quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

The Economist vê ‘desastre político e econômico’ no Brasil em 2016

Uma das principais publicações do segmento no mundo, a revista The Economist divulgou nesta quarta-feira (30) a capa de sua primeira edição de 2016, que tem como principal assunto o Brasil. Para a revista britânica, a “queda” brasileira irá se concretizar no ano que está para iniciar, justamente quando o país será a primeira nação sul-americana a sediar uma Olimpíada.


Os Jogos Olímpicos são, inclusive, mote para a primeira crítica da The Economist – uma vez que o país poderia corar a sua consolidação como emergente com o mega evento.  Para a publicação, Dilma Rousseff teve uma longa trajetória de erros políticos e econômicos que criaram um cenário muito sério, que por sua vez culminou com a saída de Joaquim Levy menos de um ano após assumir o Ministério da Fazenda.  
O cenário atual brasileiro é, para os investidores, pior do que o da Rússia, que para 2016 tem uma expectativa de encolhimento da economia em torno de 3%. “Apenas decisões difíceis podem trazer o Brasil de volta a seu caminho”, diz a Economist, defendendo reformas na Previdência e na legislação trabalhista.  
O escândalo de corrupção na maior empresa do país, a Petrobras, deflagrado pela Operação Lava Jato, é para o veículo o elo de ligação entre os erros políticos e econômicos. O clima, já negativo, ficou ainda mais hostil após as “trapalhadas” do PT e seus “aliados” – como, por exemplo, o PMDB, do vice Michel Temer, que enviou uma polêmica carta de desabafo à presidente recentemente.
Outra medida que denuncia a situação preocupante do país é a queda da nota de investimento por parte da agência Fitch, poucos meses depois da Standard & Poor’s fazer o mesmo. Para a Economist, os gastos de previdência no Brasil também são muito altos: 12% do PIB. “A fatia é maior do que a praticada no Japão, um país mais rico e mais velho.”
Um ponto positivo na análise da revista é o novo nome na Fazenda, Nelson Barbosa, pois  tem “poder de barganha e suporte político no PT”. Porém, caso Dilma não implemente mudanças necessárias para voltar a crescer, o cenário poderá ser de retrocesso. 
“A conquista do Brasil foi tirar dezenas de milhões de pessoas da pobreza. A recessão poderá paralisar ou mesmo reverter este processo”, diz a Economist, que admite não estar confiante quanto à eventual reação brasileira. “Neste momento, Dilma Rousseff não parece ter estômago.”

Não só desejar, que busquemos nossa Felicidade.


Desde minha mais tenra idade ouço os votos de “feliz ano novo”, sim ele vinha com algumas felicidades que nos era possível conquistar.


Aos poucos foi definhando e, embora tivéssemos a vontade de fazer a felicidade se tornar real, era cada vez mais um personagem de ficção.

Fomos omissos na busca por felicidade, deixamos nas mãos de pessoas que só buscaram sua própria “felicidade” às custas do sofrimento de muitos. Somos tão tolos, otários e burros que não conseguimos alcançar isso?


Retomemos as rédeas de nossa felicidade, os meios Deus já nos deu com este imenso, maravilhoso e rico País. Só nos resta estarmos atentos a quem delegamos competência para nos fazer feliz com estes recursos Divinos.



Então, certos que aprendemos a lição, eu e o Blog RVChudo desejamos um 2016 pleno em realizações, incluído sucesso profissional, saúde, segurança e paz social.


Ano novo, vida velha

O ano do grande Sérgio Moro, que provoca rostos em pânico no Congresso.

Arnaldo Jabor


O ano da mandioca, o ano do vento engarrafado, dos pastéis de vento, o ano da mulher sapiens, o ano da incompetência arrogante, o ano em que tudo o que era sólido desmanchou no ar, o ano em que a República ficou com dois poderes em luta — o Executivo chantageado por dois elementos suspeitos de crime no Legislativo —, o ano da “segunda vinda” do Cristo Bolívar, invadindo a América Latina pela janela da Venezuela (um malandro que até o Marx chamava de “personagem medíocre e grotesco”), o ano do bigode do Maduro e do Chávez virado em passarinho, cantando-lhe nos ouvidos, o ano do pixuleco, o ano das propinas, das gorjetas, dos mimos, dos brindes, dos óbolos, dos esbulhos, o ano dos recordes: nunca no mundo alguém tinha levado US$ 90 milhões de “cervejinha”, o ano da cumbuca, da mão grande, o ano em que vimos que o país está pior do que pensávamos, o ano do povo ou obeso ou faminto, o ano dos milhões de analfabetos e de eruditos burros nas universidades pregando stalinismo para jovens indefesos, ano dos heroicos tesoureiros presos, o ano do olho mortinho do Cerveró, da barriga do Ricardo Pessoa, do sorriso estoico do Marcelo Odebrecht, da barba de esquerda do Vaccari, o ano das manifestações abstratas, o ano dos bonecos flutuantes de Lula, Dilma e Cunha, o ano em que filhos e próximos amigos de Lula estão caindo enquanto ele pinta o cabelo de acaju, o ano dos cabelos lindos e brancos do Delcídio do Amaral e também o ano do cabelo negro do Lobão, esse perigoso elemento servo do Sarney, que roubou o nome da pobre cidade do Maranhão Ribeirãozinho e se autonomeou município, o ano do amigão Bumlai, que Lula renegará três vezes, como fez com Dirceu, o ano das negações, do nada, do “não sei”, do “jamais roubei”, o ano dos “guerreiros do povo brasileiro” em cana, o ano da carne enlatada na Suíça pelo Cunha, mercador de bois e vacas raladas e ano das provas que nada provam, o ano da mentira como verdade ou o contrário: a verdade é tão escrota que parece mentira, o ano das desculpas esfarrapadas, o ano do triunfo de um grande precursor: Maluf, o Criador que deu o salto qualitativo da escrotidão nacional, o ano da metáfora de lama caindo sobre o país, maior tragédia ecológica da nossa história, que derramou 62 milhões de metros cúbicos de bosta eterna (o que não deixa de ser mais um belo recorde nosso...), o ano do mosquito, o ano da saúde doente, o ano das prefeitas prostitutas, o ano do Lamborghini da Dinda que nos deu saudades do Fiat Elba — o calhambeque que expulsou o Collor —, o ano do ex-país do futuro e em que não conseguimos ser o país do presente, o ano da irresponsabilidade fiscal oficial, do PIB zero, das bicicletas e pedaladas, o ano da “nova matriz psicótica” que vem aí e que fará tudo ao contrário do que deveria ser feito, por pirraça ideológica e burrice, o ano da burrice que (não esqueçamos) é “uma força da natureza”, o ano da volta da pior estagflação que será um novo recorde (viva!) do risco Brasil crescendo e do crescimento caindo, o ano do auge da rejeição popular, o ano das desculpas do caixa 2, o ano do triste fim de Joaquim Levy, que foi convocado para Dilma fingir que o obedecia, o ano da ascensão do Nelson Barbosa, dono de uma nova ideologia: o “lulo-capitalismo” — com uma estrelinha vermelha no peito fingindo de “liberal”, o ano de um ajuste fiscal que jamais será feito porque os sindicatos preferem o desemprego dos operários a mexer em direitos dos pelegos, o ano do MST financiado pelo governo, o ano dos 39 ministérios, o ano da certezas teimosas, o ano do dólar disparado, fazendo-nos torcer para o país se fu#&* e o dólar subir mais, o ano em que o PMDB roubou a cartilha do PSDB e os tucanos ficaram sem projeto, o ano do grande Sérgio Moro, que provoca rostos em pânico no Congresso, caras de fuinhas, de furões com medo, de cangurus pálidos, de tamanduás trêmulos, uma exposição de bichos covardes, uma feira agropecuária ali na Câmara, usando palavras solenes: “Minha honra”, “aleivosias contra mim”, “minhas mãos limpas!”, todos querendo ostentar pureza, angelitude, candor, com palavras encobrindo o despudor, a secular engrenagem latrinária que funciona abaixo dos esgotos, abaixo dos cientistas políticos, o ano dos intestinos da pátria ao vivo, os aumentos de patrimônio, os carrões, os iates, as casas com piscinas em forma de vaginas, as surubas lobistas no Lago Sul, os “fins justificando os meios” — dólares dentro de maletas pretas com a estrela vermelha do PT, o ano das calúnias, injúrias e difamações, da euforia de advogados enriquecendo e das promessas a Jesus para proteger os congressistas salteadores, as mandingas, os despachos, as galinhas mortas na encruzilhada e as esposas histéricas não comidas e sem amor, o uísque caindo mal, as diarreias, as flatulências fétidas, os arrotos nervosos, os vômitos, o ano em que finalmente vemos a cara suja do Brasil, o ano do Temer com sua cara de mordomo de filme inglês de terror (apud ACM), em quem Dilma não confia, nem ninguém, o ano do cuspe, o ano da porrada na Câmara e nas esquinas, o ano dos palavrões, o ano da “merda” e da “puta que pariu”, o ano da inveja, o ano das bundas, das periguetes, dos nudes, o ano das selfies, o ano dos babacas, o ano da vaca louca, o ano da cachorra no ar, o ano da beira do abismo, o ano da cracolândia, e, principalmente, o ano do satânico dr. Cunha, a prova máxima da decadência pública, com a cara mostrando-lhe a alma e vice-versa, o ano da marcha a ré, o ano dos ladrões “revolucionários”, o ano das alianças sujas, o ano das ilusões perdidas, o ano do renascimento do Supremo Tribunal Federal , o único orgulho brasileiro, com a PF e o MPF bombando, o ano que vai começar mais uma vez e vai terminar mais uma vez daqui a um ano, deixando sempre a sensação de esperança fracassada, até que comece um novo ano trazendo novas expectativas sempre frustradas, até começar um novo ano.


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Um feliz ano novo?


Estava eu dando uma olhada no PLN 7/2015 (projeto de lei que determina o orçamento para o ano de 2016) e encontrei o incrível número de R$ 2.953.546.387.308,00 (dois trilhões, novecentos e cinquenta e três bilhões, quinhentos
e quarenta e seis milhões, trezentos e oitenta e sete mil e trezentos e oito reais).


Ou seja, o governo planeja gastar em 2016 quase TRÊS TRILHÕES DE REAIS. Se quiser saber detalhes sobre como essa montanha de dinheiro será gasta, recomendo ir direto para a página 19 do documento.


Já aviso que contato com a dura realidade de dispêndios do governo pode estragar seu dia. Ali está a comprovação de que o suado dinheiro fruto do nosso trabalho vai, em sua grande maioria, pelo ralo. Mas eu convido vocês a um exercício de reflexão a partir desse desgosto: quão melhor seria o nosso país se limitássemos os gastos governamentais a um certo número BEM restrito de funções básicas (segurança, administração da justiça, saúde e educação de base, assistência e seguridade social mínimas para quem realmente precisa...).
Eu estou de saco cheio de viver nesse Brasil que vende o almoço para comprar o jantar. Não quero pagar (e nem quero que os meus filhos, netos e bisnetos paguem) a conta da irresponsabilidade fiscal do PT. E não quero sofrer eternamente as consequências da falta de noção do legislador constituinte de 1988 que se deixou levar pelo espírito natalino e, em vez de redigir uma carta constitucional que estabelecesse os pilares fundamentais da nossa organização política, optou por redigir algo próximo de uma 'carta a Papai Noel', colocando no papel (que, como sabemos, aceita tudo) uma série de obrigações ao Estado brasileiro que se sabia serem impossíveis de garantir sem que antes criássemos as condições materiais para que o país deixasse de ser miseravelmente pobre (lembrando que temos o 76o maior PIB per capita do Mundo).
Vivemos hoje, na prática, o fracasso contundente do Estado de Bem-Estar Social orientado por políticas econômicas de matriz Keynesiana. É possível, sim, dar-se assistência aos mais pobres e mais necessitados, ampliando as oportunidades daqueles que não foram - como eu e muitos dos que leem estas linhas - beneficiados pela loteria do destino. Mas não precisamos de um Estado obeso, paquidérmico, gelatinoso e sedentário para prover a assistência necessária nestas áreas. Precisamos, sim, de um Estado ágil, eficiente, inteligente, ciente das suas limitações físicas, financeiras e até epistemológicas.
Mas não nos enganemos: este Estado não vai se reformar sozinho, por conta própria. Precisamos de gente boa atuando na batalha das ideias e na batalha política. Somente assim venceremos a guerra - que não é uma guerra entre Direita e Esquerda, mas sim entre o ESTADO e o INDIVÍDUO.
Que 2016 nos traga ainda mais vitórias pela liberdade!

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Quem é Achille Lollo? Pergunte ao PSOL

Bruno Pontes
Enquanto as vítimas do “escritor” na Itália sofrem, nossa esquerda festiva acolheu Cesare Battisti com todas as honras destinadas a um assassino a serviço da causa.
Em abril de 2007, quando Battisti estava preso nas dependências da Polícia Federal em Brasília*, uma comitiva de parlamentares foi prestar solidariedade ao “escritor” que matou quatro pessoas entre um livro e outro. Estiveram lá a ex-prefeita de Fortaleza Maria Luiza Fontenele, Fernando Gabeira, o deputado federal petista Luiz Couto, o comunista Evandro Milhomen e dois expoentes do PSOL: o deputado federal Chico Alencar e o senador José Nery, que estava um dia desses na tribuna lambendo as botas de Fidel Castro.
O que pouca gente sabe é que um dos fundadores do PSOL, o também italiano Achille Lollo (não sei como o partido o chama, talvez seja mais um “escritor” ou “intelectual” da turma), também matou pela causa, e matou crianças.
Em 1973, Lollo e dois colegas da organização Poder Operário derramaram gasolina por baixo da porta do apartamento onde morava Mario Mattei, um gari de 48 anos, a esposa e seis filhos. Mattei era secretário de um partido neofascista, o Movimento Social Italiano. Ele ficou encurralado pelas chamas e se jogou pela janela. A esposa conseguiu pegar os filhos pequenos de 9 e 4 anos e os levou para o andar de cima, onde foram socorridos pelos bombeiros. Outras duas filhas de 19 e 15 anos escaparam descendo de um balcão. Os últimos dois filhos ficaram presos no quarto. Morreram abraçados e carbonizados. Veja fotos digitando “Rogo di Primavalle” (incêndio de Primavelle) no Google Imagens.
Em 2006, estudantes de comunicação da Universidade de Brasília aproveitaram a passagem de Heloísa Helena, que foi lá pedir voto, e lhe perguntaram o seguinte: “a senhora e seus companheiros de partido têm sido criticados por serem colegas de Achille Lollo, que foi condenado por assassinato na Itália. Até onde é possível separar a vida pessoal da militância política de cada um, na opinião da senhora ?” Heloísa Helena não respondeu e ainda acusou os estudantes de chantagem. Claro!
Os militantes do PSOL estão entre os mais exaltados críticos da reação israelense contra o Hamas. Nos últimos dias, eles gritaram todo tipo de impropério contra os israelenses, incluindo a já tradicional acusações de genocídio. Esses socialistas libertários (uma contradição risível) estão mesmo muito preocupados com as criancinhas, não? Pois vamos perguntar a eles o que acham de Achille Lollo, o companheiro que ajudou a fundar o partido da galera mais bacana e consciente do Brasil. Tocar fogo nos filhos dos adversários políticos faz parte da luta? Eles não responderão, obviamente.



PSOL a pedidos, a moral superior de Freixo não é menos encantadora do que a de seu partido

Na origem do PSOL, um terrorista e assassino. Ou: Veja por que este homem expôs a moral fraturada de Marcelo Freixo. Ou: O queridinho da esquerda Moët & Chandon


Berg Nordestino: o nome que movimentou o debate eleitoral por citação no relatório da CPI das Milícias

O PSOL é realmente um partido encantador. Não por acaso, tem entre os seus fundadores o italiano Achile Lollo. Comprovadamente um terrorista. Comprovadamente um assassino. Jogou gasolina por baixo da porta da casa de um adversário político e meteu fogo. No imóvel, estavam um gari, sua mulher e seis filhos. Dois morreram queimados: Stefano, de 8 anos, e Virgilio, de 22. Tudo porque o socialista Lollo, que hoje mora no Rio, queria um mundo melhor, entenderam? Se, para isso, tinha de meter fogo em pessoas, por que não? No Brasil, ainda preocupado com o bem da humanidade, essa alma generosa resolveu fundar o PSOL. Que bom! Agora os socialistas ricos da cidade já têm em quem votar! Para saber mais sobre Lollo, clique aqui.

A gente vê que esse entendimento particular da Justiça é a raiz de uma decisão recente tomada pelo partido. Há a suspeita de que um candidato a vereador da legenda, chamado Berg Nordestino, seja próximo das milícias. Marcelo Freixo, que disputa a Prefeitura pelo partido, não teve dúvida: impoluto, pediu a expulsão de Nordestino. A ultraesquerda com renda superior a 10 salários mínimos de Ipanema, Leblon e Copacabana aplaudiu aliviada. Atenção! Contra o candidato não existe nada além de uma suspeita. Não existe nem sequer um inquérito. A candidatura de Nordestino foi mantida pelo TRE.
Muito bem! Sabe-se agora que o mesmo PSOL tinha como candidato a vereador ninguém menos do que um homem condenado pela Justiça, que está cumprindo pena em regime condicional: Valdinei Medina Machado da Silva. Sua candidatura foi cassada pela Justiça Eleitoral. No caso de Machado da Silva, a decisão de Freixo é outra: ele fica no partido.
A conclusão é uma só: Freixo não reconhece a “Justiça” burguesa como referência aceitável, entenderam? Um candidato sobre quem pesa não mais do que uma suspeita tem de ser expulso; um condenado, que cumpre pena, pode ficar. A moral superior de Freixo não é menos encantadora do que a de seu partido. Agora eu entendo por que a esquerda que bebe Moët & Chandon, enquanto debate a “poesia” de Chico Buarque, está com Freixo. É por seu impecável senso de Justiça. É uma decisão à altura de um partido que tem Achille Lolo entre seus fundadores.

Leia reportagem de Cecília Ritto, na VEJA.com.
 Rosenberg Alves do Nascimento, o Berg Nordestino, não é vingativo. Se fosse, poderia dizer que o castigo vem a cavalo. Como não guarda mágoa, prefere manifestar sua vergonha com o fato de ter sido execrado pelo PSOL, partido que escolheu para disputar a eleição para vereador no Rio de Janeiro. Berg é acusado de ter ligação com milicianos e, na semana passada, o candidato à prefeitura do PSOL, Marcelo Freixo, pediu a expulsão dele. A Justiça Eleitoral manteve o registro de Berg. Nesta quarta-feira, ao saber que o Tribunal Regional Eleitoral impugnou a candidatura de Valdinei Medina Machado da Silva,também candidato a vereador pelo PSOL, condenado por assalto a mão armada em 2006 Berg procurou o site de VEJA. E desabafou.
“Ele (Freixo) pediu a minha expulsão. Agora, vem à tona que existe um cidadão ficha-suja, por assalto a mão armada, candidato a vereador. E o candidato a prefeito vem dizer que não vai expulsar. O Dinei é o contrário de mim, que sou um ficha-limpa”, afirmou, decepcionado. Berg disse que usará as redes sociais para tratar do assunto. E, por enquanto, mantém o apoio a Marcelo Freixo. “Continuamos com as oito pessoas da minha campanha na rua: eu, minha esposa, filha, três irmãos e dois amigos”, disse.
Berg Nordestino foi o assunto da eleição na semana passada. Ele foi citado no relatório da CPI das Milícias, presidida por Freixo em 2008. Quando Freixo foi informado sobre a situação do candidato, afirmou que Berg seria expulso do partido por envolvimento com a milícia. Na segunda-feira, o juiz eleitoral Murilo Kieling manteve a candidatura de Berg. Nesta quarta-feira, o Radar On-line, do site de VEJA, mostrou que a Justiça Eleitoral impugnou a candidatura de Valdinei Medina Machado da Silva, também candidato a vereador pelo PSOL, condenado por assalto a mão armada em 2006 e que cumpre pena na condicional.
“Eu me sinto envergonhado. Isso é prejudicial para a campanha do candidato a prefeito (Freixo). Acredito que os outros candidatos do PSOL vão discordar de ter uma pessoa condenada dentro do partido”, afirmou Berg, apostando que a maré finalmente comece a mudar entre os colegas de legenda. Desde que a Justiça manteve a candidatura de Berg, o PSOL trata o tema com luvas.
Freixo informou que o PSOL já estava ciente da condenação de Dinei, mas que não esperava a impugnação da candidatura. E afirmou que Dinei continuará no partido, decisão diferente da tomada com Berg. “Passo a entender que há discriminação com o nordestino. O outro cidadão é condenado pela Justiça e continua no partido. A palavra certa para o caso é discriminação”, disse Berg.
Popularidade
O episódio com Berg rendeu a Marcelo Freixo alguns aborrecimentos. Mas, desde que o caso veio à tona, a candidatura cresceu: a pesquisa Datafolha divulgada na noite de terça-feira indicou que Freixo subiu de 13% para 18% das intenções de voto. Berg também ganhou fama. “Pode ter certeza: o assédio agora está grande demais. Três vezes maior do que antes. Hoje estava descendo a Avenida Maracanã e as pessoas diziam ‘É isso aí, Berg. Estamos com você’”, contou. O fenômeno Berg, por Berg: “Minha candidatura agora é vista como coisa séria. O ficha-suja é outro candidato. E querem por o ficha-limpa para fora?”, questiona.
O candidato recebeu na manhã desta quarta uma notificação da executiva nacional do PSOL. Ele tem 72 horas para apresentar sua defesa. Berg e os sete voluntários dedicaram a tarde a elaborar a argumentação. “Vou informar na minha defesa que o ficha-suja é o Dinei”, adiantou o candidato, resumindo sua linha de raciocínio. Domingo de manhã, o candidato vai à feira de São Cristóvão, onde há concentração de nordestinos, para dar uma resposta às acusações feitas contra ele.


segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

CARTA ABERTA AOS EXCELENTÍSSIMOS SENHORES GENERAIS

E agora, Excelentíssimos Senhores Generais?


A vida na caserna é repleta de jargões. Obviamente isso não ocorre
apenas no meio militar, mas em todo lugar que reúne uma classe de pessoas que labutam em prol de um objetivo comum. Isso contribui para criar afinidades e padrões de comportamento. Lembro-me dos momentos vividos no ambiente acadêmico (bons tempos aqueles!) e a linguagem própria do meio militar já se fazia corrente no nosso cotidiano. Estudar era “meter o gagá”, "cepar"; um assunto de relevância, com grande possibilidade de ser alvo de uma prova, era “bizu”; a luminária individual era “gagazeira”; desequilibrar emocionalmente era “aloprar”; e entre tantos outros jargões, o indivíduo que revelava medo ou temor era “encagaçado”; o destemido era denominado “mafrudo”; o indeciso ou mesmo omisso era “bundão”.

Na aurora da mocidade observávamos nossos superiores e, de acordo com suas atitudes diante das diversas situações, classificávamos cada um de “encagaçado”, “mafrudo” ou “bundão”.
Fazíamos dos “mafrudos” nosso espelho, ridicularizávamos os “encagaçados” e jamais desejaríamos ser, no futuro, como os “bundões”.



Já amadurecidos, percebemos que fomos cruéis nos julgamentos de nossos superiores. Por vezes pareciam ser o que representavam nossos jargões, entretanto o que percebíamos como medo, destemor ou indecisão era, na realidade, uma avaliação mais prudente levada a efeito por alguém que enxergava além do campo de visão da nossa impetuosa juventude.

Dentro dos rigores da disciplina, do elevado espírito de sacrifício, do permanente exercício de amor à Pátria, da obstinada manutenção de valores cívicos e morais nossa formação nos fez pessoas diferentes de muitos brasileiros que já exercitavam a famigerada “lei de Gerson”, pois, para estes, o que importava era levar vantagem em tudo.

Parece que os militares pouco a pouco permitiram que o processo de globalização (moral) invadisse os quartéis e começasse a destroçar os alicerces daqueles valores construídos e exercidos por tão valorosos personagens da nossa História.



Assistimos, impassivelmente, nossos vultos históricos serem substituídos por simples animais, nas nossas cédulas de dinheiro; assistimos à paulatina ocupação da Amazônia, por entidades estrangeiras, sob a égide de preservação do ambiente; permitimos que nossos índios se distinguissem como nação indígena e não como um segmento do miscigenado povo que forma a nação brasileira; indiferentes, vimos a proliferação de ONG’s que se agigantam ocupando o lugar do poder público, desviando recursos com finalidades duvidosas; admitimos participar de missões de paz na Nicarágua, em Angola, no Haiti e outras partes do mundo, enquanto a verdadeira guerra se desenrola dentro de nosso próprio território, com indiscutível vitória do poder paralelo que rasga leis e normas, usufrui de direitos brandindo armas sofisticadas, matando, roubando e impondo suas esdrúxulas condições à sociedade indefesa; assistimos jovens, ainda com cheiro de fraldas, instigados pela oposição, hoje no poder, a depor um presidente que fez o mundo ver que existia um Brasil e assumiu responsabilidades porque não deu a si o direito de dizer “eu não sabia, eu não sei de nada”... Ah! E os generais? Onde estavam os guardiões desta terra enquanto tudo isso acontecia? Tenho a impressão que já estavam globalizados, corrompidos pelo frenesi do poder, incapazes de se divorciarem da luxúria.



Agora sim, amadurecidos, com o olhar alcançando o que nossa juventude não permitia alcançar e conhecendo o significado de prudência, vemos que existe uma tênue linha que delimita a fronteira entre a disciplina e a covardia, então podemos classificar melhor nossos generais e ver que, embora em outra escala, ainda existem “encagaçados”, “mafrudos” e “bundões”.



Onde estão nossos valter Pires, leônidas gonçalves, thaumaturgos soteros, pedrozos, helenos e outros poucos “mafrudos”? Esses manifestavam seus pensamentos, colocando os interesses do País acima de seus próprios interesses e vários deles foram sumariamente afastados e lançados ao ostracismo. Sei muito bem do que estou falando porque fui duas vezes alvo de punição por apontar falhas, erros e falar o que não se desejava ouvir. Muitos daqueles que agiram de forma omissa ou indiferente continuam na pauta de promoções e designação de cargos importantes, porque calados eles não atrapalham.



Assim, o poder corrupto anestesia o cão de guarda da Nação e este não vê que o povo ficou cognitivamente indefeso e que os programas sociais são equivocados:

– O Programa Bolsa-família tem a finalidade de tirar a criança do trabalho para que ela possa estudar e ser cidadão melhor sucedido que o seu genitor, mas como não se fiscaliza a presença da criança na escola e nem se melhora o ensino básico, essa criança será um adulto igual ou pior que o seu genitor – mas dá voto;

– O Pro-Uni permite que o cidadão faça estudo de nível superior em entidade privada, com subsídio federal, porque é mais fácil o ingresso nessa entidade do que numa universidade federal onde o cidadão, por falta de conhecimento básico, não tem capacidade de ingressar, então, o governo, em lugar de investir no fortalecimento da base de conhecimento, facilita a formação de um profissional sem requisitos mínimos que, com raríssimas exceções, será um profissional de competência duvidosa, daí nosso inexpressivo índice na área de pesquisas e patentes – mas dá voto.

No último pleito eleitoral para Presidente da República, assistimos à tolerância de todos os poderes constituídos – visivelmente corrompidos – ao emprego da “máquina do governo” na maior campanha eleitoral (repleta de atos ilícitos) da história do nosso País.

Dia 31 de outubro de 2010, um dia triste para aqueles que viram seus esposos, filhos, pais, parentes e amigos tombarem sem vida em defesa da democracia e hoje assistem a seus algozes desfrutarem do sabor da vitória. Vem por aí uma série de leis, normas, cartilhas, projetos e mais o que valha, para usurpar o que muito cidadão demorou a vida inteira para construir, tudo em nome da distribuição de renda e justiça social.

Convém frisar que, a partir de 1º de janeiro do próximo ano, a Presidenta(?) eleita governará nosso País com uma inédita maioria no Congresso Nacional e estarão em pauta direitos humanos, propriedade privada (rural – propriedade máxima de mil hectares e urbana – não deverá haver imóvel desabitado), reforma previdenciária profunda e outras ações que possam retirar do cidadão suadas conquistas do passado.
Tudo isso poderia ter sido evitado se, na sua maioria, os guardiões da Pátria não tivessem poupado suas manifestações que, sabiamente, seriam bem argumentadas.


E agora, Excelentíssimos Senhores Generais, vão se espelhar nos “mafrudos” ou continuar perfilados entre os “bundões”?



Emidio Alves Filho – TCel R1 Cav
Campo Grande-MS, 31 de outubro de 2010


Esta carta já tem cinco anos, mas ainda é atual em situação pior


BRASIL...! Acima de tudo...!!!

E AGORA SENHORES GENERAIS?

O GENERAL DO EXÉRCITO BRASILEIRO EDUARDO DIAS VILLAS BÔAS DISSE RECENTEMENTE QUE CONFIAVA NAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS DO PAÍS E QUE AS FORÇAS ARMADAS RESPEITAVAM A CONSTITUIÇÃO E O SEU PAPEL COMO UMA FORÇA DE SUSTENTAÇÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. O STF RASGOU A CONSTITUIÇÃO E PASSOU POR CIMA DAS LEIS. E AGORA SENHORES GENERAIS?
As principais manchetes dos jornais, sites, blogs e revistas comentam os últimos acontecimentos no Brasil que envolvem a jogada decisiva do STF em condenar o país ao julgamento de um bandido do Senado Federal. Simplesmente o STF ignorou as normas da Câmara dos Deputados Federais que estão prescritas na Constituição. Rasgaram a Constituição do país em defesa do Crime Organizado, em nome das quadrilhas que dilapidam o país e que envergonham nossa Nação diante do mundo.
O STF demonstrou que a Constituição não serve aos propósitos do PT. Magistrados simplesmente anularam a Comissão composta pela Câmara dos Deputados e jogaram nas mãos do bandido Renan Calheiros, a decisão de condenar o país à um destino incerto e sombrio. O PT nunca teve um projeto para o país. Seu objetivo maior é o poder, permanecer no poder e institucionalizar o regime socialista através de uma Constituinte para nunca mais sair do poder.
Lula o vigarista e bandido que roubou a nação, continua livre, sendo blindado pelo STF e protegido pelo Procurador Geral da República. Não obstante, Lula vem coagindo e pressionando testemunhas, delegados, juízes e políticos. Foi Lula que mandou seu Ministro da Justiça, o pau mandado José Eduardo Cardozo, à pressionar e coagir delegados federais responsáveis pelas Operações Zelotes e Lava Jato.
O Objetivo da missão do Ministro corrupto é o de "melar" as Operações da Polícia Federal no âmbito das investigações e livrar a cara de empresários, políticos e principalmente de Lula e de Dilma Rousseff. E é justamente isso, o que vem ocorrendo. O STF tem emitido vários Habeas Corpus liberando da cadeia todos os envolvidos na Máfia da Lava Jato. Apenas os desafetos do PT estão presos para não atrapalharem o golpe do PT, pois incutem uma ameaça a Organização Criminosa que age impunemente nos três poderes. Justamente por isso estão presos e afastados da sociedade. Um exemplo disso é a prisão preventiva de Delcídio do Amaral que comprometeu todo o STF e ameaçou entregar Lula e Dilma.
Nenhum político do PT está na cadeia em razão da Lava Jato. Até José Genoíno foi perdoado pelos seus crimes no "Mensalão do Lula", e já goza de liberdade. Tudo é tratado sob sigilo quando está nas mãos do STF ou da Procuradoria Geral. Ninguém da imprensa ou do povo têm acesso aos depoimentos dos envolvidos nos crimes de corrupção. O que estão escondendo do povo? Porque Lula, um bandido safado e chefe de quadrilha tem "foro privilegiado", quando qualquer brasileiro comum não tem "foro algum" quando vai depor em uma delegacia? O que esta Justiça corrupta está querendo esconder do povo contribuinte, do cidadão que trabalha duro para sustentar essa máfia de togados, de procuradores covardes e de políticos corruptos? Até os senhores militares, somos nós que sustentamos com o pagamento de impostos extorsivos. A autonomia da Câmara foi derrubada por um partido comunista, o PC do B. E agora Senhores Generais?
E os senhores, senhores Generais??? Que instituições democráticas os senhores defendem? Por acaso os senhores estão defendendo as instituições que desrespeitam a Constituição? Por acaso os senhores estão resguardado a Pátria do povo e entregando-a aos bandidos? Me digam senhores Generais, homens íntegros e respeitadores da Lei. Em trinta anos qual foi o político ou o partido que tenha sido condenado pelo STF por corrupção ou crime político? Respondam!!! Nenhum digo eu... Nenhum político está preso por corrupção e nenhum partido foi condenado. E sabe por que senhores Generais? Porque as Instituições que os senhores defendem, simplesmente defendem o crime político, defendem bandidos mascarados de parlamentares, defendem facções criminosas que os senhores sabem, são responsáveis por diversos crimes conta a Pátria. E porque os senhores não fazem nada?
Segundo O General Villas Bôas, as Forças Armadas devem obediência à presidente da República, que é a “comandante-em-chefe” dos militares. Quer dizer então que uma bandida criminosa, envolvida em golpes na Petrobras, em golpes de Lesa Pátria e beneficiadora de propinas dilapidada de várias estatais é quem comanda as Forças Armadas? Me façam rir senhores Generais? Uma bandida comandando o Exército de Caxias?
Por muito menos os senhores caçaram Jango e a bandidagem comunista nos anos 60. Me façam rir senhores Generais? O Brasil é visto lá fora como a Pátria mais corrupta do mundo senhores Generais. A culpa disso senhores Generais, são das três instituições públicas que fazem parte do poder que os senhores defendem. O Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Quer dizer que os senhores acreditam nos bandidos e nas instituições criminosas e o povo e a honra do país que se danem? Me façam rir senhores Generais, pois já não há mais lágrimas de vergonha para serem derramadas por mim e pelo povo traído e sacaneado.
E agora senhores Generais? Os senhores continuarão defendendo a Constituição do Crime Organizado ou irão defender a Constituição do Brasil? Irão defender o povo que paga seus salários ou defenderão os bandidos que vos humilham, que denigrem a imagem de vossas Forças Armadas, que derrubam bustos militares e condenam vossos patriotas do passado nas comissões arbitrárias? De que lado os senhores estão, senhores Generais? Do lado do povo trabalhador e cumpridor de seus deveres, ou estão do lado dos vagabundos e safados que descumprem as Leis, que roubam o país e que subtraem a dignidade do povo brasileiro? De que lado os senhores estão? Estão do lado da Pátria Livre ou da Pátria Grande do PT?
Me façam rir senhores Generais e façam rir também, toda uma plateia de 200 milhões de enganados, 200 milhões de vítimas de golpes e traição. Pois já não há nenhuma lágrima de vergonha e de dor para ser derramada.

Fonte: rdnews

Não é só pelo 13º, é pela eliminação de toda classe política atual.

Na “crise” montada na saúde do Rio de Janeiro está o prosseguimento do que há anos acontece camufladamente na rede federal, eliminação dos que mais necessitam de atendimento. Idosos, doentes, deficientes e pessoas de baixa renda são os que mais sentem a suposta crise. Todos “oneram” o sistema.


Claro, além da “eliminação de custos”, motivação para mais verbas através da CPMF. Lembram que Dilma pediu apoio dos governadores para que seja aprovada?
Link: Novo Perfil

OS foram criadas para administrar a saúde do Rio de Janeiro, mas o pinga pinga de verbas, o superfaturamento e desvios não foram interrompidos, só foram maquiados servindo para as mesmas finalidades que antes; enriquecer políticos.

Adriana Ancelmo Cabral, esposa do governador descendo do helicóptero do Estado, com as babás e as crianças como podem ver nas fotos abaixo:
Imagens de 2011



Cabral em Paris com Cavendish e quadrilha. "Paris é uma festa"




Como os federais, os deputados do Rio de Janeiro assistiram a tudo calados nos últimos oito anos, período em que o Estado foi governado por Sergio Cabral (PMDB), um partido com os mesmos interesses PTistas.
A situação que já não era boa se agravou. Não por falta de verbas, mas por ingerência e roubalheira.


Pezão vem descaradamente a público declarar estado de emergência na saúde, abreviando o caminho para mais verbas para os cofres do Estado e, aparentemente nada mudou. A presidente Dilma colocou o seu também falido sistema de saúde à disposição da população do Rio de Janeiro, um chamado a morte.

Uma pessoa procurou o hospital Getúlio Vargas na Penha, teve atendimento recusado sob alegação de só atender os com risco de morte, pronto, o senhor morreu ainda na porta do hospital com um infarto fulminante.

Outra imagem difundida nas redes sociais mostra uma mãe tendo seu filho na calçada da rua após liberada pelo hospital. A criança nasceu mas esta com infecção por ter sido exposta ao ambiente insalubre (calçada), onde animais fazem suas necessidades, inclusive animais humanos.


Tal qual nos filmes sobre o holocausto, pacientes se amontoam nos corredores esperando a morte. Nas enfermarias convivem com o calor e falta de alimentos, itens que parentes tem de providenciar.


O mosquito Aedes Aegypti se fortalece, doenças consideradas eliminadas voltam com nova força.

