quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

PM, sinto muito. Vocês sempre estarão só! "Searching the missing issue"

Como diz o pensador americano quando quer ir à raiz oculta do problema. “Searching the missing issue” (Procurando a causa do problema)

 

Não é só pelo dinheiro, o problema está além disso.

 

O PM se vê como herói da sociedade, o que certamente o é. Mas para os gestores, políticos e governo é o palhaço, o “bola da vez”. “missing issue”

 

Fizeram estardalhaço com o parcelamento e empréstimo da 2ª parcela do 13º, “missing issue”

 

Como eu sempre digo, o PM não pensa como sociedade, pensa sempre em si mesmo. É incapaz, apesar de seu poder eleitoral, de eleger um único e verdadeiro representante, seu potencial pode colocar cinco na ALERJ e uns dois na Câmara federal.

 

Vive pelos cantos reclamando e nada se resolve, estão sendo roubados pelos gestores, também PMs de mais alta patente. Os parcos recursos profissionais serão remanejados para atender o déficit da saúde pública, como se este fosse a causa do problema. “Searching the missing issue

 

Missing issue?! A baixíssima qualidade de nossos legisladores eleitos por eleitores com, também, baixíssima qualidade tanto intelectual como sócio-ética.
Missing issue?! Encarar, repensar e MUDAR a nossa representatividade democrática. Só eleger parlamentares intelectualmente preparados para atividades de altíssima complexidade.
Quem tem peito para tal?!

 


Acusado de fazer parte da quadrilha que desviou mais de R$ 14 milhões do fundo de saúde da Polícia Militar do Rio, Orson Welles da Cruz frequenta os gabinetes dos políticos mais poderosos do Rio. Ele é funcionário comissionado da secretaria estadual de Governo, onde ganha R$ 1.317,76 líquidos, e é membro suplente da Comissão de Ética do PMDB fluminense. Morador de um condomínio localizado em frente à praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, Welles é apontado pelos promotores do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) como um lobista de empresas que fornecem serviços e produtos à administração pública.

EXTRA



Também há diversas imagens do servidor com oficiais da PM, em gabinetes do Quartel General da corporação.



Estranho? Não! REALIDADE!


Coronel diz, em delação premiada, que oficial preso em operação negociou pagamento de propina com ex-comandante da PM.


O coronel Décio relata que Pacheco, em data não mencionada, lhe confidenciou ter conversado com o coronel Luís Castro sobre o recebimento de propina da Fetranspor e das quadrilhas que administram o jogo do bicho no Estado do Rio.
EXTRA


Hospital Geral da PM sofre com falta de termômetro e refeição para pacientes


Fam                              Familiar de pacientes levam quentinhas



No Hospital Central da PM, no Estácio, faltam equipamentos básicos. Segundo um médico da corporação, a emergência não tem nenhum oxímetro (aparelho que mede a saturação de oxigênio), e faltam equipamentos para medir pressão e até termômetros. Na última sexta-feira, 25 pessoas — o ex-chefe do Estado-Maior Administrativo, Ricardo Pacheco, o ex-diretor de Finanças, Kleber Martins, e o ex-gestor do Fundo de Saúde da PM, Décio Almeida — foram acusados de desviar R$ 16 milhões do Fundo Único de Saúde da PM, o Fuspom.
— Faltam compressas, seringas de 3ml e até receituário no Setor de Pronto Atendimento. Tem cirurgia sendo suspensa por escassez de alguns itens. A infraestrutura também é sucateada, há setores com gambiarras em ventiladores e aparelhos de ar-condicionado que não refrigeram. E já aconteceu de ter procedimento suspenso porque o elevador não funcionava.

"Searching the missing issue" Precisa procurar a causa do problema?


Sobre a 2ª parcela do 13º, tentaram negociar diretamente com o Bradesco empréstimo para quitar. Não conseguiram, acho que o Estado não tem como comprovar poder honrar este compromisso junto ao Banco. Dai, te orientaram pegar empréstimo consignado junto ao banco, não conseguiram, o Banco alega desconhecer assunto referente a isso.

"Searching the missing issue" Precisa procurar a causa do problema?

Movimento de servidores em agência do Bradesco em Sulacap 

Servidores do estado do Rio não estão conseguindo tomar o empréstimo nas agências do Bradesco, que serviria como pagamento da segunda parcela do 13º salário. Segundo os servidores, os gerentes informam que não há qualquer empréstimo disponível.

Um policial militar, que não quis se identificar, foi a uma agência em Sulacap, também na Zona Oeste, onde o gerente avisou a todos que o estado não cumpriu o acordo.

"Searching the missing issue" Precisa procurar a causa do problema?


PM, o seu problema vai além do atraso no pagamento do 13º. Mas, infelizmente só quando o assunto é dinheiro você vê motivação para se manifestar. Os BMs em 2011 conseguiram leva-los para as ruas com este apelo:


Para em seguida, com as prisões arbitrária e consequente exclusões, o PM se esconder e nem ao menos amparar os que se sacrificaram por uma causa. Os BMs com quatro centenas de presos e um efetivo inferior, arrecadava cerca de R$ 2.000,00 de ajuda para cada excluído. A PM, com efetivo bem maior, não conseguia arrecadar R$ 100,00 para uma dezena de excluídos.

Sinto muito PM, a origem deve ser atacada, não só os problemas que lhes afetam.
Enquanto isso, Executivo, Legislativo e Judiciário estão tocando um "ôda-se" geral e dando um "ôda-se" para você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário