segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Depoimento de Lula na Polícia Federal, é um duro que não sabe de nada.

É uma piada de mau gosto, " não tem bens ... ".
Como sempre: "Nada sei..."


Depoimento de Lula na Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado - DPF em 16 de dezembro de 2015.

Ao(s) 16 dia(s) do mes de dezembro de 2015, neste(a) Edifício-Sede do Departamento de Polcai Federal, em Brasília DF, onde presente se encontrava JOSELIO AZEVEDO DE SOUSA, Delegado de Polcai Federal, Classe Especial, Matrfcula DPF n. Q 9.518, lotado(a) e em exercício no(a) Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado - DICORlDPF, compareceu LUIZ INACIO LULA DA SILVA, sexo masculino, nacionalidade brasileira, casado(a), filho(a) de Aristides Inácio da Silva e Euridice Ferreira de Melo, nascido(a) aos 06/10/1945, natural de Garanhuns/PE, instrução segundo grau completo, profissão Metalúrgico, Documento de Identidade n.o XXXXXXXXXXX, inscrito(a) no CPF/MF sob o n. xxx.xxx.xxx.xx, residente na(o) xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx. Inquirido(a) pela Autoridade Policial a respeito dos fatos em apuração no presente apurat6rio, RESPONDEU: QUE em seu primeiro mandate os principais Partidos que compunham a sua base aliada eram: uma parte do PMDB, PTB, PT, PR, PCdoB, PDT, PSB e PP; QUE, além destes, havia outros Partidos que não se recorda; QUE em seu segundo mandato foram mantidos os mesmos Partidos e ainda houve o apoio majoritário do PMDB; QUE este apoio estava baseado na afinidade dos Partidos com o programa de governo elaborado nas duas campanhas; QUE, em uma politica de coaliz5es, presume-se que haja a distribuição de Ministérios e cargos importantes do Governo para os Partidos Políticos que comp5em a ba se de apoio; QUE seu primeiro Presidente nomeado para a PETROBRAS foi JOSE EDUARDO DUTRA; QUE JOSE EDUARDO DUTRA foi uma indicação pessoal do Declarante, posta que era oriundo do setor petroquímico, Ge6logo, ex-Senador e também Sindicalista; QUE via JOSE EDUARDO DUTRA como alguém suficientemente competente para gerenciar a PETROBRAS; QUE o nome de RENATO DUQUE para assumir a Diretoria de Serviços da PETROBRAS não foi uma indicação do Declarante; QUE o nome de RENATO DUQUE foi levado a Casa Civil da Presidência da Republica, a época chefiada por JOSE DIRCEU; QUE cabia a Casa Civil receber as indicag6es partidárias e escolher a pessoa que seria nomeada; QUE não sabe se foi o PT ou outro Partido Politico que indicou RENATO DUQUE para assumir a Diretoria de Serviços; QUE não conhecia RENATO DUQUE; QUE não participou do processo de escolha do nome de RENATO DUQUE; QUE acha que NESTOR CERVERO foi uma indicação politica do PMDB; QUE NESTOR CERVERO era um funcionário de carreira da PETROBRAS; QUE o processo de escolha dos nomes dos Diretores não contava com a participação do Declarante; QUE o Declarante recebia os nomes dos Diretores a partir • de acordos políticos firmados; QUE este processo de acordos políticos eram feitos normalmente pela Ministro da área, pela Coordenador Politico do Governo e pela Partido interessado na nomeação; QUE teve vários Coordenadores Políticos ao longo de seus oito anos de mandate; QUE pode citar: TARSO GENRO, JACQUES WAGNER, ALEXANDRE PADILHA, ALDO REBELO etc.; QUE não se recorda qual destes articuladores políticos tratou das nomeag6es de RENATO DUQUE e também de NESTOR CERVERO; QUE, no caso de PAULO ROBERTO COSTA, seu nome foi apresentado pela Partido Progressista; QUE, assim como nos demais, o nome de PAULO ROBERTO COSTA foi levado a Casa Civil para deliberação e posterior nomeação pela Declarante; QUE os nomes dos indicados pelos Partidos não eram levados diretamente ao Declarante; QUE, como explicado acima, o processo de • escolha passava pela discussão com os diversos envolvidos no aspecto politico e não somente com o Ministro-Chefe da Casa Civil; QUE ao final deste processo o Declarante concordava ou não com o nome apresentado, a partir dos critérios técnicos que credenciavam o indicado; QUE indagado se tratou com JOSE JANENE sobre a indicação de PAULO ROBERTO COSTA para assumir a Diretoria de Abastecimento da PETROBRAS, o Declarante afirma que nunca conversou com JOSE JANENE a respeito de qualquer assunto; QUE nunca tratou com PEDRO HENRY ou com PEDRO CORREA sobre a indicação de PAULO ROBERTO COSTA; QUE nunca tratou com qualquer Liderança de qualquer Partido sobre a indicação de algum nome para cargo da Administração Publica; QUE os nomes eram apresentados pela Governo, ou seja, Declarante afirma que nunca conversou com JOSE JANENE a respeito de qualquer assunto; QUE nunca tratou com PEDRO HENRY ou com PEDRO CORREA sobre a indicação de PAULO ROBERTO COSTA; QUE nunca tratou com qualquer Liderança de qualquer Partido sobre a indicação de algum nome para cargo da Administração Publica; QUE os nomes eram apresentados pela Governo, ou seja, pelos articuladores políticos que levavam O nome a Casa Civil da Presidência; QUE nunca se sentiu pressionado pela Partido Progressista a fim de que PAULO ROBERTO COSTA fosse nomeado Diretor de Abastecimento da PETROBRAS; QUE o PMDB nunca ofereceu apoio político ao Governo a fim de manter PAULO ROBERTO COSTA no cargo de Diretor de Abastecimento, e se ofereceu tai apoio isto não chegou ao conhecimento do Declarante; QUE indagado sobre quais Diretores da PETROBRAS foram indicados pelo Partido dos Trabalhadores, o Declarante afirma que talvez RENATO DUQUE tenha sido uma indicação do PT; QUE JOSE SERGIO GABRIELLI foi uma indica9ao pessoal do Declarante; QUE indicou JOSE SERGIO GABRIELLI para • ser Diretor Financeiro da PETROBRAS em razão do mesmo ser um Economista altamente capacitado e por ser alguém de sua confiança; QUE, da mesma forma, a indica9ao de JOSE SERGIO GABRIELLI para assumir a Presidência da Companhia foi uma escolha do Declarante; QUE deseja afirmar que durante seus oito anos de mandate nao foram divulgadas ou informadas pela Polícia Federal, pelo Ministério Publico ou pela imprensa denuncias que envolvessem os nomes dos Diretores acima nominados; QUE conheceu JOĂO VACCARI NETO quando o mesmo presidia o Sindicato dos Bancários do Estado de Sao Paulo; QUE sua relação com JOĂO VACCARI NETO no Partido foi pequena, posta que em 1996 o Declarante deixou a Presidência do PT; QUE em 2001, quando assumiu a Presidência da Republica, passou ater menos contato com a Direção do Partido; QUE JOĂO VACCARI assumiu a • Tesouraria do Partido em 2010; QUE soube pela Dire9ao do Partido que JOĂO VACCARI fez um excelente trabalho a frente da Tesouraria do PT; QUE todos os membros da Direção do Partido, inclusive seu Presidente, RUI FALCĂO, declararam a qualidade do trabalho desempenhado por VACCARI no comando da Tesouraria do PT; QUE tinha uma relação de amizade com JOĂO VACCARI NETO; QUE não se encontrava com JOĂO VACCARI com grande frequência, as vezes passando meses sem vê-lo; QUE, geralmente, encontrava JOĂO VACCARI em eventos do PT; QUE ao longo de seus oitos anos na Presidência não teve qualquer encontro reservado com JOĂO VACCARI NETO; QUE não crê na afirmação de PAULO ROBERTO COSTA de que 2% (dois por cento) do valor dos contratos celebrados na Diretoria de Abastecimento da PETROBRAS eram carreados para o Partido dos Trabalhadores por meio de JOĂO VACCARI NETO; QUE atribui tai afirmação aos benefícios que a Colaboração Premiada da ao delator; QUE não conhece PEDRO BARUSCO; QUE, de