A incidência de coqueluche aumentou dez vezes em apenas três anos, casos de caxumba têm se tornado mais frequentes em Estados como São Paulo e Rio e um surto de sarampo acaba de atingir o Nordeste - o Brasil estava havia 12 anos livre da transmissão interna do vírus.
Link: noticias

Me dirão: “é a crise” Não, não é! É eliminação de custos, custos com os que mais precisam de saúde que não resistirão ao ataque da pior das pragas; PT, PMDB e demais correlatos (todos) chamados de partidos políticos.

Ministério Público atenção! Não é Estado de Emergência, é CRIME de homicídio contra o Povo do Brasil inteiro. Aliás, é LATROCINIO! A morte é em decorrência do roubo de verbas públicas.

Afinal, obras para as Olimpíadas não param, assim como as da Copa seguiram apesar de todas as denuncias na época.

Cumprimentos aos oficiais generais – Presidente DILMA – Comentários do Coronel R.Paiva

Discurso da Presidente da República, Dilma Rousseff, durante cerimônia de cumprimentos aos oficiais-generais.



COMENTÁRIOS “AZUL” DE PAULO R. R. PAIVA
Discurso em Brasília/DF – 16 Dezembro 2015.

Boa tarde a todos,
Eu queria iniciar cumprimentando o vice-presidente da República, Michel Temer, e o Ministro da Defesa, Aldo Rebelo, e a senhora Rita de Cássia Rebelo. 
Aproveitar e dizer que, de fato, esse é um momento especial nas nossas cerimônias de cumprimento aos oficiais-generais e almoço de confraternização, uma vez que aqui nós vemos que é reconhecida a presença das senhoras, das mulheres dos oficiais-generais do nosso País.
Isso é muito importante porque se trata de um reconhecimento ao papel que, não só no Exército, na Marinha e na Aeronáutica, mas sobretudo aí a mulher desempenha, tanto como companheira, amiga, apoiadora, esposa, mas também, e agora cada vez mais, como integrante das Forças Armadas. Então, eu acredito que, de fato, essa é uma comemoração especial.
Queria cumprimentar os comandantes militares:
– o General-do-Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, do Exército Brasileiro, e a senhora Maria Aparecida Villas Bôas;
– o Almirante-de-Esquadra Eduardo Bacellar Leal Ferreira, da Marinha do Brasil, e a senhora Cristiane Prisco Leal Ferreira, e  o,
– Tenente-Brigadeiro-do-ar, Nivaldo Luiz Rossato, da Força Aérea Brasileira, e a senhora Rosa Marlene Rossato.
Cumprimentar o Tenente-Brigadeiro-do-ar Carlos Moretti Bermudez, chefe interino do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, e a senhora Eliana Ferreira Bermudez;
– o General-de-Exército Joaquim Silva e Luna, secretário-geral do Ministério da Defesa, e a senhora Nadeja Luna;
– o General-de-Divisão Marcos Antônio Amaro,  chefe da Casa Militar da Presidência da República; os senhores oficiais-generais da Marinha, do Exército e da Aeronáutica e os oficiais-generais hoje aqui promovidos.
Dirigir um cumprimento muito especial às suas famílias, às senhoras e senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.
 “RAPAPÉS” INICIAIS EXTENSOS E CANSATIVOS, DE QUEM DESCONFIA QUE ESTÁ PISANDO EM OVOS, MESMO COM A OPINIÃO TORNADA PÚBLICA, POR ALGUNS MEMBROS DO SEU PARTIDO, DE QUE SE TRATA DE UMA ÁREA QUE JÁ FOI PACIFICADA.

Senhoras e senhores,
É com grande satisfação que eu recebo os oficiais-generais promovidos em 2015. Congratulo-me com os senhores pela promoção, felicitando também os cônjuges, os filhos, todos os familiares, que eu tenho certeza, cujo apoio foi, certamente, fundamental para esta vitória.


CÔNJUGUES, FILHOS E FAMILIARES … SERÁ QUE ESTA SENHORA AINDA SE LEMBRA DAQUELES FAMILIARES DOS COMBATENTES VETERANOS QUE FORAM VENCEDORES NA LUTA CONTRA OS TERRORISTAS DA “GUERRA SUJA” NAS DÉCADAS DE 1960/1970, QUANDO ELA MESMA INTEGROU, EM ÉPOCAS DISTINTAS, MAIS DE UMA ORGANIZAÇÃO SUBVERSIVA, PARTICIPANDO DE “RAIDS” ENSANDECIDOS QUE OBRIGAVAM MILITARES, ALGUNS CHEFES DE  FAMÍLIA, A SAÍREM DO ACONCHEGO DOS SEUS  LARES NA CALADA DA NOITE PARA A INSEGURANÇA DE UMA LUTA INSANA?

O ingresso dos senhores oficiais-generais, que foram hoje promovidos a generais no seleto círculo desses oficiais das Forças Armadas, é sinônimo de reconhecimento e também das mais elevadas responsabilidades. Assim como a promoção dentro desse seleto círculo é também, sem sombra de dúvida, um momento especial de reconhecimento do profissionalismo e da meritocracia que impera nas nossas Forças Armadas.

E POR FALAR EM “MERITOCRACIA”, SERÁ QUE O “PARENTE” DAQUELA SENADORA PELO PT FOI MESMO CONFIRMADO PARA O EXERCÍCIO DE MISSÃO NO EXTERIOR? NÃO EXISTIRIA NAS FFAA ARMADAS UM ÚNICO OFICIAL DO QAO MAIS MERECECEDOR?

Reconhecimento pelos grandes sacrifícios exigidos pela carreira militar para a qual os senhores entraram cedo, e ao longo da qual mantiveram fortes o espírito de abnegação e o patriotismo. Quanto às responsabilidades à frente de suas novas funções, a experiência e a sabedoria acumuladas ao longo de suas carreiras lhes permitirão encarar, com sucesso, os desafios que enfrentarão a partir de agora e que são essenciais para o nosso País, para afirmação da nossa nacionalidade e para a defesa da nossa Pátria.

OS SACRIFÍCIOS EXIGIDOS PARECEM ESTAR EM “BANHO MARIA”, QUE SE DIGA: A PERSEGUIÇÃO SEM TRÉGUA, RACIONAL, SEM DESVIOS DE RUMO DE UMA REAL E PALPÁVEL CAPACIDADE DE DISSUASÃO EXTRA REGIONAL; A REVERSÃO DEFINITIVA DE UM PROCESSO,  CRESCENTE E DESENFREADO,  DE SEPARATISMO INDÍGENA E  QUILOMBOLA; O REPÚDIO IMEDIATO DAS HUMILHAÇÕES DAS FA, DE QUE SÃO USEIRAS E VEZEIRAS TANTO A  GOVERNANÇA REVANCHISTA COMO A POLITICALHA PROPINADA, TODAS ESTAS AÇÕES/REAÇÕES ESTÃO EM COMPASSO DE ESPERA, NÃO SE PERCEBENDO NENHUMA VONTADE POLÍTICA EM TORNÁ-LAS EFETIVAS/EFICAZES.
 
O Brasil, sem sombra de dúvida, conta com seu comprometimento. Estou certa de que os senhores serão exemplo e fonte de inspiração para as mulheres e os homens que comandarão.

COMPROMETIMENTO COM O QUE? COM A DERROCADA DO PAÍS NOS CAMPOS POLÍTICO, ECONÔMICO, SOCIAL E MILITAR, ENCABEÇADA/CONDUZIDA PELO SEU GOVERNO PETISTA?

Desejo-lhes muito sucesso em suas missões. Confio que, sob sua liderança, nossas Forças Armadas continuarão decisivas para a construção de um Brasil mais seguro, mais forte, mais justo e democrático.

