QUE SÓ SE INTERESSA POR NOVELINHAS, FUTEBOL, E ESSAS FUTILIDADES... ACORDA BRASIL !!!!!!

    ResponderExcluir
  2. a sujeira e o lixo fica, mas o dinheiro que eles ("playboizinhos", como se fossem todos, sou classe média e juntei dinheiro pra ir uma vez ¬¬) gastaram também, é muito lucro, pq os comerciantes metem a faca nos preços... foi bom ir la, mas não é la essas coisas não, não chega nem perto de um porto saude por exemplo. estudantes de medicina e médicos se divertem tambem, não somos robos sem sentimentos que salvam vidas. salvamos vidas, e muitas, mas tbm nos estressamos, erramos, temos sentimentos, necessidades, e tudo mais o que voces tem. Não se deixe levar por alguns médicos e estudantes que realmente não prestam. Na reportagem tinhas uns bostas que espancaram o cara, mas tbm teve (e ninguem da importancia) quem tentou salvar a vida do cara que foi espancado. Sabe oq é o mais legal? por mais que vcs falem mal da gente, nos xingue, nos julguem, e fale na nossa cara que não prestamos, se vc chegar morrendo pra gente, vamos te salvar.

    ResponderExcluir
  3. São esses estudantes que serão médicos um dia? A Justiça precisa condenar todos os que espancaram o rapaz a 30 anos de cadeia, no mínimo, em regime fechado. Até quando essa violência descontrolada vai continuar neste país?

    ResponderExcluir