igual forma, não acredita na afirmação de PEDRO BARUSCO de que um percentual do valor dos contratos celebrados pela Diretoria de Serviços eram destinados ao Partido dos Trabalhadores por meio de JOĂO VACCARI NETO; QUE atribui as afirmações de PEDRO BARUSCO aos benefícios concedidos pela Colaboração Premiada; QUE não se recorda a data exata em que conheceu o Empresário RICARDO PESSOA; QUE deve ter conhecido RICARDO PESSOA em alguma inaugurarão ou em um dos muitos eventos com empresários dos quais participou; QUE somente em 2011 esteve de maneira reservada com RICARDO PESSOA, quando o mesmo foi ao INSTITUTO LULA convidar o Declarante para proferir uma palestra em uma empresa do pr6prio RICARDO PESSOA; QUE não possuía relação de amizade com RICARDO PESSOA; QUE a contratação para a palestra foi feita pela UTC, porem, o Declarante não se recorda se a palestra foi realizada na sede da UTC; QUE foi contratado para dar palestra para a UTC apenas uma vez; QUE não crê na afirmação de RICARDO PESSOA de que o mesmo realizou o pagamento de vantagens indevidas para o PT por meio de JOĂO VACCARI NETO; QUE atribui esta afirmação de RICARDO PESSOA ao seu intuito de obter benefícios por meio da Colaboração Premiada; QUE indagado a que atribui a condenação, em primeira instância, de JOĂO VACCARI NETO, o Declarante afirma que a mesma se deve as Delações Premiadas; QUE a condenação de JOĂO VACCARI NETO não é definitiva e que acredita que o mesmo será absolvido; QUE não acredita que JOĂO VACCARI NETO tenha obtido vantagens indevidas a partir dos contratos celebrados pela PETROBRAS, uma vez que era conhecedor da Legislação; QUE acredita que as acusações feitas contra JOĂO VACCARI NETO são, na verdade, resultados dos benefícios referentes as delações dos diversos Colaboradores da OPERAÇÃO LAVA JATO; QUE desde o início da década de oitenta conhece JOSE DE FILlPPI JUNIOR; QUE não foi o Declarante quem escolheu JOSE DE FILlPPI para ser o Tesoureiro de sua campanha em 2006; QUE JOSE DE FILlPPI foi escolhido pela Coordenação da Campanha em razão de ser uma pessoa competente, com experiência politica e preparada para o cargo; QUE o Coordenador de Campanha costuma ser o Presidente do Partido; QUE ate o primeiro turno das Eleições o Presidente do Partido era RICARDO BERZOINI; QUE em seguida o sucedeu MARCO AURELIO GARCIA; QUE não orientou ou solicitou a JOSE DE FILlPPI para que procurasse a QUEIROZ GALVĂO ou qualquer outra empresa a fim de obter doac;6es para a sua campanha no ano de 2006; QUE não acredita que JOSE DE FILlPPI tenha solicitado de forma não oficial a quantia de R$ 2.400.000,00 (dois milh6es e quatrocentos mil reais) ao consorcio encarregado da construção da Plataforma P-53; QUE não acredita em tai fato em razão de que JOSE DE FILlPPI era uma pessoa • experiente e conhecedora da legislação eleitoral, tendo inclusive participado de outras três campanhas próprias para Prefeito da cidade de Diadema/SP; QUE atribui, novamente, a afirmação de RICARDO PESSOA aos benefícios concedidos pelo instituto da Colaboração Premiada; QUE conheceu JOSE CARLOS BUMLAI na campanha para as Eleições de 2002; QUE conheceu BUMLAI quando da gravação de um programa eleitoral relacionado a Agricultura; QUE este programa foi gravado em uma fazenda de BUMLAI, e cujo nome não se recorda no momento; QUE possui relação de amizade com JOSE CARLOS BUMLAI; QUE recebeu por algumas vezes JOSE CARLOS BUMLAI em Brasília/DF; QUE algumas vezes BUMLAI se hospedou na Granja do Torto e outras vezes em hotéis da cidade; QUE não sabe precisar quantas vezes BUMLAI se hospedou na Granja do Torto; QUE ac ha que BUMLAI nunca se  hospedou no Palácio da Alvorada; QUE indicou BUMLAI para integrar