MAIS SEGURO E MAIS FORTE…PARA TANTO É PRECISO POSICIONAMENTO DE PRESSÃO CONSTANTE JUNTO AOS GOVERNOS QUE SE SUCEDEM NO SENTIDO DE REVERTER O ESTADO DE SUBMISSÃO A ACORDOS/AJUSTES QUE IMPEDEM O PAÍS DE ADQUIRIR PODER DE DISSUASÃO COMPATÍVEL, DE MOLDE A NEUTRALIZAR A AMEAÇA CONSTANTE DOS “GRANDES PREDADORES MILITARES”. JÁ MAIS JUSTO E DEMOCRÁTICO… NÃO DEPENDE DA LIDERANÇA DOS CHEFES MILITARES, MAS DA AÇÃO DE GOVERNO NAS ÁREAS DA SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA.

Senhoras e senhores oficiais-generais,
A história de nosso País sempre se confundiu e confunde-se com a história das Forças Armadas. O Ministro Aldo Rebelo tem uma importância na sua recuperação histórica dessa questão porque o nosso país afirma pouco esta historia. Quando nós olhamos para a América espanhola, nós vemos que a América espanhola se dividiu em pequenos países espalhados por um imenso continente. Neste continente restou um país com uma única língua, com uma imensa capacidade de convívio com a diversidade e a diferença.


“O Ministro Aldo Rebelo tem uma importância na sua recuperação histórica dessa questão porque o nosso país afirma pouco esta historia.” A CONSTRUÇÃO DA FRASE É SIMPLESMENTE “DE LASCAR”. QUANTO À IMPORTÂNCIA DO ATUAL MINISTRO DA DEFESA NA RECUPERAÇÃO DA HISTÓRIA  DAS FFAA (FRANCAMENTE EU NÃO ESTOU ACREDITANDO NO QUE ESTOU A LER), SEU PARTIDO O “PC DO B”, CONTUMAZ DETRATOR DE NOSSOS FATOS HISTÓRICOS, ASSIM COMO TODOS OS DEMAIS PARTIDOS DE ESQUERDA, NÃO DEVE FAZER MUITA FÉ  NEM DESEJAR ESTA DETERMINAÇÃO POR PARTE  DO ATUAL TITULAR DA PASTA.

Construiu esse espaço territorial, a alma dessa nação, homens e mulheres. Dentre os homens e mulheres, sem sombra de dúvida avulta a Forças Armadas do nosso país, daí a importância da história para as novas gerações. Para todos aqueles que têm de entender porque nós aqui nessa região do mundo nos mantemos como um país de 200 milhões, mais de 200 milhões de pessoas, e um imenso território.

UMA REALIDADE EM DEFENESTRAÇÃO ACELERADA. A ADOÇÃO DO ATUAL SISTEMA DE COTAS, QUE INSTITUCIONALIZOU O “APARTHEID” NO SEIO DA NAÇÃO, QUE O DIGA…

Os patronos desse processo, o Marquês de Tamandaré, Duque de Caxias e Santos Dumont, Floriano, nós temos de ter certeza que memória de cada um deles deve nos remeter aos ideais de paz, liberdade, união, coragem e inventividade, tem de se transformar em exemplos para o nosso País, porque guardam de uma forma bastante exemplar os valores da coragem e do interesse do País acima dos interesses pessoais.

ESTÃO SENDO “GARFADOS”, COM SUA OBRA SENDO DESMANTELADA POR UMA MUITO BEM URDIDA ESTRATÉGIA “GRAMSCISTA” DE TOMADA DO PODER, AO QUE PARECE, SE AINDA NÃO PERCEBIDA, MUITO BEM ASSIMILADA POR QUEM DEVERIA NEUTRALIZÁ-LA ATRAVÉS DOS SEUS “CENTROS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL”, JÁ FAZ BASTANTE TEMPO, MEROS ARAUTOS DE QUINQUILHARIAS INFORMATIVAS.

Hoje, nossa República vive uma fase democrática e soberana, em que estão consolidadas as fronteiras nacionais e firmado o pacifismo como princípio constitucional.

SÓMENTE ACREDITAM NISTO OS INGÊNUOS DE CARTEIRINHA. E OLHA QUE TEM GENTE GRAÚDA QUE BOTA FÉ E APREGOA ESTA INVERDADE “ALTO E BOM SOM”. ENFIM, DURMA-SE COM UM BARULHO DESSES!
  
Nossa Política Nacional de Defesa, formulada e constantemente atualizada de forma transparente e aberta, estabelece a direção, o norte para a formulação das estratégias de proteção da nossa soberania. A Estratégia Nacional de Defesa consagrou a relação indissociável entre defesa e desenvolvimento. Entre a afirmação do Brasil no mundo e a preservação interna dos nossos valores.



TANTO A “PND” QUANTO A “END” ESTÃO NA CONTRAMÃO DO QUE SE ESPERAVA DELAS. QUEM DESEJAR APROFUNDAR O ASSUNTO PODE COMPULSAR AS MATÉRIAS/ARTIGOS DE AUTORIA DO GENERAL ROCHA PAIVA.

Nesta quadra histórica que vivemos, persiste necessário prosseguir com a valorização funcional da carreira militar. Essa valorização é necessária e justa em face do sacrifício exigido pela carreira, e eu me comprometo a dar sequência a esse processo, que sempre nos atraiu a atenção e a preocupação.

ACREDITE QUEM QUISER! JÁ VAI PARA O SEGUNDO MANDATO “E O SALARIO … ÓH!” COM A PALAVRA OS NOSSOS CAPITÃES, TENENTES E GRADUADOS QUE, QUANDO NÃO DISPOEM DE “PNR”, SÃO OBRIGADOS A CONVIVER COM A MARGINALIDADE NAS PERIFERIAS!

Reitero também que o Brasil precisa dos projetos estratégicos que estão em desenvolvimento nas Forças Armadas. Meu governo compreende a importância de desenvolvermos a base industrial de defesa brasileira e de nos capacitarmos tecnologicamente em áreas estratégicas.

EM DESENVOLVIMENTO!? ESTÃO, SIM, MAS EM “PASSO DE TARTARUGA”, SE NÃO PARADOS, SE BEM QUE NENHUMA DAS PROJEÇÕES IMAGINADAS TEM A CAPACIDADE DE, EM CURTO OU MÉDIO PRAZOS, FORNECER AQUILO QUE SE ESPERA DELAS, QUAL SEJA UM PODER DE DISSUASÃO IMEDIATO CONTRA AS AMEAÇAS DE “GRANDES E NOTÓRIOS PREDADORES MILITARES”.
  
Mesmo num momento de reequilíbrio fiscal, precisamos olhar sempre que as revisões de prazos e as adaptações não podem interromper um processo, que as Forças Armadas com diligência e flexibilidade têm levado à cabo. Reconheço esse esforço e asseguro que os projetos prioritários não serão comprometidos. Afinal, face aos imperativos de defesa do século XXI, não podemos abdicar do pleno desenvolvimento de nossos setores nuclear, cibernético e aeroespacial.


QUAIS SÃO OS PROJETOS PRIORITÁRIOS? O DO SUBMARINO NUCLEAR  “BANGUELA”? NÃO SERIA MELHOR “8” AO INVÉS DE “4” SUBMARINOS CONVENCIONAIS, MAS TODOS ELES LANÇANDO MÍSSEIS NA SITUAÇÃO DE SUBMERSOS?

Mesmo o Brasil sendo reconhecido em muitas áreas como um soft power, ele pode ser um poder suave, mas para ser suave, ele tem de ser um poder.

QUANTA VERBORRAGIA INÚTIL, MEU DEUS DO CÉU! ACHO QUE VOU TER UM TROÇO!

Daí porque o Programa Nuclear da Marinha e o Programa de Desenvolvimento de Submarinos, o PROSUB, avançaram muito durante o meu governo. Em ARAMAR e em Itaguaí, etapas importantes da execução desses projetos foram concluídas e, apesar da redução de ritmo, consagraremos nossa condição de país autônomo em termos de domínio da tecnologia nuclear e dotado dos meios apropriados para a dissuasão em nossas águas jurisdicionais.

EXISTEM OFICIAIS DE NOSSA MARINHA QUE NÃO CONCORDAM QUANTO  A SE TER ALCANÇADO ESTE AVANÇO NESSE PROGRAMA. MAS, SE A AUTONOMIA FOR SÓ PARA CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS NUCLEARES “DESDENTADOS”, NÃO SERIA MELHOR, AO INVÉS DO ESTALEIRO PERTINENTE, SE CONTAR COM UMA “CLÍNICA DENTÁRIA” PARA SUBMERGÍVEIS QUE ESTÃO MUITO MAIS PARA FUGITIVOS “PAPALÉGUAS” DO QUE PROPRIAMENTE PARA LOBOS MARINHOS?

O projeto-piloto do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras, o SISFRON, que está centrado em Dourados, no Mato Grosso do Sul, atingiu já 64% de sua execução em 2015. Com o desenvolvimento deste e de projetos como o blindado Guarani, que tem 90% de conteúdo local, nacional, iremos fortalecer a presença e a capacidade de ação do Estado na faixa de fronteira e a indústria nacional de defesa.

HÁ QUEM DIGA QUE O “PROJETO SISFRONILDO” SÓ VAI ESTAR EM CONDIÇÕES NO ANO DE 2030. SERÍAMOS ALÇADOS ENTÃO  COMO A MAIOR POTENCIA MUNDIAL EM TERMOS DE VIGILÂNCIA DE FRONTEIRAS… MINHA GENTE, SOMENTE VIGIAR NÃO DISSUADE EM NADA! AH!  O GUARANI, “2044” VIATURAS BLINDADAS DE TRANSPORTE DE PESSAL/VBTP QUE NÃO TÊM NENHUMA SERVENTIA NAS AMAZÔNIAS VERDE E AZUL, COMO SE OS “GRANDES PREDADORES MILITARES” ESTIVESSEM AMEAÇANDO O NOSSO CENTRO-SUL. MEU DEUS! MAS NINGUÉM PENSA NO “PROJETO VETOR DE RESPEITO-1500”, SIM NAQUELE QUE IRIA BATER A ARMADA DE UMA COALIZÃO, SÓ QUE BEM DISTANTE DA FOZ DO AMAZONAS OU DA BACIA DO PRÉ-SAL!
 

O Projeto Estratégico F-X2, cuja assinatura do contrato financeiro comemoramos recentemente, dotará o Brasil de um caça supersônico de última geração. Sua execução propiciará ampla transferência de tecnologia e geração de milhares de empregos no setor aeroespacial.

Por enquanto só temos isso, F-5 comprado usado na década de 70.

QUEM SABE, UM PILOTO DA FAB POSSA NOS ADIANTAR ALGUMA COISA SOBRE A QUANTAS ANDA ESTE PROJETO? AFINAL DE CONTAS, O CAÇA “SUKOI” NÃO É O DE MELHOR PERFORMANCE? A AUTONOMIA DO “GRIPEN” É COMPATÍVEL COM O GIGANTISMO DO TERRITÓRIO NACIONAL? APENAS “36” CAÇAS, HÁ QUEM DIGA QUE SÓ UM PORTA AVIÕES DA 4ª FROTA EXCEDE ESTA QUANTIDADE. MAS NÃO TEMOS DINHEIRO! SIM, TEMOS, MAS TÃO SOMENTE PARA PAGAR O AUMENTO NA FOLHA DOS NOSSOS “HONESTOS” POLÍTICOS…
 
Cito, também, o Projeto KC-390, o maior avião já fabricado no Brasil. Com concepção e desenvolvimento 100% nacionais, este projeto está promovendo uma teia de promissoras relações com a indústria brasileira nas vertentes econômica, social, tecnológica e institucional.

SEM ADENDOS

Não somente este, mas outros projetos, na medida que reconhecemos que o papel das Forças Armadas internacionalmente nos países desenvolvidos, tem sido um fator extremamente relevante na expansão, criação e difusão de tecnologia. A indústria de defesa em todos os países desenvolvidos do mundo ocupa um papel essencial na necessidade que esses diferentes países tem de se modernizar e se apropriar dos últimos conhecimentos.

O RECONHECIMENTO, QUE É APENAS DA BOCA PARA FORA, NÃO É PROPORCIONAL COM OS INVESTIMENTOS, E ISTO QUE EM MATÉRIA DE DEFESA, NADA MAIS VERDADEIRO, “A ECONOMIA É A BASE DA PORCARIA”!
 
Ao mesmo tempo, é muito importante o papel das Forças Armadas, tanto no que se refere à garantia da lei e da ordem, não só nos grandes eventos, mas em momentos bastante decisivos para afirmação do papel do nosso País. Não só nos desastres naturais, quando as Forças Armadas ocupam a frente e a liderança do Sistema Nacional de [Proteção e] Defesa Civil. Não só também nos grandes eventos, mas também em momentos decisivos, como foi o terrível desastre, que não só afetou o patrimônio, o meio ambiente, mas também tirou vidas de alguns valorosos trabalhadores brasileiros na região ali de Mariana.

AS FFAA NUNCA SE FURTARÃO A ACUDIR O SEU POVO NA HORA DA NECESSIDADE. ELAS TÊM ORGULHO DESTA MISSÃO QUE LHES É INALIENÁVEL. PARA ELAS O BRASIL SEMPRE ESTARÁ ACIMA DE TUDO! 


O Brasil seguirá precisando e atento às necessidades da sua população. O Brasil seguirá atento e necessitando da defesa das nossas fronteiras. O Brasil seguirá se afirmando como país da maior biodiversidade na nossa Amazônia verde.

FRANCAMENTE, NÃO ENTENDI ESTE PARÁGRAFO.
 
O Brasil necessitará da proteção das nossas riquezas na Amazônia Azul, da amplidão do nosso espaço aéreo e, principalmente, na defesa do povo brasileiro – nosso maior patrimônio. E aqui eu me refiro ao combate à microcefalia e a grande contribuição que as Forças Armadas estão dando nessa verdadeira cruzada contra o mosquito da dengue, o aedes aegypti, e agora tanto ao chikungunya, com ao vírus zika.


ACHO QUE ENTENDI… UFA!
 
Eu conto com a liderança do Ministério da Defesa, conto com os comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, conto com a colaboração dos senhores para a consecução dos objetivos de desenvolvimento sustentável, da redução das extremas desigualdades que, ao longo dos últimos 13 anos, nós viemos lutando para conseguir.

LIDERANÇA DO MINISTÉRIO DA DEFESA OU DO TITULAR DA PASTA? ALGUÉM ENTENDEU? MAS QUE “13” ANOS ESTES DE GOVERNO PETISTA!TODOS DE MAU AGOURO! MEU DEUS DO CÉU!


Desejo a todos nós muito sucesso nas nossas missões no ano vindouro, e, sobretudo, desejo um feliz natal a todas as famílias, a todos os senhores oficiais-generais e suas esposas e, sobretudo, a todo povo brasileiro. Desejo também a todos nós uma luta incessante, um próspero ano novo.
Muito obrigada.


 E NÓS DESEJAMOS, COM TODAS AS HONRAS E SINAIS DE RESPEITO, QUE A SENHORA TENHA UM ACESSO DE PATRIOTISMO E RENUNCIE….