o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social; QUE o Conselho era formado por mais de 100 (cem) empresários indicados por diversos segmentos da sociedade; QUE BUMLAI era um dos representantes do Setor Agrícola; QUE não solicitou a BUMLAI que contraísse em seu próprio nome empréstimo no interesse do Partido dos Trabalhadores; QUE não tratou com BUMLAI sobre eventual empréstimo contraído por ele em beneficio do PT; QUE jamais tratou com BUMLAI sobre dinheiro ou valores, o que o Declarante ressalta como algo merecedor de respeito; QUE tomou conhecimento dos boatos sobre a contratação deste empréstimo através da imprensa, ha algum tempo; QUE indagado se conhecia alguém do Grupo SCHAHIN, o Declarante afirma que teve contato com o mais velho deles, cujo nome não se recorda, mas sabe que o sobrenome era SCHAHIN, e este contato se deu em algum evento empresarial no Palácio do Planalto; QUE este membro da família SCHAHIN participou de algumas reuni6es do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social; QUE nunca esteve com o mesmo de maneira reservada; QUE em sendo mostrada uma foto de SALIM SCHAHIN, o Declarante o reconhece como sendo o integrante da família SCHAHIN com quem esteve nos eventos acima descritos; QUE não tomou conhecimento da realização de empréstimos em beneficia do PT realizados através de terceiros; QUE nunca solicitou a DELUBIO SOARES a realização de empréstimos em beneficio do PT; QUE não tomou • conhecimento do processo de escolha pela PETROBRAS da empresa operadora do Navio Sonda VITORIA 10000; QUE não recebeu de JOSE CARLOS BUMLAI qualquer pedido para que interferisse neste processo de escolha a fim de beneficiar o Grupo SCHAHIN; QUE não tratou diretamente a respeito da substituição de NESTOR CERVERO por JORGE ZELADA na Diretoria Interacional da PETROBRAS; QUE o processo de escolha de JORGE ZELADA seguiu os mesmos trâmites acima descritos para os demais Diretores da Companhia; QUE sabe que JORGE ZELADA era uma reinvindicação do PMDB; QUE não tratou com BUMLAI sobre a possível permanência de NESTOR CERVERO na Diretoria Internacional; QUE não recebeu de BUMLAI qualquer pedido para que NESTOR CERVERO fosse mantido na Diretoria Internacional; QUE sua relação com BUMLAI não permitia tai pedido; QUE não tratou • com BUMLAI sobre a indicação de NESTOR CERVERO para assumir o cargo de Diretor Financeiro da BR DISTRIBUIDORA; QUE não recebeu qualquer pedido de BUMLAI neste sentido; aUE afirma que BUMLAI nunca pediu qualquer cargo para o Declarante; QUE acha que a indicação de NESTOR CERVERO para o cargo de Diretor Financeiro da BR DISTRIBUIDORA foi também uma solicitação do PMDB; QUE reitera que a tramitação de tai nomeação também seguiu os trâmites acima descritos; QUE esteve reunido com JOĂO CARLOS FERRAZ, Presidente da SETE BRASIL, em duas ocasiões, já após o termino do seu mandato presidencial; QUE esteve com JOĂO CARLOS FERRAZ para discutir o conteúdo nacional dos contratos celebrados pela PETROBRAS; QUE também participaram destas reuniões representantes dos Sindicatos da Industria Naval; QUE acha que estas reuniões ocorreram no ano de 2013; QUE não sabe quem fez a solicitarão de reunião para que recebesse JOĂO CARLOS FERRAZ; QUE as reuniões acima referidas ocorreram no INSTITUTO LULA; QUE não se recorda de JOSE CARLOS BUMLAI pedir para o Declarante uma reunião com JOSE CARLOS FERRAZ; QUE não era do seu conhecimento que a OSX pretendia celebrar contratos de construção de navios com a SETE BRASIL; QUE o que o Declarante sabe e que a SETE BRASIL foi feita para construir navios sondas; QUE indagado se alguma vez tratou com BUMLAI a respeito dos contratos da SETE BRASIL, o Declarante afirma que não havia razão para isto, uma vez que pelo que tinha conhecimento BUMLAI era  proprietário de usinas de álcool e de cabeças de gado; QUE e pai de MARCOS CLAUDIO LULA DA SILVA, casado com CARLA; FABIO LUIS LULA DA SILVA, casado com RENATA; SANDRO LUIS LULA DA SILVA, casado com MARLENE; LUIS CLAUDIO LULA DA SILVA, casado com FATIMA; e LURIAN CORDEIRO LULA DA SILVA, separada; QUE não declina os nomes completos das noras em razão de não recordá-Ios no momento; QUE acha que todos os seus filhos e noras possuem relação de amizade com BUMLAI; QUE nenhuma de suas noras ou mesmo qualquer um de seus filhos, a qualquer título, pediu valores a BUMLAI; QUE nunca realizou qualquer transação financeira com BUMLAI, quer seja por via bancaria ou em espécie; QUE indagado a que atribui a existência de pessoas de seu governo investigadas em inquéritos em tramitação no Supremo Tribunal Federal, nos eventos relacionados  OPERAÇĂO LAVA JATO, o Declarante afirma que isto se deve basicamente a três fatores: a) ao processo de transparência e aprimoramento dos órgãos de fiscalização e controle, especialmente a Policia Federal, o Ministério Publico Federal e a Controladoria-Geral da União, ocorridos ao longo dos últimos doze anos; b) il. imprensa livre; e c) a um processo de criminalização do Partido dos Trabalhadores; QUE, além disto, não existe ate o momento qualquer conclusão final destes apuratórios; QUE indagado se tinha conhecimento dos eventos de corrupção ocorridos na PETROBRAS e desvelados pela OPERAÇĂO LAVA JATO, o Declarante afirma que não tinha conhecimento dos mesmos; QUE afirma que estes fatos não eram também do conhecimento dos órgãos de fiscalização e controle, bem como da própria imprensa; QUE não crê que os principais Partidos da base aliada do Governo tenham, através de suas principais Lideranças, obtido vantagens indevidas a partir dos contratos das diversas Diretorias da PETROBRAS; QUE é sócio da LlLS; QUE a LlLS e a pessoa jurídica que faz a gestão das palestras realizadas pela Declarante; QUE suas palestras tem como tema principal apresentar o Brasil, em razão de sua vivencia politica; QUE suas palestras possuem um valor lixo, independente do contratante; QUE os valores sao pagos por via bancaria diretamente para a LlLS; QUE no ano de 2014 realizou cerca de 10 (dez) palestras, talvez uma ou duas fora do Brasil; QUE não se recorda em que pais foram realizadas essas palestras do ano de 2014; QUE no ano de 2015 realizou cerca de 03 (três) palestras; QUE desde o ano de 2011 já realizou mais de 70 palestras no Brasil e no exterior; QUE o Declarante afirma que não participa de sociedades, não possui bens e não movimenta valores por meio de terceiros. Nada mais disse e nem Ihe foi perguntado. Foi então advertido(a) da obrigatoriedade de comunicação de eventuais mudanças de endereço em face das prescrições do Art. 224 do CPP. Encerrado o presente que, lido e achado conforme, assinam com a Autoridade Policial, com ora) Declarante, na presença de seu(sua. s) Advogado(a, s) CRISTIANO ZANIN MARTINS, inscrito(a) na OAB/SP sob n. o 172730 e LUIZ CARLOS SIGMARINGA SEIXAS, inscrito(a) na OAB/DF sob o n. o 814, comercial (11) 3060-3324 e (61) 3224- 1166, respectivamente, e comigo, OEZER SOUSA BARROSO, Escrivao de Policia Federal, 1 ~ Classe, Matricula DPF n. Q 14.368, lotado(a) e em exercício no(a) Diretoria de  Investigação e Combate ao Crime Organizado - DICOR/DPF, que o lavrei.

Link do original: DPF


Fica assim definitivamente demonstrado que ele de nada sabia; nada fez; e de nada se lembra.
Ele nem mesmo se lembra dos nomes das noras, coitado.
Sorte a dele que vai ter muito tempo para pensar quando estiver hospedado na Papuda.



Nenhum comentário:

Postar um comentário